Júnior Cavalcanti

O músico Almir Antoniel Silva, conhecido como Almir de Neto, morreu em um trágico acidente de moto na PE 320  entre as cidades de Carnaíba e Afogados da Ingazeira, nas proximidades de acesso do Povoado de Roça de Dentro por volta das 16h deste domingo.

De acordo com informações do blog do Cauê Rodrigues, a vítima seguia em uma motocicleta CB 500 cc, de cor branca, de placa PDS 3174, no sentido Afogados-Carnaíba, quando colidiu na traseira de um reboque.

Ele ainda perdeu o controle da moto e faleceu no local. Almir era um dos três filhos de Neto e Aparecida, da Oficina Neto Motos Três Irmãos.

Também era membro da centenária Banda Filarmônica Santo Antônio e completaria 30 anos no próximo dia 06 de novembro. O policiamento e o Corpo de Bombeiros foram acionados.

Fernando Haddad

                       Fernando Haddad Foto: Reprodução/Facebook

No primeiro programa do horário eleitoral gratuito no segundo turno, exibido nesta sexta-feira (12), a campanha de Fernando Haddad (PT) explorou os recentes episódios de violência motivados por divergência política. Segundo o programa, apoiadores de Jair Bolsonaro realizaram nos últimos dias pelo menos 50 agressões por “motivos fúteis” contra pessoas que declaram não votar no candidato do PSL. 

Um dos casos mencionados foi o assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê, ocorrido na noite do dia 7 de outubro, em Salvador. O artista levou 12 facadas de um homem em um bar após uma discussão entre os dois por causa da discordância entre ambos na escolha do candidato a presidente.

Na sequência, a campanha do petista defendeu que a democracia está em risco com a possibilidade de eleição de Bolsonaro. Para campanha de Haddad, o segundo turno que deveria ter um debate de propostas foi transformado em uma “onda de violência e intolerância”. Foram exibidos ainda depoimentos de pessoas que dizem amedrontadas pela escalada de violência e o crescimento do ódio. 

Haddad falou em defesa da preservação de direitos e de como enfrentar o desafio da geração de empregos e garantia de comida na mesa. Ele propõe a criação do programa “Meu emprego de novo” para estimular contratações a partir da retomada de obras públicas paradas. O candidato aponta que é melhor o povo com um livro não mão do que com armas.

Em outro ponto, o programa também destacou o currículo do petista, que é doutor em filosofia, mestre em economia e professor universitário, recordando suas realizações como ministro da Educação. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece numa breve passagem, ao lado de Haddad, fazendo uma declaração de elogio ao seu ex-ministro.

Frequentadores de bar em São Paulo acompanham programa eleitoral de Haddad e Bolsonaro na TV

Frequentadores de bar em São Paulo acompanham programa eleitoral de Haddad e Bolsonaro na TVFoto: Miguel Schincariol/AFP

Os dois candidatos à Presidência tentaram, em seus primeiros programas eleitorais de segundo turno exibidos na televisão, nesta sexta-feira (12), reduzir os pontos que levam os eleitores a rejeitá-los. Jair Bolsonaro (PSL), que busca o eleitorado femininochorou ao falar de sua filha caçula, Laura, a primeira após ser pai de quatro filhos.

O candidato reutilizou um vídeo que já havia publicado na internet sobre como decidiu que iria tentar a paternidade novamente: afirma que decidiu desfazer uma vasectomia. “Mudou muito a minha vida a chegada da Laura“, afirmou, antes de aparecer em vídeo brincando e pedindo o beijo da filha. Em 2017, o deputado fez piada com o nascimento da menina, dizendo que havia fraquejado e veio uma mulher.

Enquanto isso, Fernando Haddad (PT) apostou suas fichas em conquistar o apoio do eleitor antipetista. Falando em direção ao vídeo, disse que sua “campanha não é de um partido, é de todos os que querem mudar o país”. Pediu o voto de “todos que são a favor da democracia“. Ambas as campanhas dos presidenciáveis também tentaram colar no outro uma imagem negativa.

Enquanto o programa de Bolsonaro aponta para o risco de “venezualização” do Brasil com a volta do PT ao poder, o de Haddad relaciona o adversário à violência.
Bolsonaro divulgou uma fala de Lula que faz referência à criação de confiança para que os partidos de esquerda cheguem ao poder na América Latina. Diz que o vermelho, cor usada pelo PT, é um ” um sinal de alerta para o que não queremos no país”.

Já na campanha petista são exibidas cenas em que Bolsonaro faz referência a armas com os dedos e o episódio em que ele ele disse que ia “fuzilar a petralhada” no Acre. Pela primeira vez, Haddad usou uma apresentadora para fazer críticas e propostas -como acontecia no programa de Geraldo Alckmin (PSDB). Também mudou o jingle anterior, que era associado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e prometia “o Brasil feliz de novo“.

novo jingle pede “todos pelo Brasil“. Lula aparece brevemente na propaganda, dizendo que “ninguém fez mais pela educação do que Haddad“. O candidato foi ministro da Educação nos governos do PT. Bolsonaro ficou com 46% dos votos válidos no primeiro turno, contra 29% de Haddad. De acordo com o Datafolha divulgado nesta quarta (10), o capitão reformado tem 58% dos votos válidos para o segundo turno, contra 42% do petista.

Bolsonaro e Haddad disputam o segundo turno

Bolsonaro e Haddad disputam o segundo turnoFoto: Miguel Schincariol; Daniel Ramalho / AFP

Em uma eleição polarizada como a se desenhou neste segundo turno, surgem dois planos de governo antagônicos, que se transformaram no centro da discussão política entre os eleitores que voltarão às urnas em 28 de outubro. Na educação, os candidatos Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) fazem promessas diferentes entre si. 

O petista, além de afirmar que irá revogar as reformas feitas pelo governo Temer, promete que a educação voltará a ser prioridade estratégica do País, da creche à pós-graduação. No plano de governo do pesselista, por sua vez, a educação passará a ter ênfase na infantil, básica e técnica, “sem doutrinação”.

Em um eventual governo Haddad, o ensino médio terá uma maior participação da gestão federal. As escolas serão transformadas em espaços de investigação e criação cultural, bem como polos de conhecimento, esporte e lazer. As matrículas nos ensinos superior, técnico e profissional serão expandidas. Citando a educação como “um dos principais meios de acesso à cultura […] e um instrumento poderoso de desenvolvimento econômico e social”, Haddad promete adotar uma série de políticas públicas integradas, complementares e articuladas, como feito nos governos Lula e Dilma.

Além disso, Haddad promete investir 10% do PIB em educação; aumentar vagas em creches; ampliar a educação em tempo integral, especialmente em áreas de vulnerabilidade social; retirar “imposições obscurantistas” da Base Nacional Comum Curricular”; criar a “Escola com Ciência e Cultura” em contraponto à “Escola sem Partido”; e retomar investimentos na educação do campo, indígena e quilombola.

Já o plano de governo de Bolsonaro se mostra como um grande discurso contra os governos de esquerda, especialmente os do PT. Seu projeto prevê “fazer muito mais com os atuais recursos” destinados à educação. A educação básica e os ensinos médio e técnico serão a prioridade inicial de um eventual governo.

Bolsonaro também pretende mudar a metodologia escolar para “expurgar a ideologia de Paulo Freire” e “instalar mais disciplina” nas escolas. A educação a distância será “vista como um importante instrumento” e deverá ser considerada como uma alternativa para áreas rurais. O ensino da matemática, da língua portuguesa e das ciências deverá ser ampliado “sem doutrinação e sexualização precoce”.

Outros pontos de destaque do plano de governo de Bolsonaro na educação são a fomentação do empreendedorismo nas faculdades e a transformação do Brasil em um centro mundial de pesquisa e desenvolvimento de grafeno e nióbio. Por fim, o candidato promete instalar em um intervalo de dois anos um colégio militar em todas as capitais de estado.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou nesta quinta-feira (11) uma página para ajudar a esclarecer os eleitores sobre informações falsas que circulam nas redes sociais sobre o processo eleitoral brasileiro.

Além de desmentir os boatos, o tribunal apresenta links de agências de checagem de notícias sobre o assunto, alertando para os riscos da desinformação. Veja a página.

Até a tarde desta sexta, a página contava com cinco boatos desmentidos. Entre eles, estão o de que 7,2 milhões de votos foram anulados pelas urnas e o de que a urna autocompleta o voto para presidente quando o eleitor seleciona a tecla “1”. As duas informações não são verdadeiras, como reportagens do Fato ou Fake, a seção de checagem de informações falsas do Grupo Globo, já haviam mostrado.

O TSE afirma que encaminha todos os relatos de irregularidades que chegam ao seu conhecimento para verificação por parte de órgãos de investigação, como o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal. O objetivo é garantir a verificação de eventuais atos ilícitos e responsabilizar quem difunde conteúdo falso.

Ainda de acordo com o tribunal, até o momento, nenhuma ocorrência de violação à segurança do processo de votação ou de apuração realizado durante as eleições de 2018 foi confirmada ou comprovada.

O Facebook disse, nesta sexta-feira (12), que os hackers responsáveis por um ataque à rede social descoberto em setembro tiveram acesso às contas de cerca de 29 milhões de pessoas e roubaram nome e detalhes de contato dos usuários.

Para checar se sua conta foi afetada acesse a Central de Ajuda do Facebook (disponível somente em inglês).

A empresa informou no dia 28 de setembro que os hackers haviam roubado códigos de acesso digital, permitindo o acesso a quase 50 milhões de contas de usuários, mas não confirmou, na época, se as informações haviam sido realmente roubadas.

Em nota, a empresa disse que, em 15 milhões de contas, os invasores acessaram nomes e detalhes de contato (incluindo número de telefone, e-mail ou ambos), dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Em outras 14 milhões de contas, os hackers também acessaram outros detalhes, incluindo nome de usuário, gênero, localidade/idioma, status de relacionamento, religião, cidade natal, data de nascimento, dispositivos usados ​​para acessar o Facebook, educação, trabalho e os últimos 10 locais onde estiveram ou em que foram marcados.

Nos próximos dias, o Facebook irá enviar mensagens customizadas a cada uma das quase 30 milhões de pessoas afetadas para explicar quais informações os invasores podem ter acessado, bem como medidas que elas podem tomar para ajudar a se proteger, incluindo de e-mails maliciosos, mensagens de texto ou chamadas telefônicas.

O vereador e candidato a deputado estadual mais votado de São José do Egito, nas eleições de 7 de outubro, Rona Leite (PT), repudiou a decisão do deputado federal eleito André Ferreira, de apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro a presidente da república, no segundo turno.

André Ferreira teve o apoio do presidente do PT e ex-prefeito de São José do Egito, Romério Guimaraes e dos vereadores Alberto de Zé Loló e Aldo da Clips ,obtendo 2.149 votos no município.

Para Rona Leite, o deputado André Ferreira “deve uma explicação aos companheiros do PT que o apoiaram, pois o pais inteiro sabe que o Partido dos Trabalhadores apoia o candidato Fernando Hadadd”.

A decisão de Romério e seu grupo de apoiar Ferreira já havia levantado questionamentos de nomes que acompanharam a movimentação do petista em defesa de Marília Arraes. Imaginava-se como natural que recebesse seu apoio a Federal.

A partir de sábado (13), boletos vencidos com valor igual ou acima de R$ 100 poderão ser pagos em qualquer banco

A partir de sábado (13), boletos vencidos com valor igual ou acima de R$ 100 poderão ser pagos em qualquer bancoFoto: Flávio Japa/Folha de Pernambuco

A partir de sábado (13), boletos vencidos com valor igual ou acima de R$ 100 poderão ser pagos em qualquer banco, o que inclui caixas eletrônicos, sites e outros canais de atendimento. A regra, porém, somente vai valer para os documentos que já estiverem cadastrados na nova plataforma de cobranças desenvolvida pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Consumidores que não conseguirem pagar seus boletos devem entrar em contato com o emissor da cobrança, pois é possível que o documento não tenha sido cadastrado na plataforma. Caso isso ocorra, caberá à empresa realizar o cadastro do boleto ou indicar outra forma para o pagamento.

Em 27 de outubro, boletos com valor abaixo de R$ 100 também passarão a seguir as mesmas regras. Já no dia 10 de novembro, serão incluídos os documentos de cobranças de cartões de crédito e de doações. 

Até lá, esses pagamentos podem ser feitos em toda a rede bancária até o vencimento, independentemente de estarem ou não cadastrados no sistema. Com a inclusão dos boletos a partir de R$ 100, a plataforma única dos bancos terá incorporado cerca de 3 bilhões do total de boletos emitidos por ano no país.

Segundo a Febraban, o sistema dá mais segurança para a compensação de boletos e permite o pagamento, com a eliminação dosriscos de fraudes, além de evitar a quitação em duplicidade.

Ciro Gomes

                 Ciro Gomes Foto: Daniel Ramalho/AFP

A ofensiva petista para convencer Ciro Gomes a aderir à candidatura presidencial de Fernando Haddad, inclusive ocupando posto no comando da campanha eleitoral, não foi bem-sucedida.

Em rápida entrevista concedida nesta quarta-feira (10), em Brasília, o terceiro colocado na eleição presidencial deste ano anunciou um apoio crítico ao petista, contra o que chamou de fascismo. “Abaixo a ditadura e viva a democracia”, disse.

acordo foi antecipado na segunda-feira (8) pela Folha de S.Paulo. Em decisão, a executiva nacional do PDT liberou os filiados ao partido a apoiarem o petista ou declararem neutralidade. A única proibição estabelecida, com a possibilidade de expulsão, é o apoio a Jair Bolsonaro, do PSL.

Nos últimos dias, o senador eleito Jaques Wagner (PT-BA) e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, procuraram dirigentes pedetistas em torno de uma adesão à candidatura petista. Em um aceno a Ciro, Haddad incorporou propostas do adversário em seu programa de governo e se reuniu com Mangabeira Unger, um dos principais conselheiros do pedetista.

Magoado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem acusa de ter atuado para esvaziar sua candidatura, no entanto, Ciro decidiu manter a postura crítica. A ideia é de que ele faça críticas a Bolsonaro durante o segundo turno, mas evite subir no palanque do petista.

O acordo também prevê que nenhum integrante do partido faça parte de uma eventual gestão Haddad e que a sigla se mantenha no campo da oposição independentemente de quem vença o processo eleitoral. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, defende que, no dia seguinte à posse, Ciro seja anunciado como candidato à sucessão presidencial em 2022.

“O Ciro não subirá em nenhum palanque. Nós somos mais um voto contra o Bolsonaro, aos riscos que ele representa, do que ao Haddad”, disse Lupi.

No vídeo Daciolo é descrito como aquele que combate o mal, que tem os melhores memes e que vai combater a Ursal

                                                      Foto: Reprodução/Instagram

O candidato derrotado à Presidência, Cabo Daciolo (Patriota-RJ) solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE ), nesta quarta-feira (10), a anulação do resultado do primeiro turno das eleições, ocorrido no domingo (7).

Ele também pediu o uso de cédulas de votação em papel nas eleições do país. Jair Bolsonaro, que concorre à Presidência pelo PSL, também é crítico em relação às urnas. Ele afirmou várias vezes que ouviu centenas de relatos de eleitores que não conseguiram concluir o voto para Presidente.

Segundo o TSE, não há registro de fraude nas urnas eletrônicas desde 1996, quando começaram a ser implantadas.

Fernando Haddad (PT)

Fernando Haddad (PT)Foto: AFP

Entidades de judeus, muçulmanos e cristãos organizammanifesto “inter-religioso contra a barbárie”, em referência a Jair Bolsonaro (PSL). O texto será lançado oficialmente nas redes sociais nesta quinta-feira (11). Assinado por grupos como Frente Evangélica pelo Estado de Direito, Judeus Contra Bolsonaro e a representantes da mesquita Sumayyah Bint Khayyat (SP), o texto se posiciona a favor da candidatura de Fernando Haddad (PT).

“Somos parte das três religiões monoteístas do mundo. Acreditamos em um Deus de bondade e de amor. Um Deus que ama todas suas criaturas, não importa sua cor ou seu gênero”, diz o documento. “Toda vez que a fé foi utilizada para promover a paz, tivemos progresso e convivência pacífica entre os seres humanos. Mas quando utilizaram dela para promover o ódio, tivemos os piores períodos da nossa história.”

“Não podemos colaborar para que estes tempos sombrios voltem a surgir entre nós. A barbárie que bate a nossa porta não pode entrar”, afirma. O texto afirma que judeus, muçulmanos e cristãos devem se unir “contra o obscurantismo”. “Possa Nosso Deus único nos proteger, permitindo que o bem vença o mal, o amor e a compaixão vençam o ódio que foi semeado no coração de cidadãos brasileiros e que nos ajude fazendo com que todos retornem a consciência da palavra de Deus, em suas ações!”

De acordo com o empresário Mauro Nadvorny, um dos organizadores da frente judaica, diz que a ideia surgiu há duas semanas. “Nós lançamos um manifesto entre judeus e muçulmanos e eu achei que era a hora que acrescentasse também os cristãos, e foi feito esse manifesto que concentra as três principais religiões monoteístas”.

“Nesse ponto, falamos a mesma língua. Os ensinamentos que se aprende na Bíblia, no Alcorão e na Torá não são nada disso que estão propondo e que já está ocorrendo”, afirma a muçulmana Regina Oliveira, 60, de Juiz de Fora (MG). “Temos irmãs que já foram marcadas pela suástica, que apanharam no dia da eleição e não dá mais para fingir que não é com a gente.”

O grupo Judeus Contra Bolsonaro no Facebook conta com 5.700 membros. Já a Frente Evangélica contabiliza 12 mil curtidas em sua página na rede social. A expectativa dos organizadores é de que outras organizações assinem o manifesto após sua divulgação.
O eleitorado religioso é um dos principais de Bolsonaro.

Na comunidade judaica também há cisão. Em 2017, um convite para que o presidenciável fizesse uma palestra no clube Hebraica em São Paulo opôs membros da comunidade, e o evento acabou cancelado. Pouco depois, porém, Bolsonaro compareceu a agenda na sede do clube no Rio de Janeiro.

Na época, cerca de 150 pessoas protestaram com gritos como “judeu sem memória”, em alusão a Hitler. Bolsonaro chamou os manifestantes de “cérebro de ovo cozido”.

Alta no grupo transportes, especialmente em combustíveis (4,2%) e em passagens aéreas (16,8%), pressionou inflação

Alta no grupo transportes, especialmente em combustíveis (4,2%) e em passagens aéreas (16,8%), pressionou inflaçãoFoto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A população de renda muito baixa foi a menos atingida pela inflação em setembro, de acordo com análise do Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O cálculo é feito com base nas variações de preços de bens e serviços pesquisados pelo Sistema Nacional de Índice de Preços ao Consumidor (Snipc), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o Ipea, o indicador, divulgado nesta quarta (10), revela uma forte alta no grupo transportes, especialmente, em combustíveis (4,2%) e em passagens aéreas (16,8%). Esses grupos pressionaram a inflação de todas as faixas com o maior impacto para as famílias de maior poder aquisitivo.

Diferenças
As famílias de maior poder aquisitivo, segundo o indicador, sofreram impactos também do grupo despesas pessoais, influenciado pelas altas dos serviços pessoais (0,42%) e de despesas com recreação (0,30%).

Pelo estudo, as famílias mais pobres foram as mais prejudicadas com a alta dos grupos alimentos e bebidas e habitação. Com peso maior nos gastos da população dessa faixa de renda, os gastos com reajustes do aluguel (0,24%), energia elétrica (0,46%), cereais (1,7%) e panificados (0,9%) pressionaram a inflação dos segmentos de menor renda.

Índices
Segundo o Ipea, no acumulado do ano, a inflação para as famílias mais pobres ficou em 2,99%, sendo de 3,63% para as de renda mais elevada. Se a avaliação observa o período de 12 meses, os preços dos bens e serviços consumidos pela população de maior renda apresentam elevação de 4,85%, mas para o segmento de renda muito baixa a taxa é de 3,90%.

A avaliação do Ipea mostra ainda que todas as faixas apresentaram aceleração nas suas taxas de inflação neste período, um reflexo dos índices de setembro de 2018 que foram superiores aos anotados no mesmo mês em 2017. Na renda muito baixa, a variação da inflação passou de 0,01% em 2017 para 0,34% este ano. Nas famílias de renda alta era 0,23% e este ano subiu para 0,53%.

O Datafolha divulgou nesta quarta-feira (10) o resultado da primeira pesquisa de intenção de voto do instituto com o cenário da disputa no segundo turno da eleição presidencial.

A pesquisa foi realizada nesta quarta, dia 10, e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes: Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 58% dos votos contra 42% de Fernando Haddad (PT). Em relação ao primeiro turno, Bolsonaro cresceu 12 pontos percentuais. Haddad, 13%.

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:  Jair Bolsonaro (PSL) tem 49% e Fernando Haddad (PT), 36%. Em branco/nulo/nenhum,  8%. Não sabem, 6%. Em relação ao primeiro turno.

Visando facilitar a mobilidade daqueles que viajarão para curtir o feriadão deste final de semana, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) desligará, a partir das 12 horas desta quinta-feira (11), lombadas eletrônicas dos pontos mais movimentados.

Serão desativadas nas principais rodovias: na BR-232 (bairro do Curado, no Recife); na PE-035, em Itapissuma; e na PE-060, em Ipojuca. Os equipamentos de fiscalização eletrônica somente serão religados às 5 horas da próxima terça-feira (16).

A iniciativa visa dar mais fluidez ao trânsito nesses locais, que devem receber um acréscimo em torno de 40 % no fluxo de veículos em relação aos dias normais, na ida e na volta, por conta do feriado de 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil.

“Nossa prioridade é facilitar o acesso de todos aos nossos atrativos turísticos nos destinos mais procurados durante os períodos prolongados, minimizando os congestionamentos nos horários de pico nessas rodovias”, destacou o coordenador de Transporte e Trânsito do DER, Rommel Ferraz.

Estarão desligadas, das 12 horas desta quinta-feira (11) às 5h da terça-feira (16), as seguintes lombadas eletrônicas e suas respectivas localizações:

BR-232 – Recife, nos km 6,2; 6,3; 7,4; 7,8 – Jaboatão dos Guararapes, no Km 9,2;

PE-035 – Itapissuma, nos km 7,3 e 7,9;

PE-060 – Ipojuca, no  km 16,63.