Júnior Cavalcanti

Armando Monteiro

                        Armando Monteiro Foto: Arquivo Folha

A menos de uma semana da eleição, entre os fatores que pesam aos olhos de integrantes da coligação Pernambuco Vai Mudar aparece a seguinte variável: em Pernambuco, Armando Monteiro Neto consegue tanto reunir votos entre os eleitores do presidenciável Fernando Haddad, como também alcança aqueles que votam em Jair Bolsonaro. O petista e o capitão reformado polarizam na disputa presidencial, cenário que se repete quando o universo se resume ao Estado. Pesquisa Ibope, divulgada ontem, apontou o postulante do PSL subindo quatro pontos, atingindo 31% (tinha 27%). Haddad pontuou 21% (tinha 21%). Pela amostra, Bolsonaro marca 10 pontos à frente do petista, a despeito da mobilização #EleNão, realizada no último sábado em vários estados e no exterior. Até o momento, pela pesquisa, o ato não teve o efeito de inibir o crescimento do presidenciável. De outro lado, a rejeição do petista saltou de 27% para 38%. Bolsonaro manteve sua rejeição em 44%. Dada a conjuntura, um aliado de Armando Monteiro, em reserva, adverte: “Ele não quer entrar nesse debate. Seria um erro mortal”. E acrescenta: “Se ele declarar, perde tudo isso (simpatias dos dois lados)”. Nas hostes da Pernambuco Vai Mudar, os nomes ventilados para receberem apoio seguem desidratando, a exemplo de Marina Silva, que pontua 4% (tinha 6%) e de Ciro Gomes, com 11% (tinha 12%). “Ele não vai mais declarar voto no 1º turno”, assegura outra pessoa próxima ao petebista.

Na reta final, petista entra na mira
Se o embate mais duro na corrida pelo Senado em Pernambuco se dava entre os deputados federais Mendonça Filho e Jarbas Vasconcelos, na reta final da campanha, o petista Humberto Costa entrou na mira dos disparos. A ofensiva deu-se no tempo dos dois candidatos ao Senado da coligação Pernambuco Vai Mudar, Bruno Araújo e Mendonça Filho.

Direito… > A propaganda, levada ao ar no sábado, cita a Operação Lava Jato, diz que Humberto recebeu R$ 591 mil para campanha e que vai ser julgado por Sérgio Moro. No TRE, ontem, o jurídico da Frente Popular conseguiu direito de resposta. 

…de resposta > Carlos Neves, que está à frente do jurídico da Frente Popular, observa: “A PF pediu arquivamento. O MP pediu prosseguimento, mas nem, sequer, ele é denunciado, processado, não vai ser julgado”. Segundo ele, foi dado direito de resposta nos tempos destinados a Mendonça Filho e a Bruno Araújo. 

Mutirão > No TRE ontem, deu-se a sessão mais longa desse período eleitoral. Foi de 9h às 19h com uma hora de almoço. Havia 67 processos na pauta dada a urgência, uma vez que o horário eleitoral já se encerra na quinta.

Foco >
 O deputado Jarbas Vasconcelos concentra a última semana da corrida pelo Senado na Região Metropolitana. No fim de semana, percorreu seis cidades do Agreste em um dia e meio. 

Aposta 1 > O PPS aposta muito na eleição de Karla Falcão para a Assembleia Legislativa. Ela é a investida também de movimentos como Acredito, Renova Br e Livres, que pregam a renovação.

Aposta 2 > Ontem, o apresentador da TV Globo, Luciano Huck, que chegou a cogitar filiar-se ao PPS, doou R$ 5 mil para candidatura de Karla Falcão, cujo comitê, em Casa Forte, foi atacado na semana passada. 

Mobilização > Raul Henry comanda grande encontro de mobilização “Tô com Raul na reta final”, amanhã, às 19h, no Paço Alfândega. Presidente do MDB no Estado, Henry, que foi vice-governador de Paulo Câmara, concorre a uma vaga na Câmara Federal.

Inaldo Sampaio

                                    Inaldo Sampaio Foto: Colunista

A TV Globo realiza hoje (22h) o seu tradicional debate entre os principais candidatos ao Governo de Pernambuco. Telespectadores que se dispõem a ficar acordados até a meia noite estão na expectativa de ouvir o que irão dizer os candidatos Paulo Câmara e Armando Monteiro, que são os dois primeiros colocados nas pesquisas de opinião. Paulo prega a continuidade do governo, que teria se iniciado, diz ele, com Miguel Arraes e Eduardo Campos, sempre dando prioridade “aos que mais precisam”. Já Armando prega a mudança dizendo que a Frente Popular está no poder há 12 anos, e que Paulo Câmara, embora tenha sido eleito pelos pernambucanos como forma de “homenagear” Eduardo Campos, “não está à altura do cargo” que ocupa e por isso fez Pernambuco perder “vez e voz” no cenário nacional. “Se você não mudar, fica tudo como está”, é o mantra da coligação de Armando. Paulo sempre esteve à frente nas pesquisas, mas quando se soma os votos de Armando com os outros candidatos da oposição, há empate técnico no limite da margem de erro. Por isso, o debate de hoje será importante para consolidar a vitória de Paulo no primeiro turno, ou levar a disputa para o segundo, dependendo do desempenho dos candidatos. Em todo caso, não custa lembrar que debate político nunca definiu uma eleição em Pernambuco. Se o de hoje alterar o cenário, terá sido a primeira vez.

DER diz para que serve 

Em resposta à nota da coluna dizendo que os distritos regionais do DER “não servem para nada”, a assessoria do órgão informa que no atual governo foram investidos R$ 700 milhões em implantação, pavimentação, restauração e duplicação de rodovias, entre elas a PE-160 entre Pão de Açúcar a Santa Cruz do Capibaribe. E que o papel dos distritos é fiscalizar essas obras.

Fala, Pedro! >
 Pedro Campos representou o irmão, João, candidato a deputado federal pelo PSB, numa grande carreata que houve domingo em Santa Cruz do Capibaribe promovida pelo deputado Diogo Moraes (PSB). João estava com a agenda cheia e o irmão foi representá-lo.

Pró Ciro > O advogado e candidato a deputado estadual Antônio Campos (Podemos) irá amanhã ao Camelódromo, no centro do Recife, participar de uma conversa com os vendedores ambulantes e pedir votos para ele, Armando Monteiro (PTB) e Ciro Gomes (PDT).


Agora, não! >
 Priscila Krause (DEM) publicou vídeo nas redes sociais dizendo que, por causa do calendário eleitoral, a Compesa adiou o anúncio do reajuste da tarifa de água e esgoto para depois das eleições. Lembra que o Brasil viu esse filme no governo Dilma e que o resultado foi desastroso.

Que saudade! > João Paulo deixou o PT em abril deste ano e se filiou ao PCdoB para ser candidato a deputado estadual, mas não esquece o antigo partido. Hoje, em companhia do senador Humberto Costa (PT), fará uma visita ao mercado de Casa Amarela atrás de votos. 

Da terra > Kaio Maniçoba (SD) e Rodrigo Novaes (PSD), filhos de Floresta, deverão ser majoritários no município. O primeiro é deputado federal e o segundo estadual. Rodrigo não faz dobradinha com Kaio, e sim com Felipe Carreras (PSB), que é desconhecido no município.

Tentativa de roubo de avião com dinheiro

           Tentativa de roubo de avião com dinheiro Foto: divulgação/PMBA

Polícia Federal (PF) pediu um exame de DNA para confirmar se um homem preso na sexta-feira fez parte da investida contra o avião de valores em Salgueiro, na última quinta-feira (27), onde seis criminosos foram mortos e outros dois ficaram feridos. “Ele deu entrada no hospital na sexta com um tiro no abdômen, sem conseguir explicar como foi atingido. Isso levantou suspeitas e foi pedido o exame de DNA para confrontar com os vestígios de sangue colhidos na cena do crime”, explicou o assessor de imprensa da PF, Giovani Santoro. Além disso, Pablo Silva Sena, de 22 anos, é natural da Bahia, de onde era a maioria dos envolvidos que morreram durante o confronto com a PF.

O jovem deu entrada no Hospital de Bezerros e chegou a ser levado para o Hospital Regional do Agreste. Ao checar seus antecedentes criminais, foi constatado que ele possuía um mandado de prisão em aberto por homicídio na Bahia, motivo pelo qual ele está preso no Centro de Observação e Triagem em Abreu e Lima (Cotel) à disposição da Bahia. “Agora, não temos confirmar com certeza que ele fez parte da investida. Mas por conta das evidências, foi colhido sangue pelos peritos federais para checar se há ligação”, continuou Giovani Santoro, informando, ainda, que não há previsão para a divulgação do resultado. As testemunhas também serão chamadas para reconhecimento por foto. 

Além dos seis mortos, quatro suspeitos já haviam sido presos após a ação criminosa e outros dois foram detidos pela Polícia Militar, em Izacolândia, distrito de Petrolina. A quadrilha era investigada pela Polícia havia três anos, por prática de assaltos a banco e carros-fortes na região que compreende a divisa dos estados da Bahia e de Pernambuco

O trabalho da PF resultou na megaoperação, ao lado da Polícia Militar dos dois estados, do último dia 26, quando foi impedido o ataque ao avião. Também é investigada a ligação da quadrilha com facções criminosas, já que foram encontrados seis fuzis AK-47 e uma metralhadora ponto 50, de uso exclusivo das Forças Armadas.

Fernando Haddad (PT) subiu 3 pontos em relação à última pesquisa

Fernando Haddad (PT) subiu 3 pontos em relação à última pesquisa Foto: Juca Varella / Divulgação

presidenciável Fernando Haddad (PT) afirmou em comício na noite desta segunda-feira (1°), no centro do Rio de Janeiro, que continuará procurando qualquer forma jurídica de libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso em Curitiba desde abril.

Haddad também acenou às mulheres e fez ataques diretos a Jair Bolsonaro (PSL), que segue em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência.

O candidato do PT disse que toda segunda-feira, quando visita Lula, sente que “eles” ficam incomodados.

“Vou ver todas as formas jurídicas de ajudar o Lula porque o Lula está preso injustamente e todo mundo sabe disso”, afirmou. “Ficam querendo dar uma roupagem de legalidade para uma tamanha arbitrariedade como essa.”

Haddad também atacou a Rede Globo, afirmando que o povo não é teleguiado pela emissora. “Se no Brasil só tem a voz da Globo, temos cada um a própria voz e autonomia para julgar o que é certo e o que é errado.”

comício ocorreu na Cinelândia e contou com a presença de artistas como a atriz Bete Mendes e o diretor de teatro José Celso Corrêa. O petista deu início ao discurso criticando o que vê como uma conduta dos aliados de Bolsonaro de ofender as mulheres. 

Citou a declaração de seu vice, o general Hamilton Mourão, que relacionou a violência com a ausência de figuras masculinas nas famílias. Também lembrou do filho de Bolsonaro, Eduardo, que afirmou que as mulheres de direita são mais bonitas e higiênicas do que as de esquerda.

“Fico pensando no que passa na cabeça dessas pessoas para fazer política ofendendo as mulheres”, disse, acrescentando que elas “carregam o país nas costas” com quatro jornadas de trabalho diárias. Neste momento, Haddad fez uma reverência a Ana Estela, sua mulher, que o acompanhou no comício.

Também em ataque a Bolsonaro, o petista afirmou que a saída para o Brasil não passa pelo armamento da população. “Não queremos mãos armadas, queremos livro numa mão e carteira assinada na outra.”

Resumindo sua fala, que durou cerca de 15 minutos, Haddad despediu-se com quatro palavras: “Ele não, Lula livre!”.

O Ibope divulgou nesta segunda-feira (1º) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 3.010 eleitores entre sábado (29) e domingo (30).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na quarta-feira (26):

Bolsonaro passou de 27% para 31%;

Haddad se manteve com 21%;

Ciro oscilou de 12% para 11%;

Alckmin se manteve com 8%;

Marina foi de 6% para 4%;

Os indecisos foram de 7% para 5% e os brancos ou nulos, de 11% para 12%.

Rejeição

O Instituto também perguntou: “Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?”.

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:

  • Bolsonaro: 44%
  • Haddad: 38%
  • Marina: 25%
  • Alckmin: 19%
  • Ciro: 18%
  • Meirelles: 10%
  • Cabo Daciolo: 10%
  • Eymael: 10%
  • Boulos: 10%
  • Vera: 9%
  • Alvaro Dias: 9%
  • Amoêdo: 8%
  • João Goulart Filho: 7%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 6%

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da rejeição na intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da rejeição na intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – evolução da rejeição na intenção de voto para presidente — Foto: Arte/G1

Simulações de segundo turno

  • Ciro 45X% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 13%; não sabe: 3%)

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Ciro x Bolsonaro. — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Ciro x Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Ciro x Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

  • Alckmin 42% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Alckmin e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Alckmin e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Alckmin e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

  • Haddad 42% x 42% Bolsonaro (branco/nulo: 14%; não sabe: 3%)

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Haddad e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Haddad e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Haddad e Bolsonaro. — Foto: Arte/G1

  • Bolsonaro 43% x 38% Marina (branco/nulo: 17%; não sabe: 2%)

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Bolsonaro e Marina. — Foto: Arte/G1Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Bolsonaro e Marina. — Foto: Arte/G1

Pesquisa Ibope – 1º de outubro – simulação de 2º turno entre Bolsonaro e Marina. — Foto: Arte/G1

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 3.010 eleitores em 208 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 29 e 30 de setembro
  • Registro no TSE: BR- 08650/2018
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”
  • nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
  • 0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Fiscais da Justiça Eleitoral apreenderam no comitê do PSB, na cidade de Moreno, Região Metropolitana, material irregular, constando a imagem de Lula como candidato à Presidência da República, o que contraria uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As peças recolhidas foram levadas para a Justiça Eleitoral em Pernambuco.

“Recebemos a informação deste material ilegal e acionamos a Justiça. Obtivemos o mandado de busca e apreensão e ao chegarmos ao comitê, com os fiscais do TRE, encontramos as provas”, afirmou o advogado André Jales, que denunciou à Justiça o crime da coligação de Paulo e acompanhou a ação. Jales é advogado da coligação Pernambuco Vai Mudar.

No comitê, situado na rua Cleto Campelo, número 3299, foram encontrados 189 mil santinhos, distribuídos em sete caixas diferentes, cerca de 1.500 praguinhas, 200 cartazes, 500 folhetos e um adesivo perfurado para carro, todos indicando Lula como candidato a presidente, de maneira ilegal, e com Fernando Haddad como vice. A campanha de Paulo será multada em R$ 100 mil por insistir no crime eleitoral e a punição pode resultar inclusive na cassação da candidatura, diz a Coligação adversária em nota.

 O termo de apreensão foi assinado pela juíza Ana Carolina Avelar Nunes, da 14ª Zona Eleitoral. Semana passada a coligação Pernambuco Vai Mudar denunciou prática idêntica, com distribuição de panfletos e cartazes no bairro de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife.

Naquela ocasião havia uma equipe de campanha do PSB coordenada por Luiz Rafael de Araújo, cargo comissionado da Prefeitura do Recife, que atuava como cabo eleitoral em dia de semana, por volta das 11h30, em pleno horário de expediente. “Trata-se de um fato grave e reincidente, que precisa ser punido de maneira exemplar, para que não volte a acontecer”, disse André Jales.

O apresentador Luciano Huck (PPS) faz doações para campanhas de correligionários

O apresentador Luciano Huck (PPS) faz doações para campanhas de correligionáriosFoto: Reprodução/ Facebook

Ventilado para ser candidato à presidência da República pelo PPS, no início deste ano, o apresentador Luciano Huck continua se associando à política eleitoral. Desta vez, ele fez uma doação de R$ 5 mil para candidatura a deputada estadual em Pernambuco, Karla Falcão (PPS). Na semana passada, a postulante teve seu comitê eleitoral atacado durante a madrugada.

“Depois da tristeza com o ataque que recebemos no comitê, poder contar com um apoio de peso como esse regenera as esperanças para essa reta final de campanha”, comentou Karla. Ela é a única pernambucana a receber doação de Huck, mas o apresentador já realizou doações para o ex-ministro da Cultura e candidato a deputado estadual no Rio de Janeiro, Marcelo Calero (PPS), além do candidato a deputado estadual no Rio de Janeiro, Paulo Gontijo (PPS).

Ex-ministro Antonio Palocci

        Ex-ministro Antonio Palocci Foto: Lindomar Cruz/Agência Brasil

Em trecho de delação premiada divulgado nesta segunda-feira (1º), o ex-ministro Antonio Palocci afirma que as campanhas presidenciais do PT em 2010 e 2014, que elegeram a ex-presidente Dilma Rousseff, custaram até quatro vezes o valor declarado à Justiça Eleitoral. Segundo ele, a campanha de 2010 custou R$ 600 milhões, e a de 2014, R$ 800 milhões. Os gastos declarados, porém, foram de R$ 153 milhões e R$ 350 milhões, respectivamente.

Palocci, que foi ministro dos governos Dilma e Lula, afirmou que era um dos arrecadadores do PT, sendo responsável por tratar de “doações de grande porte junto aos empresários“. Essas doações, segundo ele, tinham, em sua maioria, origem ilícita, resultante da negociação de contratos e percentuais com o governo.

“Ninguém dá dinheiro para campanhas esperando relações triviais com o governo”, disse o ex-ministro petista, segundo o termo assinado com a Polícia Federal. Um dos esquemas de arrecadação seria a venda de emendas legislativas e medidas provisórias, de acordo com Palocci. Segundo ele, 90% das medidas provisórias propostas pelos governos petistas envolveram pagamentos de propina.

Os contratos de publicidade da Petrobras também envolveriam repasses de 3% ao PT. A própria proposta de nacionalizar a exploração do pré-sal, de acordo com Palocci, envolveu “um interesse social e um interesse corrupto“, já que atender aos interesses das empreiteiras nacionais facilitaria doações para as campanhas do PT. A delação de Palocci foi homologada em junho pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região. Lá tramita a apelação do ex-ministro contra sua condenação a 12 anos e dois meses de prisão imposta pelo juiz Sergio Moro, em 2017. 

Nesta segunda, foram tornados públicos os primeiros trechos do acordo. O acordo prevê o pagamento de indenização de R$ 37,5 milhões e que o bloqueio de bens seja suspenso para que a obrigação seja quitada. Ele está preso no Paraná há dois anos. Os termos do compromisso firmado também citam a possibilidade de uso das informações do ex-ministro em cinco casos sob apuração, incluindo um inquérito sobre a hidrelétrica de Belo Monte, um procedimento sobre a relação do grupo Schahin com o PT e uma outra apuração sobre a atuação da Petrobras na África.

O acordo difere dos demais da Lava Jato porque foi firmado com a Polícia Federal –anteriormente apenas o Ministério Público tinha essa prerrogativa.

Outro lado
Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, afirmou que a maneira como o juiz Sergio Moro agiu, ao levantar o sigilo das informações, reforça “o caráter político dos processos” relacionados ao ex-presidente. “Moro juntou ao processo, por iniciativa própria (‘de ofício’), depoimento prestado pelo sr. Antônio Palocci na condição de delator com o nítido objetivo de tentar causar efeitos políticos para Lula e seus aliados, até porque o próprio juiz reconhece que não poderá levar tal depoimento em consideração no julgamento da ação penal.

Soma-se a isso o fato de que a delação foi recusada pelo Ministério Público.”Para a defesa, o ex-ministro mentiu mais uma vez, “sem apresentar nenhuma prova”, para obter benefícios, como a possibilidade de perdão judicial.

Isadora Ferreira de Almeida, ex-companheira e apontada como mandante de matar o advogado

Isadora Ferreira de Almeida, ex-companheira e apontada como mandante de matar o advogadoFoto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

José Isaac Ferreira de Almeida e Isadora Ferreira de Almeida foram os mandantes do assassinato do advogadoAndré Ambróssio Ribeiro Pessoa ocorrido em Caruaru, Agreste do Estado, no último mês de julho. Eles são, respectivamente, ex-cunhado e ex-companheira da vítima, de acordo com informações dadas em coletiva realizada pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (1º), na Operação Patronus.

O crime foi executado por Ramon Reis da Silva, a pessoa que desceu do veículo e efetuou os disparos. Outras duas pessoas também estão envolvidas no crime, uma delas era o proprietário do veículo usado pelo assassino e o outro teria dado suporte na fuga do executor, assim como prestado informações sobre o horário em que o advogado deixaria a criança que estava no carro, que era filha do advogado com a ex-companheira.

De acordo com o delegado Rodolfo Barcelar, a motivação do crime teriam sido as ameaças que a vítima estaria fazendo aos mandantes, em face do envolvimento dos dois em um esquema de lavagem de dinheiro. O advogado também era sócio em algumas empresas com a ex-companheira.

“A motivação foi relacionada ao tipo de atividade que a vítima exercia junto com a ex-companheira, com quem mantinha sociedade em algumas empresas. O advogado estava tendo prejuízo financeiro, e por conta disso passou a fazer ameaças de que ia entregar a ex-companheira e o ex-cunhado, envolvidos em uma suposta lavagem de dinheiro”, contou o delegado.

O executor, Ramon Reis da Silva – que já se encontrava preso pela prática de outro homicídio – estava à espera do advogado em frente à casa que ocorreu o crime, acobertado por Emerson Henrique de Azevedo, conhecido como ‘Bê’ – que teria acompanhado a rotina do advogado e o horário em que ele retornaria para deixar a filha. 

Já José Jameson de Sales, o ‘Jairzinho’, era o proprietário do veículo utilizado na morte da vítima. Ele, junto com ‘Bê’, integram uma organização criminosa acusada de diversos assaltos na região. “Os dois são conhecidos pela prática de crimes em cidades como Cupira, por exemplo. E Ramon estava morando em Caruaru há pelo menos cinco meses. O trio passou a atuar juntos em Caruaru e outras cidades da região”, completou Barcelar. O ex-cunhado da vítima está foragido. Todos os envolvidos foram indiciados por diversos crimes, entre eles homicídio, emboscada e associação criminosa.

Leia também:
Corpo de advogado executado em Caruaru é sepultado no Recife
Polícia divulga vídeo que pode levar aos assassinos do advogado André Ambrósio
Família de advogado nega crime por herança 

Entenda o caso:

O advogado André Ambrósio Ribeiro da Silva foi executado no último mês de julho, no Loteamento Itamaraty, localizado na cidade de Caruaru, Agreste do Estado. Imagens de câmera de segurança mostraram o momento da execução, quando a vítima para o carro em frente a uma casa e tira a filha do veículo. 

Em seguida, um homem armado abordou o advogado, que entregou a criança a uma babá que também saiu do carro. Quando a mulher se afastou, a vítima foi obrigada a deitar no chão, sendo atingida por vários disparos na cabeça. O advogado morreu no local.

Desde 1989, as pesquisas eleitorais acompanham as eleições brasileiras.

Sempre polêmicas, elas despertam a curiosidade do público e a ira de quem duvida da real intenção delas, que teriam poder para manipular os eleitores e o mercado financeiro.

Coincidentemente, a divulgação de pesquisas eleitorais não é permitida no dia da eleição, justamente por influenciar de alguma forma o eleitor.

Embora as pesquisas muitas vezes não acertem os resultados finais, elas são amostras do comportamento do público em determinado momento. A forma mais apropriada de considerar os resultados das pesquisas como um possível resultado é analisando a curva de diversas pesquisas realizadas dentro de um período.

Nas eleições 2018, surgiram diversos debates a respeito de uma nova metodologia de pesquisa utilizadas por alguns institutos, entre eles DataPoder360 e Ipespe, que é a pesquisa eleitoral telefônica.

Embora esse método seja utilizado como principal em países desenvolvidos, no Brasil ainda existe uma grande resistência tanto dos indivíduos, que tendem a ter uma grande rejeição com ligações desse tipo – especialmente das ligações feitas por sistema automatizado (robôs) – quanto dos institutos de pesquisas presenciais, que afirmam que a pesquisa telefônica não representaria a real intenção dos eleitores, além de segregar os 10% da população brasileira que não possuem linhas telefônicas.

Porém, segundo Ricardo Zanlorenzi, diretor geral da Nexcore, empresa especialista em tecnologia da informação e comunicação empresarial, esse modelo pode ser interpretado de forma benéfica se forem analisadas questões como segurança, eficiência e baixo custo. “O sistema de pesquisa automatizada pode ou não utilizar inteligência artificial durante a ligação, onde o robô toma as decisões de acordo com a resposta do entrevistado considerando a base de dados que ele possui”, explica o especialista.

Ricardo acredita que esse modelo de pesquisa seria mais efetivo durante uma eleição de segundo turno, onde o usuário pode optar somente por duas opções, o que geraria maior aceitação dos participantes. Já numa pesquisa com 13 candidatos, o participante poderia falar o nome do candidato ou digitar o número no teclado do aparelho telefônico. Caso a pesquisa não seja efetivada corretamente, ela é considerada como insciente. Em pesquisas presidenciais realizadas pelo DataPoder360, por exemplo, foram realizados mais de 58 mil telefonemas, totalizando aproximadamente 10.500 entrevistas válidas. O número amplo deve-se pela busca do perfil demográfico correto em todas as regiões do Brasil.

No geral, as pesquisas telefônicas são uma forte tendência e já são utilizadas com pesquisas de público para diversos segmentos e interesses. “Elas custam em média 1/3 do valor de uma pesquisa presencial, efetivando o mesmo número de entrevistados. Os dados coletados são armazenados e criptografados, garantindo a segurança da informação e impedindo que um interceptador decifre a chave de acesso com rapidez e facilidade”, completa Zanlorenzi.

O deputado federal Jair Bolsonaro aguarda as eleições e caso seja confirmado sua vitória, uma das primeiras medidas seria fazer um teste de privatização com os presídios brasileiros. A ideia adotada em muitas cadeias chinesas é colocar o preso para trabalhar. Todos os presidiários aptos a exercerem atividades laborais, exercem funções para ajudar a pagar os custos com eles mesmos na cadeia.

Em troca do trabalho, cada cadeia tem um sistema diferente. Os presos podem trocar o trabalho por comida (além da tradicional servida diariamente), produtos de higiene pessoal, cigarro e etc. É até possível guardar quantias para quando deixar a prisão, facilitando a volta ao mercado de trabalho. É claro que o trabalho dos presos recebe um pagamento menor que os dos demais chineses. E não fiquem espantado, já que por lá uma pessoa normal, em liberdade, trabalha em média 12 horas por dia. Há muitos casos de chineses que morrem de tanto trabalhar em fábricas.

Tanto trabalho é explicado porque a China é muito populosa, com 1,3 bilhão de habitantes, o que faz a concorrência por trabalho ser maior, a comida ser menor e etc. #BOLSONARO também estudará outros modelos de privatização que deram certo no mundo, inclusive, alguns polêmicos, como a de hospitais. É uma forma do governo gastar o mesmo e oferecer um serviço melhor à população, pois teria meios de cobrança. Hoje a auto-fiscalização acaba não funcionando na prática e até os melhores hospitais federais são recheados de problemas.

Para terminar as medidas pós-impeachment, BOLSONARO dará uma turbinada nos programas sociais criados pelo Partido dos Trabalhadores, como o ‘Minha Casa, Minha Vida’ e o ‘Bolsa Família’. Outros dois devem ser criados, um para reforma de casas populares e outro para ajudar a “primeira infância”.

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu nesta segunda-feira uma nova decisão permitindo que o jornal “Folha de S. Paulo” entreviste o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba.

Na sexta-feira, Lewandowski tinha dado a autorização para a entrevista com o argumento de que a liberdade de imprensa deveria ser garantida. Horas mais tarde, o vice-presidente da Corte, Luiz Fux, revogou a liminar. O jornal recorreu e ganhou a liminar de volta.

“Reafirmo a autoridade da decisão que se busca preservar na presente reclamação, no sentido de garantir ao reclamante o direito constitucional de exercer a plenitude da liberdade de imprensa como categoria jurídica proibitiva de qualquer tipo de censura prévia, bem como o direito do próprio custodiado de conceder entrevistas a veículos de comunicação”, disse Lewandowski na nova decisão.

Mesmo depois de Lewandowski ter decidido a favor do jornal na sexta-feira, Fux proibiu a entrevista, atendendo a um recurso do Partido Novo. Na ocasião, o ministro explicou que a entrevista com Lula poderia afetar o processo eleitoral. Para ele, nesse caso, a liberdade de imprensa não deveria se sobrepor ao direito dos eleitores.

Na decisão desta segunda-feira, Lewandowski explicou que a suspensão de liminar decidida por Fux não tem, processualmente, poder para derrubar a primeira decisão dele:

“Ou seja, a aludida decisão não tem o condão de alcançar o decidido na presente reclamação e impedir que o ora reclamante exerça seu livre e pleno direito de imprensa e, bem assim, realize e publique entrevista jornalística com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva”, escreveu.

Lewandowski também afirmou que a decisão de Fux é “teratológica”, pois legitima “a atuação do presidente da Corte ou de outro ministro que lhe fizesse as vezes como revisor das medidas liminares ou mesmo de mérito proferidas pelos demais ministros, o que se afiguraria não só inusitado como francamente inadequado, justamente porque todos os integrantes da Casa compõem o mesmo órgão jurisdicional, não se podendo cogitar de qualquer hierarquia jurisdicional entre eles”.

Lewandowski também ponderou que a ação do Partido Novo chegou ao tribunal na sexta-feira à noite, e foi encaminhada ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que não estava em Brasília. Por isso o processo foi redirecionado ao vice – que, por sua vez, também não estava na capital federal. Lewandowski lembrou que o presidente deveria ter decidido, porque estava no país.

 Em Custódia, o grupo de vereadores de oposição ganharam nesta quinta feira 27, a adesão do vereador Ronny Barbalho (PC do B), que acabou rompendo sua aliança politica com o prefeito Manuca (PSD).
A confirmação foi passada ao blog pelo vereador Cristiano Dantas (PTB) que vem realizando um espetacular trabalho de articulação politica no vizinho município. Com essa união os vereadores de oposição se tornaram maioria, passando agora para um número de seis vereadores, deixando a eleição da mesa diretora do biênio 2019/2020 nas mão desse grupo formado agora por Cristiano Dantas (PTB), Gilberto Nunes (PRP), Didi de Quitimbu (PTB), Joãozinho Moura (PTB), Marcilio Ferraz (PP) e Ronny Barbalho (PC do B).
Ronny obteve nas eleições de 2016, o total de 1.085 votos, o equivalente a 5,20% dos votos válidos de Custódia, sendo o quinto vereador mais bem votado no município.