Pais, mães ou responsáveis por crianças a partir de 1 ano a menores de 5 devem levá-los à Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) mais próxima para vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite, conhecida como Paralisia Infantil. A Campanha Nacional de Vacinação começa nesta segunda-feira, dia 06 de agosto, e segue até o dia 31. A vacina tríplice viral também deve estar na caderneta de adultos. Logo, pessoas de até 29 anos devem tomar duas doses e de 30 a 49, dose única. Para profissionais da Saúde de qualquer idade, é recomendado tomar uma primeira dose e, após trinta dias, a de reforço.

Em Sertânia, todas as UBSFs estarão abastecidas com a vacina, como também o Centro de Saúde da Mulher e da Criança, na sede do município. A expectativa é que mais de 2 mil crianças sejam vacinadas, neste período. O “Dia D” nacional estabelecido nesta campanha será o sábado, dia 18, quando todas as unidades de saúde estarão de portas abertas para receber a população.

Segundo Camila Ferreira, coordenadora do Programa Nacional de Imunização no município, Sertânia não teve casos confirmados recentemente das doenças, pois a porcentagem de cobertura estava satisfatória e acima dos índices de outras cidades da Região Nordeste.

Do G1

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o envio para a primeira instância de um inquérito que investiga o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) com base nas delações premiadas de ex-executivos da construtora Odebrecht em desdobramento da Lava Jato.

De acordo com a decisão, as investigações devem continuar na 4ª Vara Federal Criminal de Pernambuco, a quem o ministro recomendou “celeridade”.

Fachin levou em conta decisão do STF que restringiu o foro privilegiado para casos envolvendo crimes cometidos durante o mandato e em razão do cargo.

No caso de Bezerra, o MPF afirma que ele recebeu propina quando era secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

Segundo o MPF, as irregularidades foram cometidas na licitação das obras do Cais V e do Pier Petroleiro do Porto de Suape. Há suspeita de que o senador tenha cometido os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele nega as denúncias.

O montante, diz a PGR, teria totalizado R$ 2 milhões, sendo 60% pagos pela Odebrecht e 40% pela empreiteira OAS.

Transparência e coragem são duas palavras que dizem muito sobre minha vida e minhas posições políticas. Por isso não posso deixar de me posicionar diante das especulações provocadas a partir de supostas declarações atribuídas a mim, indicando que eu estaria disposta a abrir mão da disputa ao Governo do Estado de Pernambuco. Isso não é verdade.

Minha pré-candidatura nasceu do desejo e da força da militância do PT, dos movimentos sociais e de uma imensa parcela de cidadãos e cidadãs que desejam o resgate de nosso Estado. Vencemos inúmeros obstáculos para chegar até aqui. Vencemos a desconfiança e o desinteresse pela política que cresce entre nossa população; vencemos a máquina dominada pelas forças golpistas e retrógradas; crescemos nas pesquisas, nos consolidamos e hoje somos muito mais que um projeto, somos uma realidade para o povo pernambucano que quer mudança.

Vim a São Paulo para acompanhar a votação do recurso que foi interposto por integrantes da Executiva Nacional, para garantir que a democracia interna seja respeitada; estou aqui para defender a posição do PT de Pernambuco, definida por maioria absoluta dos delegados e delegadas que participaram, ontem, do encontro que aprovou a candidatura própria em Pernambuco. Não vim para negociar. A responsabilidade de cada um quem vai julgar é o povo no dia da eleição. Não estou aqui para isso. Estou aqui para lutar, como venho lutando dia e noite, pelo direito de termos em Pernambuco uma candidatura que verdadeiramente represente o projeto do PT, do presidente Lula e de nossa população.

Desautorizo qualquer um que tente ou queira falar por mim porque as minhas palavras, são exclusivamente minhas, assim como a responsabilidade que tenho de representar esse projeto que vai muito além de uma pessoa, ou de uma candidatura. Representa a esperança da base do PT, respaldada pela maioria esmagadora no Encontro Estadual, e milhões de pernambucanos. Esperança não se negocia.

Marília Arraes

Foto: Nathan Lopes/UOL

Por 59 a 28 votos o Diretório decidiu manter a tática eleitoral de aliança com o PSB

Logo após a decisão Marília entrou com novo recurso ao Congresso Nacional do partido

Por André Luis

Apesar da vitória durante o encontro do diretório regional, ontem em Recife, a vereadora Marília Arraes (PT), levou novo revés do PT nacional, que por 57 votos a 29, negou o recurso impetrado para viabilizar a sua candidatura ao Governo do Estado.

Com essa decisão que foi tomada hoje em São Paulo, o PT mantém a aliança com PSB e o apoio a reeleição do governador Paulo Câmara, mantendo a decisão tomada pela executiva nacional na última quarta-feira (1).

Logo após ter tido o seu recurso negado, Marília entrou com novo recurso, desta vez à última instância que é o Congresso Nacional do partido, marcado para este sábado (04).

No novo recurso Marília diz que “Pernambuco ser pronunciará pela defesa da candidatura de Lula e da construção de candidatura própria no estado, conforme orientou a direção partidária em todas as resoluções adotadas sobre tática eleitoral de 2018 em Pernambuco, onde a possibilidade da não candidatura do PT ocorreria no quadro de uma aliança nacional e formal do PSB com o PT”.

Leia abaixo a íntegra do recurso:

Recurso ao Encontro Nacional Sobre Tática Eleitoral

Para SORG e SGN

Considerando,

Que o esforço da direção partidária em conquistar alianças nacionais para fortalecer a candidatura de Lula à presidência da república fez adiar por três vezes o encontro estadual de Pernambuco;

Que aliança partidária formal nacional significa coligação e apoio à candidatura de Lula;

Que sabidamente o Encontro Estadual de Pernambuco se pronunciará pela defesa da candidatura de Lula e da construção de candidatura própria no estado, conforme orientou a direção partidária em todos as resoluções adotadas sobre tática eleitoral de 2018 em Pernambuco, onde a possibilidade da não candidatura do PT ocorreria no quadro de uma aliança nacional e formal do PSB com o PT;

Que o resultado concreto das negociações com o PSB resultaram no “não apoio” formal e nacional, e portanto não está dentro do que pode ser considerado dentro dos interesses partidários para vencer as eleições 2018;

Que a candidatura própria do PT, Marília Arraes, encontra-se empatada com os demais concorrentes e, pelas pesquisas, pode ser vitoriosa no primeiro e no segundo turno, representando uma grande força a favor da candidatura Lula e nosso projeto nacional;

Em defesa da democracia interna, recorremos ao Encontro Nacional da decisão do DN sobre tática eleitoral do dia 03 de agosto de 2018.

Brasília, 3 de agosto de 2018

Ivan Alex, Mucio Magalhães, Markus Sokol, Sheila Oliveira, Teresa Leitão, Vilson Oliveira, Valter Pomar e outros filiados e filiadas

Foto: Farol de Notícias/Max Rodrigues

Do Farol de Notícias

Por volta das 2h30 desta sexta-feira (3), Adriano Melo da Silva, 33 anos, foi morto com vários disparos de arma de fogo na Avenida Triunfo, no bairro São Cristóvão, enquanto bebia numa mesa de bar.

De acordo com a Polícia Civil, em conversa com o Farol, dois homens não identificados chegaram numa motocicleta e o garupa desceu já atirando contra a vítima.

Foram entre três a cinco tiros na região do tórax e o homem morreu no local. Ainda segundo a polícia, há informações que a vítima era usuário de drogas.

O corpo de Adriano Silva encontra-se no necrotério do Hospital Regional Agamenon Magalhães (Hospam) mas será conduzido até o Instituto Médico Legal (IML) de Caruaru. Este é o 17º homicídio de 2018 em Serra Talhada.

O 16º homicídio do ano em Serra Talhada, aconteceu na noite anterior por volta das 20h30 o menor de iniciais T.F.F.J foi morto na Quadra 10, do bairro Mutirão, ao lado da quadra esportiva da Escola Vicente Ignácio de Oliveira, após ser atingido por três disparos de arma de fogo, todos na região da cabeça.

Segundo populares, em conversa com o Farol, um homem chegou a pés e fez os disparos à queima roupa fugindo em seguida. Há comentários que a vítima vinha correndo tentando fugir de uma possível perseguição, mas oficialmente esta informação não foi confirmada.

De acordo com o 14º BPM, a vítima, de idade não revelada, era usuário de drogas, andava com más companhias e já tinha passagem pela Funase. As informações foram repassadas pela mãe do menor, que velava o corpo no local do crime.

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Do Estadão Conteúdo

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quinta-feira (2) rejeitar um pedido de liberdade a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentado por um advogado de Minas Gerais que não integra a defesa do petista.

Na decisão, Fachin apontou que o habeas corpus é “relevantíssima garantia constitucional”, mas ressaltou que o advogado não integra a defesa técnica do ex-presidente.

“Em razão da intransponibilidade de tais obstáculos, a impetração não merece conhecimento, sendo manifestamente incabível”, concluiu o ministro.

No mês passado, o vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, negou um pedido de liberdade a favor de Lula apresentado pelo mesmo advogado.

Martins destacou naquela decisão que o advogado Cristiano Zanin Martins, defensor de Lula, já manifestou “expresso desinteresse” em pedidos de liberdade que não tenham sido apresentados pela defesa do ex-presidente.

Inaldo Sampaio

                                      Inaldo SampaioFoto: Colunista

Inspirados no “manda quem pode e obedece quem tem juízo”, os presidentes do PT e do PSB reuniram-se em Brasília e tomaram a seguinte decisão: “nós (do PT) apoiaremos em Pernambuco a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) e vocês (do PSB), em Minas, a do governador Fernando Pimentel (PT)l. Tudo decidido da forma mais fechada e autoritária possível, sem qualquer consulta às partes interessadas, salvo ao senador Humberto Costa (PT) que sempre defendeu esta aliança. Ou seja, com uma canetada só, os presidentes Gleisi Hoffmann (PT) e Carlos Siqueira (PSB) bagunçaram a vida dos seus partidos em Pernambuco e em Minas Gerais, respectivamente. Aqui, Marília Arraes estava em processo de crescimento, renovando os quadros do PT e defendendo com muito mais legitimidade o legado de Lula do que o atual governador. Foi fulminada do processo de forma brutal e vergonhosa. Em Minas, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), também estava em processo de crescimento, combatendo de um lado o governador Fernando Pimentel (PT) e, do outro, o candidato Antonio Anastasia (PSDB), apoiado por Aécio Neves. Carlos Siqueira o tirou do páreo, também autoritariamente, para que ele apoiasse a reeleição de um governador que está com a popularidade no fundo do poço, pois nem a folha dos servidores consegue pagar. Lacerda, dentro do melhor tradição da “mineiridade” libertária, disse que não se submeterá a essa “intervenção branca” na executiva regional do PSB e vai fazer amanhã a sua convenção. Marília promete também reagir, contra a violência de que foi vítima, inspirada nas lições de “pernambucanidade”.

Aliança e casamento
Aliança política é como casamento. Só dá certo se interessar aos dois lados. A aliança do PT com o PSB/PE só interessa mesmo a duas pessoas: Humberto Costa e Paulo Câmara. Se ela interessasse às bases eleitorais dos dois partidos, seria um bom reforço para o senador e também para o governador. Mas como as bases do PT são contra, será uma aliança apenas cartorial.

O lucro > Paulo Câmara não terá as bases do PT fazendo sua campanha eleitoral, mas terá o tempo desse partido no rádio e na TV. Seu maior objetivo era tirar Marília Arraes do páreo. E conseguiu.

Era mentira > Gleisi Hoffmann disse duas vezes à imprensa pernambucana que a decisão de lançar ou não Marília Arraes (PT) para disputar o governo estadual seria tomada pelos petistas locais, e não pela direção nacional. Ou seja, mentiu duas vezes para os pernambucanos.

Com Ciro > Ao determinar ao PT pernambucano que faça aliança com o PSB, a direção petista julga ter conseguido o seu maior objetivo: evitar que os socialistas caíssem nos braços de Ciro Gomes. Mesmo assim, o governador Rodrigo Rollemberg (DF) garante que irá apoiá-lo.

Mais pobre > Se a chapa proporcional do PSDB já era fraca, tornou-se mais frágil ainda com a saída de Bruno Araújo para disputar o Senado e a desistência de Joaquim Francisco de disputar um mandato na Câmara Federal. Forte, mesmo, até agora, só a candidatura de Alessandra Vieira a deputada estadual. Ele é casada com o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe.

Marília Arraes no encontro local do PT

Marília Arraes no encontro local do PTFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Em convenção tumultuada, o PT de Pernambuco decidiu, nesta quinta-feira, (02), no Recife Praia Hotel, na Zona Sul do Recife, pela manutenção da candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), ao governo estadual.

Dos 251 delegados inscritos, um se absteve e a decisão foi por contraste (não contabilizou, a maioria foi massiva). Ao final, Marília, ovacionada, chamou o senador Humberto Costa (PT) ao palco e pediu aplausos, numa tentativa de apaziguar as relações.

Desta forma, a questão será debatida no Diretório Nacional, que será realizado, nesta sexta-feira (03), em São Paulo. Marília confirmou presença. A convenção nacional do partido está marcada para o sábado (4) e a local, para domingo (5).

A decisão ocorre um dia depois da Comissão Executiva Nacional do partido deliberar pelo apoio ao governador de PernambucoPaulo Câmara (PSB), em prol da neutralidade do PSB na disputa presidencial.

Durante toda a tarde, militantes do PT pró-Marília se reuniram nas mediações do hotel acompanhando as decisões. O senador Humberto Costa (PT), maior expoente da corrente que defende a aliança com o PSB, foi um dos principais alvos de críticas. O outro foi o vice-presidente estadual Oscar Barreto.

Foto: Google Street View

A decisão da Comissão Executiva Nacional (CEN) é formar aliança com o PSB local

Do JC Online

O Partido dos Trabalhadores em Pernambuco (PT-PE) divulgou nota nesta quarta-feira (1º) indicando que seguirá a decisão da Comissão Executiva Nacional (CEN) em formar aliança com o PSB local. O documento é subsequente a uma coletiva de imprensa onde a vereadora Marília Arraes (PT) endossa o recurso contra a decisão da CEN que a afastou da disputa eleitoral pelo governo do estado.

“Registramos, assim, que por razões políticas e estatutárias estamos convocados todos, dirigentes e militantes, a observar e a fazer cumprir a decisão da Executiva Nacional, mantendo a nossa identidade e a nossa convergência em torno do projeto nacional do PT, da nossa Direção e da ampliação do apoio partidário à candidatura vitoriosa de Lula Presidente, à sua libertação e à derrota da agenda antinacional, antipovo e fracassada do golpe de 2016.”, afirma trecho em nota.

Leia a nota do PT-PE

1- Desde o ano passado, todas as decisões das instâncias nacionais e estaduais do PT, todas as mobilizações de nossa militância e das forças democráticas e populares aliadas, têm tido uma prioridade central, acima de qualquer outra por mais importante que seja: Libertar Lula da prisão política, reivindicar o reconhecimento da sua inocência e defender a sua eleição para Presidente da República. Não é uma prioridade apenas do PT, mas da maioria do povo brasileiro, como indicam todas as pesquisas. Um povo que quer e que vai nas eleições de 2018, junto com Lula, derrotar o golpe, recuperando a democracia e o País.

2 – No dia de hoje, a Comissão Executiva Nacional aprovou uma resolução, por folgada maioria, deliberando pela aliança com o PSB em vários Estados brasileiros, dentre eles Pernambuco. Esta resolução, como todas as demais, tem a mesma finalidade mencionada acima que é o fortalecimento da candidatura Lula e da luta pela sua libertação. Como é óbvio, também, essa posição foi construída com a orientação do próprio ex-presidente Lula, nossa liderança maior e a quem a Direção Nacional escuta várias vezes a cada semana. 

3 – Desde o mês de dezembro, a direção estadual do PT-PE, as suas lideranças e os nossos pré-candidatos ao Governo estadual participaram de várias reuniões, presenciais e por videos-conferência, com a Presidente Gleisi Hoffmann, com o GTE Nacional e, sobretudo, com o Presidente Lula até o mês de abril, quando teve os seus direitos e a sua liberdade violados por uma absurda e inconstitucional prisão política. Em todas elas, fomos informados, com transparência e com clareza, dos esforços nacionais no sentido de construir uma aliança com os partidos de centro-esquerda. Como é notório, a partir de junho em resolução aprovada em Belo Horizonte, esse esforço nacional se concentrou no diálogo nacional com o PSB e com o PCdoB.

4 – Nessas reuniões, o PT-PE também foi estimulado pelas lideranças nacionais, inclusive por Lula, a seguir com a sua agenda de candidatura própria enquanto evoluíam as articulações nacionais. Também combinamos que manteríamos, como efetivamente foi feito, uma permanente atualização ad evolução do quadro entre as Direções Nacional e Estadual do PT. Em consequência, os pré-candidatos inscritos (a vereadora Marília Arraes, o deputado Odacy Amorim e o dirigente José de Oliveira) seguiram as suas précampanhas, as quais contribuíram bastante para estimular a nossa militância e para o posicionamento do partido no debate e na disputa no Estado.

5 – Registramos que, como é natural, todas as lideranças pernambucanas presentes a essas reuniões externaram a sua plena sintonia com os esforços nacionais para construir uma aliança eleitoral, sem que qualquer um manifestasse alguma discordância a respeito.

6 – Registramos, assim, que por razões políticas e estatutárias estamos convocados todos, dirigentes e militantes, a observar e a fazer cumprir a decisão da Executiva Nacional, mantendo a nossa identidade e a nossa convergência em torno do projeto nacional do PT, da nossa Direção e da ampliação do apoio partidário à candidatura vitoriosa de Lula Presidente, à sua libertação e à derrota da agenda anti-nacional, anti-povo e fracassada do golpe de 2016.

7 – Amanhã realizaremos o nosso Encontro Estadual, com 300 delegados e delegadas. Convocamos ao debate maduro e democrático e, ao final, à construção de convergências para, sob a liderança de Lula e da nossa Direção Nacional, superarmos as enormes dificuldades impostas ao Povo Brasileiro e ao País e, em especial, aquelas impostas ao ex-presidente Lula, que vem enfrentando, com muita força e admirável coragem, as maiores e as mais injustas dificuldades sofridas por qualquer petista ou brasileiro(a) e, com essa sua resistência, dando um exemplo estimulante e nos motivando a preservar a nossa unidade e a vencer as forças do atraso.

#LulaLivre

#Lula Inocente

# Lula Presidente

Recife, 01 de agosto de 2018

COMISSÃO EXECUTIVA ESTADUAL DO PT-PE

PARTIDO DOS TRABALHADORES

DIRETÓRIO REGIONAL DE PERNAMBUCO

PRESIDÊNCIA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES DE PERNAMBUCO

Rua Gouveia de Barros 124 – Santo Amaro – CEP 50100-030

Recife-PE – Fone/Fax (81) 3038.1007 / ptpepresidencia@gmail.com.br

Ministro Luiz Fux

                          Ministro Luiz Fux Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, considerou nesta quarta (1º) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está inelegível. A afirmação do ministro consta na decisão na qual ele rejeitou um pedido de um cidadão para barrar a candidatura do ex-presidente antes mesmo do período de registro, que termina em 15 agosto.

Embora tenha rejeitado o pedido do advogado por entender que o profissional não pode contestar o registro de candidatura, Fux reconheceu a inelegibilidade, mas disse que não pode decidir sobre a questão. “Não obstante vislumbrar a inelegibilidade da chapa do requerido, o vício processual apontado impõe a extinção do processo”, decidiu Fux.

Leia também:
Fachin defende celeridade para definição de situação eleitoral de Lula
Dodge pede ao STF para manter Lula preso e defende pena alta

Lula é pré-candidato à Presidência da República, mas pode ser barrado pela Lei da Ficha Limpa devido à condenação na segunda instância. No entanto, a inelegibilidade não é automática, e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precisa analisar o pedido para Lula concorrer. De acordo com o PT, o pedido de registro será feito no dia 15 deste mês, último dia previsto no calendário eleitoral.

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na segunda instância da Justiça Federal, o que o enquadra nos critérios de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa. Ele recorre em instâncias superiores contra a condenação.

Inaldo Sampaio

                                               Inaldo Sampaio Foto: Colunista

O PT pernambucano decidirá hoje se faz aliança com o PSB ou se disputa o governo estadual com a vereadora Marília Arraes. Se aprovar a aliança, o senador Humberto Costa disputará a reeleição na chapa da Frente Popular. Se optar por chapa própria, Marília Arraes será candidata a governadora com apoio de mais dois partidos: Avante (do deputado Sílvio Costa) e PROS (do deputado João Fernando Coutinho). Marília cresceu assustadoramente nas últimas semanas e sua candidatura passou a ser encarada pelo PSB como uma ameaça real à reeleição de Paulo Câmara. Daí a pressão que o PT nacional passou a sofrer do PSB pernambucano para tirá-la do páreo de qualquer jeito. Divulgou-se, inclusive, que se a vereadora fosse “rifada” o PSB sacrificaria o seu candidato ao governo de Minas, Márcio Lacerda, para apoiar o governador petista Fernando Pimentel, fato que foi desmentido pelo próprio Lacerda. E ontem se divulgou também que a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, teria dito à própria Marília que procurasse outra coisa pra fazer porque sua candidatura estava “rifada”. Isso obrigou a vereadora a gravar um vídeo, divulgado nas redes sociais, classificando a notícia de “ataque especulativo” a sua candidatura. A decisão sairá hoje e prevê-se um brutal enfrentamento entre os partidários do senador, favorável à aliança, e os defensores de Marília. O senador representa o “velho PT”, que se reveza no comando da burocracia partidária há 30 anos, enquanto Marília encarna a renovação de que tanto o partido se ressente para dar uma sacudida nos seus quadros, envelhecidos ao longo do processo.

O que acha Lula disso tudo?

Não se sabe a posição de Lula sobre o que o PT deve fazer em Pernambuco nas próximas eleições. Sabe-se apenas que o “chefão” do partido às vezes dá murro em ponta de faca. Em 1998, por exemplo, ele obrigou o comando nacional a anular a convenção do PT-RJ que havia lançado a candidatura do ex-líder estudantil Vladimir Palmeira ao governo daquele Estado.

O suicídio > Palmeira foi tirado da disputa, à força, para que o PT apoiasse Garotinho, exigência feita por Brizola em troca do apoio do PDT à candidatura de Lula para presidente. Resultado: de lá para cá (já faz 20 anos) o PT nunca mais aprumou o passo naquele Estado.

O confronto > Outra pisada de bola do PT ocorreu em Fortaleza na eleição municipal de 2004. As direções estadual e nacional do partido recomendaram apoio ao então candidato do PCdoB, Inácio Arruda. Luizianne Lins (PT) desafiou ambas, saiu candidata e ganhou a eleição.

O capital > Caso o PT pernambucano rejeite a candidatura de Marília Arraes, o capital político que ela acumulou até agora não irá para Paulo Câmara (PSB), por razões óbvias. Reforçaria o palanque do senador Armando Monteiro (PTB). Aliás, Marília o apoio na eleição de 2014.

O plebiscito > Se eventualmente Marília Arraes (PT) ficar fora da disputa estadual, teremos em Pernambuco uma eleição plebiscitária: governo x oposição. Se o governo tiver alta taxa de aprovação no final de setembro, ótimo para Paulo Câmara! Se não, ele pode se complicar.

Anvisa

                                            Anvisa Foto: Divulgação/Anvisa

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a inclusão de indicação terapêutica do medicamento Xtandi (enzalutamida) para o tratamento de homens com câncer de próstata não metastático resistente à castração. O produto será comercializado na forma farmacêutica de cápsula gelatinosa, com concentração de 40 miligramas (mg).

produto tem registro na Anvisa desde dezembro de 2014, com indicação aprovada como antineoplásico para o tratamento de câncer de próstata metastático resistente à castração, em adultos que são assintomáticos ou ligeiramente sintomáticos, após falha de terapia de privação androgênica. Também tem uso aprovado para tratamento de câncer de próstata metastático resistente à castração em adultos que já tenham recebido terapia com docetaxel.

Leia também:
Anvisa suspende venda e uso de lote de remédio para esquizofrenia
Anvisa aprova registro de medicamento para tratar fibrose cística

Segundo a agência, estudos realizados pela indústria apontam que o Xtandi apresentou melhora na sobrevida livre de metástases. Testes indicaram que o medicamento reduziu em 70,8% o risco de agravamento da doença quando comparado ao placebo, além de ter aumentado a mediana da sobrevida livre de metástases de 14,7 meses (no grupo placebo) para 36,6 meses no grupo da enzalutamida (diferença de 21,9 meses).

Tratamento
Após a avaliação inicial e diagnóstico de câncer de próstata, a maior parte dos homens passa por tratamento local primário, com intenção curativa. A terapia de privação androgênica, por meio da castração cirúrgica ou medicamentosa, é frequentemente iniciada em homens com aumento do antígeno prostático específico, depois da realização de terapia primária.

Após a terapia de privação androgênica, o próximo estado clínico mais frequente no atual modelo de progressão da doença é o câncer de próstata resistente à castração. Homens com este quadro podem ter doença metastática ou não-metastática.

Reservatório de Sobradinho

                               Reservatório de SobradinhoFoto: Divulgação/Chesf

Em publicação no Diário Oficial da União de ontem, foram divulgados os valores da vazão mínima de água a ser liberada pelos reservatórios de Sobradinho e Xingó no Rio São Francisco. A Agência Nacional de Águas (ANA) autorizou a prorrogação do mínimo de 550 metros cúbicos por segundo (m³/s) ao dia, menor patamar médio já liberado. A medida, que vai valer até o dia 30 de novembro deste ano, foi necessária para assegurar que a água dure o máximo de tempo possível, já que a região sofre uma seca severa desde 2012.

Para conter essas dificuldades nas condições hídricas, a ANAvem autorizando a redução na vazão mínima abaixo de 1.300m³/s ao dia, a ser praticada pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Ainda segundo a companhia, está liberado 523m³/s para descargas instantâneas, ou seja, para usos pontuais. “A partir de então, as defluências mínimas desses reservatórios têm sido reduzidas gradativamente, conforme verificada a necessidade de adequação às condições climáticas mais severas e sempre buscando garantir a segurança hídrica na bacia”, informou a ANA.

De acordo com o especialista em recursos hídricos, João Suassuna, a medida é um “freio” para o uso de irrigação a partir da água do rio. “Estão sendo feitos usos de forma exacerbada dos principais aquíferos. Ou seja, estão retirando muita água do subsolo e chegando pouca água nos reservatórios”, explicou o especialista, ao complementar que a redução na vazão mínima é importante. “Se não tivesse esse controle, a situação estaria pior porque o uso da água seria ainda maior”, acrescentou.

Leia também:
Seca na região do São Francisco deve continuar nos próximos meses
Manga do Vale do São Francisco aporta na África do Sul

Segundo a ANA, “cabe à Chesf informar as populações das cidades ribeirinhas do Baixo e Submédio São Francisco sobre as reduções de vazão”. A primeira redução da vazão ocorreu em 2013, que foi de 1.300m³/s para 1.100m³/s. Após avaliações de impactos na bacia, a Agência autorizou efetivamente a partir de outubro do ano passado a média de 550m³/s.

Roteador de internet

                                              Roteador de internet Foto: Pixabay

Já pensou em chegar em casa e não conseguir acessar a internet? Parece algo difícil hoje em dia, não é? Mas não é bem assim. Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) revelam que essa ainda é a realidade de 14% da população brasileira. Isto é, mais de 29 milhões de pessoas continuam sem o serviço de banda larga fixa no País. E elas estão, sobretudo, no Norte/Nordeste. Por isso, a Anatel está reunindo sugestões de políticas públicas que possam contribuir com a democratização desse serviço nos próximos quatro anos.

Leia também:
Nubank, OLX, Uber e Netflix: evento em SP debate experiência do consumidor digital
51% dos lares no Nordeste seguem sem internet
Maioria dos brasileiros acessa internet pelo celular

Segundo a Anatel, as propostas podem ser enviadas até o próximo dia 9 e serão levadas em conta na elaboração de um grande relatório sobre o setor de telecomunicações brasileiro. É o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT-2018), que está sendo desenvolvido há quase dois anos e terá a versão final apresentada neste ano, junto com sugestões para os próximos governantes de como melhorar o acesso à internet no País. “A ideia do PERT é ter um diagnóstico da situação da banda larganacional. Mas, além desse levantamento de informações, o plano apresenta algumas possíveis soluções para esse problema. Então, poderá servir de subsídio para as políticas públicas do Governo Federal”, explicou o gerente de universalização da Anatel, Eduardo Jacomassi.

Jacomassi contou ainda que esse levantamento está sendo atualizado, mas já indica uma falta considerável de conectividade no Norte/Nordeste. É que 2.345 municípios sem acesso à internet por fibra ótica foram identificados no interior do Nordeste, na região amazônica e no norte de Minas Gerais, o que representa 14% da população brasileira. Por isso, entre as sugestões do PERT-2018, estão alternativas que buscam acabar com essa “exclusão virtual” até o ano de 2022. A ideia inicial é cobrir 75% desses municípios, ou 95% dessa população, com cabos de fibra óptica, que garantem uma transmissão mais veloz dos dados. Já os outros municípios devem ser conectados via rádio de alta capacidade.

“Essas regiões têm mais deficiência da infraestrutura que dá suporte à prestação do serviço de banda larga. E isso acontece porque, como têm uma população pequena e normalmente de baixa renda, os pequenos municípios ainda não foram atendidos pelo mercado. É preciso, então, que o governo estimule a chegada da rede nesses locais”, defendeu Jacomassi, dizendo que essas informações iniciais já foram enviadas para o Ministério de Ciência e Tecnologia. Ainda há a expectativa de que esses dados também orientem os próximos investimentos privados do setor de telecomunicações. Por isso, sugestões empresariais também foram colhidas nessa quarta-feira (1º), em audiência pública, em Brasília.

O deputado estadual Eriberto Medeiros é o novo presidente da Alepe

O deputado estadual Eriberto Medeiros é o novo presidente da AlepeFoto: Divulgação

O deputado Eriberto Medeiros (PP) foi um consenso entre o seu partido e o PR para ser indicado, eleito e conduzido à presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Depois de uma articulação feita pelo presidente estadual do PP, deputado federal Eduardo da Fonte.

“Agradeço ao pastor Cleiton Collins pelo gesto de abrir mão da disputa interna do PP em busca de um consenso e ao presidente do partido, deputado Eduardo da Fonte, que de forma democrática ouviu os membros do partido”, disse Medeiros.

Leia Mais: Eriberto Medeiros será candidato à presidência da Alepe

O presidente eleito teve 40 votos, com 6 votos nulos e outros 2 em branco. Nos bastidores, comenta-se que os votos em branco poderiam ter vindo de PSB e PSD , que estariam insatisfeitos com a escolha. O deputado Edilson Silva (PSOL) representou a única candidatura de oposição.

Eriberto Medeiros terá 51 cargos disponíveis em relação à antiga presidência, do deputado Guilherme Uchoa – falecido em 3 de julho.

40 votos para Eriberto Medeiros
6 votos nulos
2 em branco