Inaldo Sampaio

Inaldo SampaioFoto: Colunista

Desde que começou a disputar eleições na década de 80, o candidato do PSDB a presidente da República, Geraldo Alckmin, utilizou em suas campanhas seu nome completo ou apenas o sobrenome: Alckmin. Agora, seus marqueteiros produziram filmes para o horário político da TV apresentando-o como “Geraldo”. É a repetição do erro de 2006, quando ele foi derrotado por Lula, na ilusão de que usando apenas o seu pré-nome ele se tornará um candidato popular. Ora, ele é conhecido em São Paulo e no resto do Brasil como “Geraldo Alckmin”, ou simplesmente como “Alckmin”. “Vendê-lo” como “Geraldo” a pouco mais de 30 dias das eleições é como se um 14º candidato estivesse entrando na disputa. É um erro brutal de marketing e também a comprovação de que marqueteiro às vezes atrapalha o candidato em vez de ajudá-lo. Alckmin é um bom candidato, um dos três melhores que estão na campanha por ser um político experiente, probo e dono de uma serenidade de fazer inveja aos seus competidores. E se até agora não cresceu nas pesquisas, isso não se deve à questão do nome. A culpa é um pouco dele próprio, que não conseguiu até agora empolgar os brasileiros, um pouco do PSDB que se desgastou após o processo de Aécio Neves, e também dos seus marqueteiros que não estão sendo capazes de apresentá-lo como o presidente que poderia unir o Brasil.

Anúncio pomposo
O prefeito de Afogados da Ingazeira e presidente da Amupe, José Patriota (PSB), dará hoje uma coletiva de imprensa, na Pousada de Brotas, local onde Miguel Arraes se hospedava quando viajava para o Pajeú, para anunciar seus candidatos a deputado estadual e federal. Patriota foi reeleito com mais de 80% dos votos válidos e tem potencial para alavancar uma candidatura.

Dois a dois > Além de Lucas Ramos (PSB) e Antonio Coelho (DEM), Petrolina tem duas mulheres disputado mandato de deputado estadual: Andrea Lossio (Rede) e Dulcicleide Amorim (PT). A 1ª é casada com o ex-prefeito Júlio Lossio (Rede) e a 2ª com o deputado Odacy Amorim (PT).

À Justiça > Marcos Loreto, presidente do TCE, considerou “gravíssima” a atitude do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), que ontem se negou a receber um auditor e rasgou o ofício que ele portava apresentando-se como agente de controle externo. Loreto acionou imediatamente a Procuradoria Jurídica do órgão para tomar providências.

Da terra > Zeca Cavalcanti (PTB), único representante de Arcoverde na Câmara Federal, não apoia ninguém em sua cidade para deputado estadual. Recomenda o voto “em qualquer um de Arcoverde” – Eduíno Brito (PP), Luciano Pacheco (PROS) ou Sibely Rou (PR). Esta última foi a vereadora mais votada em 2016.

Triste balanço > Se a PM não conseguir desbaratar as quadrilhas que explodem caixas eletrônicos no interior quase todas as semanas, corremos o risco de chegar ao final de 2020 com 80% das cidades pernambucanas sem agências bancárias.

No prelo > O ex-governador Roberto Magalhães está com um novo livro pronto para mandar para uma editora. O primeiro, “Memórias – As virtudes do tempo”, está esgotado. Este segundo trata de episódios que ele protagonizou como deputado federal, prefeito do Recife e governador.

Deixe uma resposta