Júnior Cavalcanti

Ministro do STF Alexandre de Moraes

Ministro do STF Alexandre de MoraesFoto: Wikipedia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes aplicou multas de R$ 506,8 milhões a empresas de transportes que descumpriram decisão anterior sua para desobstruir estradas durante a paralisação dos caminhoneiros.

Leia também
Receita aproveita paralisação de caminhoneiros para arrecadar mais
Relator retira anistia a caminhoneiros multados durante paralisação
Grupo do iFood é multado em R$ 1 mi por desrespeito às leis trabalhistas

Em decisão nesta sexta (8), Moraes atendeu a um novo pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), que representa a Presidência da República. Essa é a terceira leva de empresas listadas pela AGU como descumpridoras da decisão do Supremo. Ao todo, já foram multadas 151 empresas. O valor total das multas supera R$ 700 milhões.

As transportadoras terão 15 dias para fazer o depósito das multas, conforme a decisão do ministro. “Não efetuado tempestivamente o pagamento voluntário, será determinada a penhora de bens dos executados, com prioridade para dinheiro depositado em instituição financeira”, escreveu Moraes.

As multas referem-se ao descumprimento de uma liminar concedida por Moraes no quinto dia de movimento dos caminhoneiros, a qual determinou o desbloqueio de rodovias em todo o país sob pena de multa de R$ 100 mil por hora.

Criminosos roubam malotes de carro-forte

                    Criminosos roubam malotes de carro-forte Foto: Cortesia/Whatsapp

Criminosos, fortemente armados, roubaram malotes de um carro forte da empresa de segurança Brinks. O crime aconteceu na manhã desta sexta-feira (8), pouco depois das 9h, no Shopping Recife, na Zona Sul da capital pernambucana.

Cerca de quatro homens, em uma Frontier, abordaram os vigilantes no centro de compras. Os malotes estavam sendo transportados para o Banco do Brasil. A quantia levada não foi divulgada. A agência permanecerá fechada nesta sexta.

O veículo utilizado no crime foi localizado no bairro do Ipsep. Ele será encaminhado ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), onde passará por perícia. Até o momento, ninguém foi preso.

Por meio de nota, o Shopping Recife informou que houve um assalto a um carro forte sem danos físicos a clientes e funcionários. A equipe de segurança do mall acionou a polícia, que está tomando as medidas cabíveis. O shopping está funcionando normalmente com todas as atividades.

A Prefeitura Municipal de Flores prepara a abertura do São João da cidade. Priorizando sempre a tradição, os artistas locais e as raízes das verdadeiras festas juninas, a abertura oficial do ‘Melhor São João’ começa nesta terça-feira dia 12 de Junho com mais de 20 atrações, entre apresentações culturais e musicais que estão garantidas pela organização, segundo nota.

“A gestão municipal quer neste ano de 2018 abrilhantar e valorizar cada vez mais os festejos juninos nos povoados e distritos da cidade, com isso, a Sede vai se agigantar com o Polo Junino e ramificar os arraiais da alegria para toda a população da zona rural”, diz a nota. Outra tradição é o Festival do Carro de Boi.

 “Preparamos com muito carinho uma programação que prioriza os nossos artistas locais, nossa cultura e nossas tradições. Vamos ter muito forró pé de serra, brincadeiras, comidas típicas, nosso festival do carro de boi, a tradicional caminhada do forró e o desfile de bacamarteiros”, disse a Secretária Lucila Amaral.

Durante o dia de hoje, o blog em parceria com o instituto Múltipla publicou inúmeros cenários para governo do Estado, Presidente,  poder de transferência, dentre outros inúmeros dados.

O Instituto realizou 600 entrevistas entre os dias 02 e 06 de junho, em todas as regiões do Estado, seguindo a estratificação do IBGE. A pesquisa foi registrada sob os números PE 02707/2018 e BR 04235/2018.

A pesquisa foi quantitativa, que consiste na realização de entrevistas pessoais, com aplicação de questionários estruturado junto a uma amostra representativa do eleitorado em estudo. Eleitorado do Estado da Pernambuco.

Utilizou-se o método de amostragem estratificada proporcional de conglomerados, selecionados com probabilidade proporcional ao tamanho (PPT) em três estágios. No primeiro estágio separam-se as mesorregiões do estado, usando-se o método PPT (probabilidade proporcional ao tamanho).

No segundo estágio, os conglomerados selecionados são os municípios com base no método PPT (Probabilidade proporcional ao tamanho). A medida de tamanho adotada para a seleção dos conglomerados, é a população residente das mesorregiões e municípios, de acordo com os dados censitários disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No terceiro e último estágio são definidas as cotas de sexo, idade, escolaridade e renda domiciliar, conforme informações estatísticas disponibilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O controle das cotas é feito pela equipe de supervisores e pesquisadores que compõe a pesquisa.

Perfil da amostra: Masculino 46,2%, Feminino 53,8%; 16 a 24 anos 16,8%, 25 a 34 anos 22,3%, 35 a 44 anos 21,0%, 45 a 59 anos 23,7%, 60 anos ou mais 16,2%; Até Fundamental completo 55,3%, Médio (completo e incompleto) 35,3%, Superior (completo e incompleto) 9,4%; Até 01 salário mínimo 73,2%, De 01 a 05 salários mínimos 24,8% e acima de 05 salários mínimos 2,0%.

A amostra é composta por 600 entrevistas aplicadas na população que tenha título de eleitor, more e vote no estado de Pernambuco e distribuída da seguinte forma: Capital 18,0%, Região Metropolitana 24,2%, Zona da Mata 14,6%, Agreste 25,2% e Sertão 18,0%. O intervalo de confiança estimado é de 95% para uma margem de erro para mais ou para menos de 4,1%.

O blog divulga com exclusividade os gráficos e dados da pesquisa: Veja clicando aqui.

Nill Júnior

Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

Do blog da Folha

Apoiadores da pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes (PT) ao Governo do Estado lançaram uma tese na qual defendem candidatura própria do PT para defender a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para presidente. O grupo também apoia a reunião marcada para o próximo domingo (10), no Sindicato dos Bancários.

Entre os signatários, a deputada estaual Teresa Leitão, o presidente licenciado da CUT-PE, Carlos Veras, o ex-deputado federal Fernando Ferro, e o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque.

No texto, os petistas afirmam que nenhum dos dois blocos que, hoje, se articulam eleitoralmente no Estado contemplam a classe trabalhadora, e que eles representam “duas faces do neoliberalismo que se uniram pelo impeachment” de Dilma Rousseff e que “se dividem agora no final desastroso do ilegítimo governo Temer”.

“O primeiro é liderado pelo atual governador Paulo Câmara (PSB) e que inclui o MDB de Jarbas, o PP de Eduardo da Fonte, o PSL de Luciano Bivar e Bolsonaro; e o segundo bloco, o da oposição de direita que inclui Armando Monteiro (PTB), Mendonça Filho (DEM), Bruno Araújo (PSDB) e Fernando Filho (DEM)”.

O grupo afirma que, por esses motivos, nenhum dos dois blocos tem condições de defender o projeto econômico e social democrático com prioridade para a maioria do povo de Pernambuco, “para defender Lula Livre e o legado do Partido dos Trabalhadores no Estado”.

O documento fala ainda na expectativa para que o PT lidere o projeto de esquerda pernambucana. “Nestas eleições isto significa apresentar candidatura própria como alternativa de poder no Estado de Pernambuco e somente com uma candidatura própria eleitoralmente viável e de esquerda, poderemos articular um programa democrático e popular”.

Eunício Oliveira

                      Eunício Oliveira Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pré-candidato à reeleição, o presidente do SenadoEunício Oliveira (MDB-CE), tem tirado proveito do cargo que ocupa para se promover. O senador, que vem cumprindo intensa agenda relacionada ao Ceará, se beneficia do acompanhamento diário dos veículos de comunicação do Legislativo e do direito de voar nos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Nas viagens semanais a Fortaleza (CE), onde tem residência, Eunício aproveita para participar de atos, como divulgação de investimentos, premiações e entrega de obras. Em Brasília, a bateria de eventos e anúncios em benefício ao Ceará são registrados na TV, rádio, agência e jornal do Senado. Os veículos oficiais têm a função de cobrir as atividades legislativas da Casa.

Nesta semana, o emedebista passou apenas dois dias inteiros em Brasília. Seja na capital federal ou no Nordeste, a programação de Eunício permitiu que ele participasse todos os dias de ao menos uma agenda positiva que tenha relação com seu eleitorado.

Leia também:
“Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis”, diz Eunício
Fachin prorroga inquérito contra Eunício e Rodrigo Maia

Na segunda-feira (4), em Fortaleza, o senador recebeu uma honraria da Associação dos Municípios do Estado do Ceará e depois embarcou em voo da FAB em direção a Brasília.

Na terça (5), levou o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e a equipe de comunicação do Senado ao Ministério da Fazenda. No local, acompanhou a assinatura de um contrato de empréstimo ao programa de turismo “Fortaleza Cidade com Futuro”.

O ato teve destaque na cobertura da TV Senado, da Rádio Senado e da Agência Senado, recebendo títulos como “Eunício comemora recursos para setores de serviço e de turismo de Fortaleza”.

“Fico muito feliz de estar aqui, ao lado do prefeito Roberto Cláudio, fazendo essa assinatura de quase R$ 300 milhões para a cidade de Fortaleza”, afirmou o senador em entrevista exibida na TV Senado.

No dia seguinte, Eunício colocou em pauta projeto que autoriza financiamento para obras de transporte em Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza. A aprovação ganhou uma chamada na capa da edição do Jornal do Senado, além da cobertura dos outros veículos da Casa.

“Maracanaú, no meu querido Ceará, vai receber mais de R$ 123 milhões nesse projeto e mais alguns outros valores. Eu estarei, se Deus quiser, na tarde de amanhã, na cidade de Maracanaú para entregar esse projeto aprovado e outros valores que alocamos para o município”, avisou Eunício, ainda durante a sessão, que é transmitida ao vivo.

Nesta quinta (7), cumprindo a promessa, o emedebista embarcou em voo da FAB para participar do evento no Ceará. Os presidentes do Senado, Câmara e Supremo têm direito a aviões da Força Aérea com destino às cidades onde moram. Não há restrição para o embarque de acompanhantes.

No caso de Eunício, as viagens costumam ser justificadas como “residência”, quando vai a Fortaleza, e “serviço”, quando retorna a Brasília.

Eunício

A assessoria de imprensa de Eunício Oliveira informou que a cobertura dos veículos de comunicação do Senado dá transparência às atividades parlamentares e de representação da Presidência da Casa. A equipe do senador acrescentou que os veículos não o acompanham em viagens ao Ceará.

“O uso de transporte oficial obedece a critérios de segurança de acordo com a legislação em vigor para os Presidentes de Poderes da República”, finalizou.

Conclusão do curso de Formação e Habilitação de Praças da PMPE

Conclusão do curso de Formação e Habilitação de Praças da PMPE Foto: Arthur Mota

edital do concurso público para o preenchimento de 500 vagas do cargo de praça da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) foi publicado na edição desta sexta-feira (8) do Diário Oficial do Estado. Segundo o documento, o período de inscrição será entre o próximo domingo (10) e 16 de julho. A remuneração inicial do policial militar formado é de R$ 2.819,88.

Os candidatos devem ter ensino médio completo, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres, carteira de habilitação categoria B e entre 18 e 29 anos. A taxa de inscrição no certame custa R$ 135. Os selecionados receberão bolsa-auxílio de R$ 1,1 mil durante os seis meses do curso de formação, que será aplicado no Campus de Ensino Metropolitano (Cemet I), localizado no bairro do Curado, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

Leia também:
Funase anuncia concurso com oito vagas e salário de R$ 3,4 mil
UFPE abre processo seletivo com 50 vagas para professor substituto

prova de conhecimentos será aplicada em 26 de agosto e os resultados, assim como a convocação para as etapas seguintes de exames médicos, de aptidão físicas e avaliação psicológica será em 12 de setembro.  O curso de formação, de responsabilidade da Secretaria de Defesa Social (SDS) deverá começar após março de 2019. O concurso terá validade de dois anos a partir da data da primeira homologação do resultado final. Serão chamados os 500 candidatos melhores classificados na primeira fase e aptos em todas as demais fases da primeira etapa.

O Instituto de Apoio à Fundação Universidade de Pernambuco (IAUPE) é responsável pela execução do certame. Do total de 500 vagas, 25 serão destinadas a pessoas com deficiência, o equivalente a 5%, conforme previsto na Constituição Federal.

O Ministro José Roberto Barroso

Comentando em entrevista ao comunicador Anchieta Santos no programa Cidade Alerta, da  Cidade FMo parecer do MPF pela cassação da chapa Sebastião Dias e Zé Amaral em Tabira, o advogado da coligação Clênio Pires disse que os seus clientes receberam a notícia com tranquilidade.

“O MPF está revestido da máxima pela acusação e esquece que existe para fazer justiça” – disse o advogado.

Ao comentar a mão pesada do Ministro Barroso que será o relator do processo no TSE, acrescentou que “cada cabeça é um mundo” e que em casos semelhantes, o mesmo ministro já se posicionou pela manutenção do diploma.

O advogado concluiu dizendo que mesmo se o resultado foi adverso, a chapa percorrerá outros caminhos com novos recursos. A produção do programa não conseguiu ouvir o Advogado César Pessoa pelo lado da coligação de Nicinha e Genedy Brito.

No cenário sem Lula, quadro é de muita indefinição, segundo o Múltipla

O Instituto Múltipla também continuou querendo saber como anda a corrida para Presidente.

O ex-presidente Lula (PT) tem 53,66%, número menos que os 65,8% da pesquisa anterior, explicado pela percepção de parte das pessoas de que o ex-presidente de fato não deve disputar o pleito.

Depois dele, Jair Bolsonaro (PSL) tem 6,33%, seguido de Marina Silva (Rede), com 1,83%, Ciro Gomes, com 0,83%, Boulos, com 0,50%,  Álvaro Dias com 0,33% e Alckimin com 0,16%. Brancos, nulos, indecisos e pessoas que não sabem ou não opinaram somam 36,33%.

Na simulação sem Lula – o presidente está preso e deve ser barrado pela Lei da Ficha Limpa – a candidata da REDE Marina Silva tem 16,66%, seguida de Bolsonaro com 10,16%, Ciro Gomes (6%), Collor (3,66%), Geraldo Alckimin (3,33%), Rodrigo Maia (1,16%), Álvaro Dias (1,16%), Aldo Rebelo (0,83%), Manuela Dávila, João Amoedo, Boulos e Henrique Meirelles (0,33%).

Brancos e nulos somam 41,5%, indecisos 10,16% e pessoas que não sabem ou não opinaram somam neste cenário 3,83%. Brancos, nulos, indecisos e quem não sabe ou não opinou somam incríveis 55,49%.

Dado importante: 53% dos pernambucanos responderam que votariam “com certeza” no candidato que Lula eventualmente vier a apoiar, se porventura não for candidato, número maior que a amostragem anterior. Por outro lado, 50,33% votariam “com certeza” no candidato dele a governador.

A amostra foi composta por 600 entrevistas aplicadas na população que tenha título de eleitor, more e vote no estado de Pernambuco e distribuída da seguinte forma: Capital 18,0%, Região Metropolitana 24,2%, Zona da Mata 14,6%, Agreste 25,2% e Sertão 18,0%. O intervalo de confiança estimado é de 95% para uma margem de erro para mais ou para menos de 4,1%.

Sistema interno de controle e verificação: Para realização da pesquisa, utiliza-se uma equipe de entrevistadores e supervisores, contratados pelo Instituto. Todos devidamente treinados para execução do trabalho. Após a coleta das informações, 20% dos questionários aplicados foram submetidos à verificação de critérios, quanto a sua aplicação e adequação dos entrevistados ás variáveis das cotas amostrais. Veja dados técnicos:

Dados técnicos pesquisa PE 02707 2018 e BR 04235 2018

O Múltipla quis saber como está a corrida para o Senado em Pernambuco. Em um dos cenários,  o Deputado Federal Jarbas Vasconcelos (MDB) lidera, com 20,84% dos votos.

Em segundo lugar, empatados tecnicamente estão o Senador Humberto Costa (PT), com 12,67% e o Deputado Federal Mendonça Filho (DEM), com 10,84% dos votos.

Em seguida vem André Ferreira (5,07%),  Antonio Campos (3,52%), José Queiroz (3,09%), Sílvio Costa (2,95%), Júlio Lóssio (1,54%), Albanise Pires (0,56%), Eugênia Lima (0,56%) e Antonio Souza (0,14%).

Brancos e nulos somam 23,8%. Indecisos são 7,74%. Não sabem ou não opinaram 6,61%.

O Instituto realizou 600 entrevistas entre os dias 02 e 06 de junho, em todas as regiões do Estado, seguindo a estratificação do IBGE. A pesquisa foi registrada sob os números PE 02707/2018 e BR 04235/2018.

A amostra foi composta por 600 entrevistas aplicadas na população que tenha título de eleitor, more e vote no estado de Pernambuco e distribuída da seguinte forma: Capital 18,0%, Região Metropolitana 24,2%, Zona da Mata 14,6%, Agreste 25,2% e Sertão 18,0%. O intervalo de confiança estimado é de 95% para uma margem de erro para mais ou para menos de 4,1%.

Sistema interno de controle e verificação: Para realização da pesquisa, utiliza-se uma equipe de entrevistadores e supervisores, contratados pelo Instituto. Todos devidamente treinados para execução do trabalho. Após a coleta das informações, 20% dos questionários aplicados foram submetidos à verificação de critérios, quanto a sua aplicação e adequação dos entrevistados ás variáveis das cotas amostrais. Veja dados técnicos:

Dados técnicos pesquisa PE 02707 2018 e BR 04235 2018

Maconha

                                                              Maconha Foto: Pixabay

Os senadores canadenses aprovaram na noite desta quinta-feira (7) o projeto de lei que legaliza o consumo da maconha em todo o país, por 52 votos contra 30 e uma abstenção.

Leia também:
Maconha ganha apoio de políticos americanos

O projeto, modificado pelos senadores, será analisado agora pela Câmara de Representantes, dominada pelos liberais do primeiro-ministro Justin Trudeau, que fez da legalização da maconha uma promessa de campanha.

consumo da maconha deve estar liberado no Canadá antes do final do verão boreal.

Mosquito Aedes aegypti

                         Mosquito Aedes aegypti Foto: Foto/ Divulgação

Dois trabalhos recentemente publicados mostram que o complexo panorama relacionado à zika pode ser ainda mais grave: a infecção pode ser devastadora também se acontecer após o nascimento e não somente no desenvolvimento intrauterino, como já se pensou. Além disso, os danos podem se estender até a vida adulta. Ambas as publicações estão no periódico especializado Science Translational Medicine.

O trabalho de publicação mais recente saiu nesta quarta-feira (6) e é fruto do esforço de uma equipe de cientistas da UFRJ, da Unifesp e do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, no Rio.

Foram usados camundongos para mostrar que a infecção pelo vírus da zika poucos dias após o nascimento reduz permanentemente a força muscular dos animais, provoca o surgimento de crises epiléticas no curto prazo e aumenta a susceptibilidade a elas no longo prazo.

Leia também:
Pesquisa indica que vírus Zika cura tumor avançado no sistema nervoso
Brasileira ganha prêmio internacional por pesquisa sobre zika e Chagas

A memória e a sociabilidade dos bichos também são prejudicadas. “Sabemos que algumas infecções neonatais podem estar associadas a doenças que surgem muitos anos mais tarde, como esquizofrenia e autismo”, diz a neurocientista Julia Clarke, da UFRJ, uma das coordenadoras do estudo.

Ela conta que a principal motivação era entender o que se passa com as 90% de crianças infectadas com zika que nascem sem alterações grosseiras, como a redução do tamanho da cabeça ou más-formações nos membros.

Essas complicações mais graves são mais comuns em infecções que acontecem no início da gestação, mas o que Clarke e colegas mostram é que elas podem ser relevantes mesmo quando acontecem no final do período (quando o desenvolvimento cerebral humano é comparável ao momento da infecção dos camundongos no estudo).

Uma mortalidade de 40% afligiu os grupos de camundongos com zika; os sobreviventes tinham menor peso corporal e tamanho do cérebro reduzido. Cem dias depois da infecção, quando os animais já eram adultos, a quantidade de material genético do vírus permanecia elevada no cérebro, denunciando a atividade do patógeno.

A explicação para esse prejuízo neurológico seria uma permanente inflamação provocada pela replicação viral, algo que o organismo do roedor, assim como aparentemente acontece com o humano, tem dificuldade em solucionar.

Para testar a hipótese, os cientistas deram aos camundongos uma droga capaz de bloquear o TNF-alfa, molécula que participa de maneira importante do processo inflamatório.

“Agora que se sabe que a raiz dos danos neurológicos é a neuroinflamação causada pela intensa replicação do vírus no início da infecção, é possível buscar quem seriam os agentes responsáveis no organismo e atacá-los farmacologicamente”, diz a virologista da UFRJ Andrea Da Poian, também coordenadora do estudo.

A droga escolhida para tratar os bichos, infliximabe, já é usada para tratar outras doenças inflamatórias, como a doença de Chron, artrite reumatoide e psoríase. O fato de ela já ser aprovada pela Anvisa facilitaria a eventual nova indicação, pulando etapas de estudos, já que aspectos de segurança e toxicidade são bem conhecidos.

Os animais tratados tiveram menor chance de desenvolver as crises epiléticas, mas mantiveram os sintomas motores e comportamentais. Os cientistas propõem que é possível que um tratamento baseado nesse raciocínio possa ajudar a atenuar os efeitos de longo prazo da infecção, mas ainda há muito que se avançar na questão. “É difícil prever o que aqueles infectados ainda bebês podem desenvolver na fase adulta, mas é importante ter em mente que o que aconteceu ainda no útero pode, sim, ter consequências tardias”, diz Clarke.

“Está claro que um simples monitoramento da prevalência de microcefalia congênita ao nascer é uma medida insuficiente dos males trazidos pela neuropatologia causada pelo vírus da zika em crianças e adolescentes”, escrevem os autores na conclusão do estudo.

Além de Da Poian e Clarke, coordenaram o trabalho Iranaia Assunção-Miranda e Claudia P. Figueiredo, todas da UFRJ.

Macacos
Um outro artigo recente, de pesquisadores da Universidade Emory e de outros centros de pesquisas nos EUA, mostrou, com experimentos em macacos resos (Macaca mulatta), que o vírus da zika é capaz, também em primatas, de provocar prejuízo no desenvolvimento cerebral.

Por meio de estudos histológicos (com fatias finas do órgão) e de ressonância magnética (que permite visualizar a estrutura), os cientistas observaram que o vírus da zika ataca especialmente o cérebro e a medula espinal -essa preferência recebe o nome de neurotropismo.

patógeno reduz a quantidade de massa cinzenta no cérebro e altera a conectividade entre neurônios, prejudicando o funcionamento do órgão. Os cientistas alertam que não há como fazer um paralelo entre o que se passa com os macacos e o que aconteceria com crianças e adolescentes humanos, mas que a tendência é que o desenvolvimento neurológico seja atrasado ou interrompido com a infecção, algo que deve demandar atenção dos serviços de saúde.

Inaldo Sampaio

Inaldo SampaioFoto: Colunista

Em fevereiro de 2014, a Frente Popular de Pernambuco anunciou sua chapa majoritária às eleições daquele ano: Paulo Câmara (governador), Raul Henry (vice) e Fernando Bezerra Coelho (senador). Á época o PSB tinha um líder, Eduardo Campos, que sabia impor sua liderança, avançando quando preciso e recuando quando necessário. Já estamos no mês de junho e ainda não se conhece a composição da chapa do governador Paulo Câmara, nem tampouco a do senador Armando Monteiro. E aqui não cabe a máxima de Marco Maciel segundo a qual “quem tem prazo não tem pressa” porque o problema não é de prazo e nem tão pouco de velocidade. O problema é de indefinição. Há dúvidas no governo e na oposição sobre o nome do candidato a vice e do segundo candidato a senador. Paulo Câmara só escolheu até agora um senador (Jarbas Vasconcelos) e o virtual candidato do PTB, Armando Monteiro, idem (o deputado Mendonça Filho). Isso mostra que o governo está confuso e a oposição (Marília Arraes à parte) mergulhada em dúvida. Convém lembrar que na política há o tempo certo para se fazer a coisa certa. Nem tão rápido que pareça açodamento, nem tão devagar que pareça fraqueza ou indefinição. O governo está indefinido e a oposição parecendo fraca, embora não esteja, conforme pesquisas de opinião.

Senador solteiro

Por querer ser a todo custo “o senador de Lula”, o deputado Sílvio Costa está praticamente excluído da chapa das oposições. O senador Armando Monteiro (PTB) está à procura de outro nome para fazer companhia a Mendonça Filho (DEM). Sílvio Costa faz campanha sozinho pelo Agreste pedindo votos apenas para ele. Não cita o nome de Armando, nem o de Marília Arraes.

Constrangimento > A assessoria de Paulo Câmara precisa ter mais cuidado quando for marcar os compromissos dele no interior para não expô-lo a situações de constrangimento como a que ocorreu anteontem em Angelim. Levaram-no para inaugurar um calçamento de rua, onde havia menos de 30 de pessoas.

Renovação > O novo líder do PT de Pernambuco é a vereadora Marília Arraes e não o senador Humberto Costa. Ela pode até não ter o controle da burocracia do partido, mas é quem tem os votos. Mas isso deve ser encarado com naturalidade, pois o senador manda na sigla há 30 anos.

O vice > Cresceu ontem na bolsa de apostas do PSDB o nome do vereador recifense André Régis para ser o vice de Armando Monteiro (PTB). O ex-prefeito Elias Gomes (Jaboatão dos Guararapes) também começou a ser mexer, e tem uma forte torcida no partido.

O decreto > Esta afirmação da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, parece ser a definitiva: não haverá aliança do PT com o PSB apenas em Pernambuco. Ou se faz a aliança no plano nacional, valendo para os 27 estados, ou não tem aliança.

A força > Parlamentares da Frente Popular comentavam ontem na Alepe a forte influência que ex-secretário da Casa Civil, Antonio Figueira, exerce no governo Paulo Câmara. Ele foi deslocado para a chefia da Assessoria Especial, mas nem por isso deixou de ter força.

Caminhões

                       Caminhões Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

governo federal decidiu nesta noite que vai revogar nesta sexta (8) a nova tabela com o preço mínimo do frete para o transporte rodoviário de cargas, publicada em edição extra do Diário Oficial da União no final da tarde desta quinta (7) .

De acordo com a assessoria do Ministério dos Transportes, com a decisão, a tabela publicada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no dia 30 de maio estará valendo até uma nova tabela ser elaborada pela agência.

Ainda segundo a assessoria, a decisão foi tomada após reação dos representantes dos caminhoneiros com a publicação do documento nesta quinta-feira. A categoria se reúne com o governo na manhã desta sexta-feira na sede da ANTT em Brasília.

Leia também:
Frete mínimo cobrirá custos, dizem entidades dos caminhoneiros

tabela que foi divulgada nesta quinta foi elaborada porque, de acordo com ANTT, a anterior, publicada no dia 30, estava confusa. O documento que será revogado previa valores de frete por quilômetro rodado combinado com o número de eixos dos caminhões e a possibilidade de negociação do frete de retorno entre o contratante de origem e o transportador.

O Ministro do Transporte, Valter Casimiro, disse em coletiva de imprensa, antes da decisão de revogar o documento, que a nova tabela foi acordada com o setor do agronegócio, setor de cargas e combustível e representantes dos caminhoneiros.

A criação de uma tabela de preço mínimo para o frete foi uma das reivindicações dos caminhoneiros durante a paralisação da categoria que durou dez dias e resultou em prejuízos em diversos setores da economia e em desabastecimento de combustíveis, alimentos, entre outros produtos.

No cenário que envolve os três principais nomes que disputam a preferência do eleitorado para as eleições deste ano, o governador Paulo Câmara tem vantagem, com 26% das intenções de voto, seguido por Marília Arraes (PT) e Armando Monteiro (PTB), empatados tecnicamente com 17% e 16,16%, respectivamente.

É o que indica a nova pesquisa do Instituto Múltipla divulgada nesta quinta-feira (7), contratada pelo próprio e registrada no TRE-PE e no Tribunal Superior Eleitoral, revelando que continua embolada a intenção de voto do eleitorado para as eleições deste ano. Em suma, todos oscilaram dentro da margem de erro, de 4,1%, comparando ao levantamento anterior.

O Instituto realizou 600 entrevistas entre os dias 02 e 06 de junho, em todas as regiões do Estado, seguindo a estratificação do IBGE. A pesquisa foi registrada sob os números PE 02707/2018 e BR 04235/2018.

Veja a evolução dos candidatos Paulo Câmara, Marília Arraes e Armando Monteiro

Na pesquisa anterior, feita entre 27 de abril e 01 de maio, Paulo Câmara tinha 24% contra 21,5% da petista e 17,3% do petebista. A pesquisa é estimulada, ou seja, o entrevistador cita o nome dos candidatos e pergunta ao eleitor em quem ele votaria. Todos tiveram variação dentro da margem de erro.

No cenário 2, envolvendo todos os pré-candidatos, Paulo Câmara (PSB) tem 22,83%, Marília Arraes (PT) 15%, Armando 15%, Coronel Meira tem 3,5%, Júlio Lóssio, 2,16% e Daniele Portela, 1,16%. Brancos e nulos somam 31%. Indecisos, 6,83%. Não sabem ou não opinaram 2,5%.

Lula ainda pesa na disputa: o Múltipla fez mais dois cenários considerando os principais cabos eleitorais e mais uma vez, o ex-presidente Lula tem o maior peso. Quando Paulo Câmara é “colado” a ele, chega a 46% das intenções de voto. Marília Arraes vai a 41,66%.

A amostra foi composta por 600 entrevistas aplicadas na população que tenha título de eleitor, more e vote no estado de Pernambuco e distribuída da seguinte forma: Capital 18,0%, Região Metropolitana 24,2%, Zona da Mata 14,6%, Agreste 25,2% e Sertão 18,0%. O intervalo de confiança estimado é de 95% para uma margem de erro para mais ou para menos de 4,1%.

Sistema interno de controle e verificação: Para realização da pesquisa, utiliza-se uma equipe de entrevistadores e supervisores, contratados pelo Instituto. Todos devidamente treinados para execução do trabalho. Após a coleta das informações, 20% dos questionários aplicados foram submetidos à verificação de critérios, quanto a sua aplicação e adequação dos entrevistados ás variáveis das cotas amostrais. Veja dados técnicos:

Dados técnicos pesquisa PE 02707 2018 e BR 04235 2018

Hebson Thiago Silva Sampaio, acusado de atropelar e matar duas jovens no dia 19 de dezembro de 2013, no Bairro do Riacho do Gado, Tabira, foi condenado a quinze anos e dois meses de detenção por homicidio qualificado, decidiu o júri popular no fim da noite desta quinta (7), no fórum de Tabira.

No acidente, morreram Andreza Thaylane Ferreira dos Santos, Rosália Medeiros Oliveira, 19 anos.

O acidente aconteceu quando o veículo Montana, de placa MOF-5422, atingiu as duas estudantes que andavam pelo acostamento da PE-320. As jovens retornavam do Campestre Clube ao lado de outros estudantes após ornamentarem o local para a festa de suas formaturas.

O Tribunal do Júri se reuniu no novo Fórum de Tabira sob a Presidência do juiz Rodrigo Barros Tomaz do Nascimento.

O advogado de Hebson, Luciano Pacheco, defendia que ele fosse condenado por homicídio culposo, quando não há dolo, ou intenção, por tratar-se de episódio de trânsito.

Receita Federal

                                  Receita Federal Foto: Arthur de Souza

Receita Federal aproveitou o projeto de lei da reoneração da folha de pagamento, sancionado no fim de maio em meio à pressão da paralisação dos caminhoneiros, para endurecer a lei que rege a compensação de débitos fiscais com créditos tributários.

Os jabutis, como são chamadas as mudanças na lei que não têm a ver com o objeto principal de um projeto, são uma reação à disparada no uso de créditos para quitar débitos com o Fisco.

Entre 2013 e 2017, a alta no uso das compensações foi de mais de 50%, com destaque para quitação de Imposto de Rendasobre Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Leia também:
Relator retira anistia a caminhoneiros multados durante paralisação
Peso da greve dos caminhoneiros foi grande na inflação, segundo Fipe

As novas restrições, que já foram sancionadas pelo presidente da República, Michel Temer, e estão em fase de regularização pela Receita, afetarão o fluxo de caixa das empresas, segundo a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O Fisco ainda não calculou quanto ganhará em receita, mas, segundo fontes próximas às conversas ouvidas pela reportagem, a estimativa é que o valor seja na casa da dezena de bilhões de reais.

A alteração de maior impacto é a que proíbe empresas que recolhem por estimativa de abaterem impostos sobre a renda (IRPJ e CSLL) com créditos. Nesse regime, a projeção do lucro futuro serve de base para o pagamento mensal de impostos.

Esse tipo de compensação, que superou os R$ 25 bilhões no ano passado, é amplamente usada pelas empresas que recolhem por esse regime, que o consideram um dos principais atrativos do sistema por estimativa. Na prática, os resultados ruins do ano iam sendo automaticamente compensados pelos bons.

O efeito será importante, já que, no total, a Receita arrecadou R$ 95 bilhões no regime por estimativa em 2017. Ou seja, a vedação alcança cerca de 25% do total pago nessa modalidade de pagamento de impostos.

“Isso vai impactar o fluxo mensal de caixa das empresas, que terão de tomar capital de giro para assumir esses débitos mensais”, afirmou Helcio Honda, diretor do departamento jurídico da Fiesp.

Para o advogado, a situação é delicada pelo momento atual da economia. “Praticamente todas as empresas brasileiras estão enfrentando problemas financeiros em virtude da crise econômica.”

Para a Receita, as medidas são necessárias para impedir perda de receita, ainda mais em tempos em que as dificuldades enfrentadas pela economia se traduzem em queda de arrecadação.

Além disso, o Fisco afirma que boa parte dos documentos que são anexados atualmente para comprovar o direito ao crédito não é válida. Em outras palavras, possuem grande chance de serem contestados no futuro, já que o órgão tem cinco anos para fazer a homologação das compensações de impostos.

No projeto, para embasar a alteração, uma das justificativas foi a de que os pedidos de abatimento de débitos com créditos somam R$ 309,1 bilhões, mas somente R$ 160,5 bilhões estão amparados em créditos válidos.

É por isso que outra mudança, também aprovada na esteira da reoneração, veda o uso de créditos que já estejam sob investigação da Receita. Na avaliação da Fiesp, essa medida acaba dando ao órgão uma espécie de cheque em branco para barrar compensações quando desejar.

“Essa medida pode punir os bons contribuintes, na medida em que basta a abertura de um procedimento fiscal para suspender a compensação”, afirmou Honda.
Uma terceira alteração veda o uso de créditos gerados a partir do pagamento de salário-maternidade e salário-família para pagar tributos.

Ao mesmo tempo em que colocou três proibições ao uso desse mecanismo, um antigo pleito das empresas foi atendido, que é a possibilidade do uso de créditos previdenciários para o abatimento de tributos federais.

A medida só é válida para as pessoas jurídicas que usam o eSocial e para créditos gerados a partir deste ano. “É um avanço, mas ao mesmo tempo não alcança os débitos anteriores. Queremos que alguma emenda parlamentar modifique esse ponto depois”, disse Honda.

A vinculação ao programa também é uma forma de estimular as grandes empresas a usarem o sistema eSocial, o que permite ao Fisco um controle de dados maior.

Caso geou comoção em todo o estado. Informações: Anchieta Santos

O Tribunal do Juri se reúne hoje, dia 07 de junho, no novo Fórum de Tabira sob a Presidência do juiz Rodrigo Barros Tomaz do Nascimento para o julgamento de Hebson Thiago Silva Sampaio.

Ele é acusado de atropelar e matar duas jovens no dia 19 de dezembro de 2013, no Bairro do Riacho do Gado.

No acidente, uma das jovens, Andreza Thaylane Ferreira dos Santos, 18 anos, faleceu no local, e a outra, Rosália Medeiros Oliveira, 19 anos, em hospital do Recife.

O acidente aconteceu quando o veículo Montana, de placa MOF-5422, atingiu as duas estudantes que andavam pelo acostamento da PE-320. As jovens retornavam do Campestre Clube ao lado de outros estudantes após ornamentarem o local para a festa de suas formaturas.

Hebson Thiago

Hebson foi autuado por homicídio pela delegada plantonista no dia da ocorrência. De acordo com o processo, ele estava embriagado quando guiava o veículo e que isso foi fator determinante para que perdesse controle do carro e atropelasse as duas jovens.

Foi um dos primeiros casos onde houve flagrante entendimento de homicídio doloso em caso de atropelamento sob influência de álcool.

A juíza Clênia Pereira de Medeiros decidiu, à época, que Hebson fosse a Júri Popular. Atuará pelo Ministério Público a Dra. Eryne Luna e como advogado da defesa o Dr. Luciano Pacheco.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao prefeito do município de Custódia, Emannuel Fernandes de Freitas Góis, o Manuca, e ao diretor de Tributação e Fiscalização Municipal, Gerlenilson Silva Santos, que efetivem o cumprimento das determinações constantes nas normas regulamentadoras da atividade dos mototaxistas da cidade.

Segundo o artigo 30 da Constituição Federal, é responsabilidade do município legislar sobre assuntos de interesse locais, como, por exemplo, o trânsito local.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB – Lei Federal nº 9.503/1997) é de responsabilidade da gestão municipal cumprir e fazer cumprir a legislação e normas de trânsito; planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, pedestres, animais, promovendo a segurança e circulação de pedestres e ciclistas; estabelecer em conjunto com as polícias, o patrulhamento ostensivo do trânsito, de forma a aplicar as medidas cabíveis, advertindo por escrito e multa os infratores; e, por fim, articular-se com os demais órgãos do Sistema Nacional de Trânsito no Estado.

Em Custódia, já existe legislação (Lei nº 1000/2013) que dá orientações e regulamenta a profissão dentro do âmbito municipal. A Lei municipal determina que para poder realizar o serviço de mototáxi na cidade, os interessados devem ter mais de 21 anos; possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida para motocicletas em vigência, por, pelo menos, dois anos; apresentar certidão de antecedentes criminais; estar residindo há pelo menos três meses no município; utilizar colete e capacete na cor preta; ter o veículo com emplacamento pertencente ao município de Custódia.

Com esta lei também fica vedado ao mototaxista o uso do seu veículo para transporte remunerado de mercadorias, escolares ou prestação do serviço além dos limites municipais.

Entretanto, chegou ao conhecimento do Ministério Público que as diretrizes da Lei municipal estavam sendo descumpridas e, portanto, colocando em risco a segurança, tanto dos prestadores deste serviço, quanto dos que fazem uso do mesmo. Com estes fatos apurados, a Promotoria de Justiça de Custódia recomendou ao prefeito e ao diretor de Tributação e Fiscalização da cidade que deem cumprimento às determinações constantes nas normas reguladoras, principalmente na Lei Municipal nº 1000/2013, aplicando, em casos de infrações ou desobediência, as sanções devidas aos donos de motocicletas que desejem prestar este tipo de serviço.

Reunião com revendedores aconteceu ontem em Afogados, com MP, Prefeitura, PM e Bombeiros

O prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, comprometeu-se perante o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a estabelecer regras para o comércio varejista de fogos de artifício, bombinhas, artigos pirotécnicos, entre outros fogos de estampido durante os festejos juninos no município.

De acordo com o promotor de Justiça, Lúcio Luiz de Almeida Neto, várias medidas devem ser tomadas para a venda, estocagem e manuseio dos produtos. Os fogos de artifício só poderão ser vendidos pelos comerciantes que se cadastrarem na Secretaria Municipal de Agricultura, tiverem o Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e o alvará provisório de funcionamento perante o setor de Tributação da Secretaria Municipal de Finanças.

Os produtos também terão de ser comercializados e estocados em locais previamente reservados pela Prefeitura e pelo MPPE, sob a pena de ter a mercadoria apreendida e o local interditado.

Outras medidas de segurança devem ser observadas pelos comerciantes: não permitir o consumo de cigarros ou assemelhados nas imediações dos pontos de venda, nem a manipulação do produto por pessoas estranhas ou não cadastradas. Também precisam comunicar imediatamente às autoridades competentes qualquer irregularidade surgida com a comercialização dos fogos de artifício e artigos pirotécnicos e de estampido, inclusive indicando nomes de pessoas não cadastradas e que exerçam tal atividade; além de se absterem de fornecer de forma gratuita ou por venda, deixar à mostra e com fácil acesso ou entregar sob qualquer pretexto fogos e materiais de fogueira a crianças com menos de 12 anos. Nem devem permitir a manipulação de tochas, velas ou instrumentos de combustão que possam causar dano, preservando-se assim a integridade física e saúde das crianças deste município.

Os fogos de artifício, artigos pirotécnicos e demais fogos estampido ainda precisam ser depositados em lugar seguro, armazenados sobre tábuas de madeira, com distância mínima de um metro entre caixotes, em local arejado e de fácil acesso às autoridades competentes, em caso de fiscalização e de eventual acidente. Os locais de venda devem contar com um extintor de incêndio de pó químico, com no mínimo 4kg.

As vistorias serão realizadas pela Prefeitura, com apoio do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Guarda Municipal.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira se comprometeu a expedir o alvará de localização em um prazo máximo de 48 horas, após o cumprimento das exigências feitas ao compromissário; a isentar os comerciantes do pagamento da taxa municipal para liberação do alvará provisório; a realizar a iluminação provisória do espaço, com instalação aérea; e a instalar dois banheiros químicos no local de vendas.

O descumprimento pelo compromissário dos prazos e obrigações constantes deste Termo importará no pagamento de multa no valor de R$ 200,00 e, na reincidência, no valor de R$ 400,00, a cada constatação de irregularidade, sem prejuízo das demais medidas legais pertinentes, inclusive a apreensão de material comercializado ilegalmente.

As multas a serem executadas serão revertidas para o Fundo Municipal da Criança e do Adolescente de Afogados da Ingazeira, sem prejuízo das sanções administrativas, civis e penais cabíveis.

Camisinha

                        Camisinha Foto: Free Images

A introdução de uma droga que reduz em 90% o risco de infecção pelo HIV em duas grandes cidades da Austrália levou a um aumento nas relações sexuais casuais desprotegidas – inclusive entre quem não toma o medicamento.

A conclusão é de estudo publicado nesta quarta (6) na revista médica inglesa Lancet HIV. Foram acompanhados cerca de 17 mil homens gays e bissexuais em Sidney e Melbourne, recrutados online ou em locais mais frequentados por esse público.

A estratégia é indicada para populações que têm maior risco e número de casos de HIV, como homens que fazem sexo com homens, pessoas trans; trabalhadores do sexo e casais sorodiferentes (quando uma pessoa está infectada pelo HIV e a outra não).
O uso da PrEP, oferecida na rede pública de saúde da Austráliadesde 2016, cresceu de 2% para 24% entre 2013 e 2017.

Leia também:
Fiocruz fabricará remédios contra HIV e hepatite C para o SUS

Entre os homens que tomam o medicamento, a proporção que relatou sexo anal desprotegido com parceiros casuais foi de 1% para 16%. Já entre os que não tomam a droga preventiva, incluindo tanto quem é HIV negativo como quem não fez testes, a taxa de sexo desprotegido cresceu de 30% para 39%. Em aplicativos para busca de parceiros, por exemplo, é comum que homens gays escrevam avisos do tipo “tomo PrEP, não uso camisinha”. Mas, mesmo sem tomar o medicamento, muitos usam gírias que indicam que fazem sexo desprotegido.

Uma das hipóteses para explicar o comportamento é que, com o crescimento do uso da PrEP, até mesmo quem não usa o medicamento acha que o sexo sem camisinha ficou menos arriscado e se sente mais seguro, segundo um dos autores do estudo, o professor Martin Holt, da Universidade de Nova Gales do Sul.

O infectologista brasileiro Caio Rosenthal, do Hospital do Servidor Público Estadual, diz que é muito favorável ao uso da PrEP, mas reconhece que a terapia é uma faca de dois gumes. “As pessoas acham que estão livres para descuidar da prevenção.”

As consequências dessa mudança de comportamento ainda não estão claras, diz Holt. É possível que a transmissão do HIV cresça, mas, por enquanto, a Austrália não observou aumento nas infecções por HIV entre homens que fazem sexo com homens após a adoção da PrEP.

Usar a terapia sem o preservativo pode ainda levar a um aumento de outras infecções sexualmente transmissíveis, como a sífilis, diz Rosenthal. “Toda semana atendo casos novos. E agora tem aparecido também a sífilis neurológica”, afirma. Assintomática, esse tipo de sífilis ataca do sistema nervoso central e pode ter consequências neurológicas, como déficit cognitivo.”

Além disso, Rosenthal aponta para o surgimento de vírus resistentes ao medicamento.
Para ele, a mensagem que deve ser passada e reforçada sobretudo entre os jovens que fazem sexo com homens é “faça o teste”. “O caminho é iniciar o tratamento o quanto antes e baixar a carga viral a níveis indetectáveis. Assim, a transmissão é interrompida.”
No Brasil, a PrEP é oferecida pelo SUS desde 2017. No início do ano, cerca de 2.000 pessoas estavam em tratamento. A expectativa do Ministério da Saúde é que até o final do ano entre 7.000 e 9.000 pessoas estejam usando o medicamento.

psicóloga Helena Lima, consultora da Unaids (agência da ONU de combate à Aids), afirma que é preciso reforçar o trabalho educativo em torno do uso da PrEP para que as pessoas não achem que o tratamento é “um doce de coco inócuo” e abandonem as outras formas de prevenção.

“Será sempre mais fácil tomar um comprimido do que mudar o comportamento. O tratamento tem efeitos colaterais, exige adesão e pode, sim, criar uma rivalidade com o uso da camisinha.” Os efeitos indesejados incluem náusea e dor de cabeça.

Ele diz que as campanhas educativas de prevenção à Aids tendem a não ouvir os jovens, e os eventos sobre o tema “pregam para convertidos”. “Para muitos jovens, a mensagem ‘use camisinha’ tem efeito de ‘não use’.”

Mas, segundo o infectologista Esper Kallas, professor da USP, é natural que haja redução do uso da camisinha após a introdução da PrEP, e o que importa no final é a diminuição das infecções sexualmente transmissíveis em especial o HIV. “Troco facilmente a redução do uso da camisinha pela redução do HIV.”

Dados de San Francisco (EUA) apontam uma redução de 50% de novas infecções e casos de Aids após a PrEP, a ponto de já se falar em chegar a um índice zero de transmissão. “Isso não era sequer sonhado antes da terapia.”

Sobre as outras doenças sexualmente transmissíveis, ele diz que todos os estudos apontaram estabilidade ou até diminuição dos casos após a introdução da PrEP. “Você traz esse indivíduo para o serviço de saúde e ele faz o diagnóstico, tratamento e evita de transmitir para os outros.” Kallas afirma que também é esperado que aqueles que busquem a PrEP sejam os que menos usem preservativos.

Em relação às pessoas que deixaram de se proteger mesmo não usando a PrEP, ele acredita que haja uma mescla de fatores.”Toda medida que interfere no ato sexual é colocada em segundo plano. É por isso que nem abstinência nem camisinha funcionaram como principal medida de proteção. Pode funcionar no individual, mas não no coletivo.”

Para Mario Scheffer, professor de saúde preventiva da USP, demonizar a PrEP no momento de fracasso da prevenção tradicional é o pior caminho. “Não vamos jogar o bebê fora junto com a água do banho. PrEP não é panaceia mas pode ser uma grande ferramenta a mais de prevenção.”

Segundo Rosenthal, as atuais campanhas públicas não atingem os jovens 15 a 19 anos, faixa etária em que a taxa de infecção de HIV mais cresce. “Eles não leem jornal, não veem canal aberto. É preciso repensar as campanhas com o uso de meios de digitais.”

Jovem é atendido após ser mordido por tubarão em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco (Foto: Reprodução/TV Globo)

Na Austrália e na Flórida, em períodos chuvosos, turbidez da água do mar e maré alta, praias são interditadas para banho. O senhor acha que essa experiência poderia ser adotada em Pernambuco?
O fechamento das praias em Pernambuco não daria certo, até por uma questão cultural. Aqui, a praia é opção de lazer barata e é frequentada por todas as classes sociais. O correto a ser feito é a intensificação da sinalização nas áreas de maior risco, com a colocação de mais bandeiras próximas umas às outras, e um trabalho mais incisivo de orientação dos guardas-vidas para que as pessoas não entrem na água quando tiver uma soma de fatores que contribuam para incidentes.

Leia também:
UFRPE estuda hábitos dos tubarões
Quatro pontos da orla da RMR terão mais salva-vidas e orientação para evitar ataque de tubarão

Por que os incidentes estão aumentando? Faltam alimentos?
Não é problema de falta de alimento. É sabido que existe um desequilíbrio ecológico na região costeira e o reflexo disso é o adensamento populacional, que causa maior lançamento de esgoto no mar. Há também o aterro de manguezais para a construção de casas e portos, como é o caso do Complexo de Suape. A carne humana nunca fez parte da cadeia alimentar deles, mas a intervenção humana na natureza tem contribuído para uma maior interação entre as pessoas e os tubarões.

O Estado já cogitou a instalação de telas protetoras no mar, mas recuou ao perceber que outros animais marinhos iriam ficar aprisionados. O senhor aponta alguma iniciativa mais eficaz para evitar os incidentes?

O respeito às orientações das placas e dos guarda-vidas é a única arma para evitar ser vítima. Pensar em “soluções” que interfiram diretamente no habitat dos tubarões não é o correto. Está na hora de as pessoas se verem como parte do meio (ambiente) e não como seres que podem intervir no meio. Mas, infelizmente, o mal do ser humano é a arrogância. Não somos seres pensantes.