Monthly Archives: julho 2018

O deputado federal Sebastião Oliveira (PR) tem uma nova missão: esfriar os rumores de uma aproximação com o pré-candidato ao governo Armando Monteiro, do PTB.

Os rumores aumentaram nas últimas horas e foram alimentados por um encontro deles em Triunfo, no Pajeú.

Oliveira e Armando conversaram na festa do Estudante de Triunfo, onde se encontraram na residência do prefeito João Batista. A conversa não durou muito, mas ajudou a alimentar especulações.

Sebastião esteve hoje ao lado de Paulo Câmara em Amaraji, onde participou da festa de 150 anos da cidade. Preocupado com os rumores, fez questão de tirar fotos ao lado de Câmara e minimizar a especulação. No bloco governista, Oliveira é tido como potencial nome à vice de Paulo Câmara.

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), assumiu interinamente, hoje, o comando da Corte. Até o final dessa semana, ele responderá pelo plantão do Judiciário, decidindo pedidos mais urgentes que chegarem ao STF.

Como vice-presidente da Corte, ele substitui a titular, ministra Cármen Lúcia, enquanto ela estiver no exercício da Presidência da República, devido às viagens do presidente Michel Temer, e dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Toffoli assumirá a presidência do STF em setembro, quando termina o mandato de dois anos de Cármen Lúcia à frente do tribunal. Ele é o mais antigo membro da Corte que ainda não exerceu a função.

Como titular, caberá a ele administrar a pauta de julgamentos, marcando data dos que considerar mais importantes e urgentes, conforme os processos ficam prontos para decisão do plenário.

Toffoli chegou ao STF em 2009 por indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No período recente, tem sido um dos críticos da condução da Operação Lava Jato por parte do Ministério Público.

Em uma de suas últimas decisões, propôs e obteve maioria dos votos na Segunda Turma para soltar o ex-ministro José Dirceu, que já cumpria pena por condenação em segunda instância.

Coluna do Estadão – Andreza Matais

A aliança de Geraldo Alckmin com o Centrão precisa de ajustes nos Estados. No Mato Grosso, o governador e candidato à reeleição Pedro Taques (PSDB) aliou-se ao PSL, por isso abrirá seu palanque também para Jair Bolsonaro.

Já o PR, que vai indicar Josué Gomes como vice do presidenciável tucano, fechou com o PT do Mato Grosso. Em Pernambuco, os tucanos começam a avaliar romper o acordo com Armando Monteiro (PTB) para lançar o deputado Bruno Araújo ao governo.

O motivo: O petebista declarou apoio ao presidenciável do PT. Nacionalmente, o PTB foi o primeiro partido a apoiar Alckmin. Bruno Araújo seria o candidato ao Senado na chapa de Armando Monteiro. Foi rifado justamente por ter dado o voto 342, que definiu o impeachment da petista Dilma Rousseff.

Nesta semana, o PSDB de Pernambuco vai procurar Geraldo Alckmin para uma definição sobre o impasse. O argumento: será difícil explicar ao eleitor a composição com um aliado de Lula, além de o presidenciável ficar sem palanque no sétimo colégio eleitoral do País.

Tem mais. O candidato do PT ao Planalto já conta com três palanques em Pernambuco. Além de Monteiro, o governador Paulo Câmara (PSB) e Marília Arraes (PT). Os tucanos querem os votos dos 40% que se declaram anti-petistas.

Colisão aconteceu na BR-232, em Serra Talhada

               Colisão aconteceu na BR-232, em Serra Talhada Foto: Divulgação/PRF

Uma colisão frontal entre um Fiat Uno e um Chevette deixou quatro pessoas feridas no quilômetro 411 da BR-232, em Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, na tarde do domingo (22). Todas as vítimas eram ocupantes do Chevette e foram socorridas para o Hospital Regional Agamenom Magalhães, na mesma cidade.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, o motorista do Uno – que não ficou ferido – realizou o teste do bafômetroque indicou um índice de 0,42 mg/L de álcool no sangue. Este valor configura crime de trânsito, uma vez que este é considerado a partir da ingestão de 0,04 mg/L.

Leia também:
Três veículos se envolvem em acidente no bairro da Torre
Motorista embriagado atropela e mata cadeirante em SP

Ainda de acordo com a PRF, o motorista do Uno teria entrado na contramão da rodovia, o que acabou provocando o acidente. Após o teste de bafômetro comprovar a ingestão de bebida alcoólica, o motorista foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Serra Talhada.

Fellipe Bastos, volante do Sport

                       Fellipe Bastos, volante do Sport Foto: Paullo Allmeida/FolhaPE

O clima pesou na Praça da Bandeira. Com a segunda derrota em dois jogos após o recesso do Brasileirão, o Sport deixou o gramado da Ilha do Retiro debaixo de muitas vaias neste domingo (22), após a derrota para o Fluminense. Sem conseguir mostrar um bom futebol nesses dois compromissos, contra o lanterna Ceará e agora diante do Tricolor Carioca. Na saída do gramado, os jogadores não conseguiram disfarçar o abatimento com o resultado decepcionante.

Um dos principais jogadores do elenco, o volante Fellipe Bastos se mostrou bastante chateado. “Eu sempre converso com o grupo de que se não dá para ganhar ao menos não vamos perder. Pontuar sempre é muito importante num campeonato longo como a Série A. Mas, vacilamos e agora é consertar os erros para voltarmos a vencer”, comentou.

Com um bom aproveitamento nas 12 primeiras rodadas, quando terminou como sétimo colocado, com esses mesmos 19 pontos, o Sport já caiu para a décima posição e os mais pessimistas já começam a temer o fantasma do rebaixamento. Adotando o mesmo discurso de se manter a calma, o treinador Claudinei Oliveira admitiu estar chateado com a atual situação, mas preferiu olhar para frente com mais otimismo. “Não é quadro para se falar de rebaixamento ainda. Estamos entre os dez primeiros. Ninguém gosta de perder. Vai ser difícil dormir essa noite (ontem), mas esses pontos não voltam mais. Já tivemos boas sequências nesse Brasileirão e vamos em busca disso”, frisou Claudinei.

Nesse período de 35 dias sem jogos oficiais, a Ilha do Retiro passou por uma reforma no gramado pela empresa responsável e a expectativa é que o piso estivesse em perfeitas condições. Para o comandante leonino, não foi o que aconteceu. “Apesar da reforma, o gramado hoje (neste domingo) está pior do que estava no jogo contra o Grêmio, antes da reforma. Prejudica nosso time, que é leve, de toque rápido na bola. Não estou dizendo que perdemos por conta do gramado, mas atrapalhou”, finalizou.

Nas próximas duas rodadas, o Sport vai encarar o Vitória e o Flamengo, ambos fora de casa. Com cinco pontos de distância da Z4, o Leão precisa pontuar para afastar a crise no clube.

Programa beneficia alunos de escolas públicas e bolsistas de instituições privadas do ensino médio

Programa beneficia alunos de escolas públicas e bolsistas de instituições privadas do ensino médioFoto: Bruno Campos/Arquivo Folha
Começam nesta segunda-feira (23) as inscrições para 363 bolsasem cursos superiores do Prouni Recife. O prazo segue até a próxima quarta (25) e os interessados devem se inscrever pelo site www.prouni.recife.pe.gov.br. São vagas em 68 cursosdistribuídas em nove instituições de ensino superior. O primeiro listão de selecionados será divulgado no próximo sábado, 28.
Para concorrer, o candidato precisa comprovar renda bruta familiar, per capita, de até dois salários mínimos; ter cursado ensino médio em escola da rede pública ou da rede particularcomo bolsista integral; ter obtido nota mínima de 450 pontos no último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), sem zerar a redação; ser residente e domiciliado no Recife por, no mínimo, três anos; e não ter diploma de nível superior.
Os alunos selecionados terão direitos, através do Passe Livre, a 70 passagens de ônibus gratuitas por mês. Entre os cursos oferecidos pelo Prouni Recife estão Medicina, Odontologia, Administração, Arquitetura e Urbanismo, Direito, várias engenharias, Design, Educação Física, Enfermagem, Hotelaria, Jornalismo, Psicologia, Publicidade e Propaganda, Relações Internacionais e Sistemas de Informação.
Quem não tiver acesso à Internet poderá fazer sua inscrição nos computadores da Gerência Geral do Prouni Recife, no térreo da PCR, e nas Salas do Empreendedor situadas no Compaz Eduardo Campos (no Alto Santa Terezinha) e no Compaz Ariano Suassuna(no Cordeiro). O serviço funcionará entre os dias 23 e 25, das 9h às 16h. Outras informações pelo telefone (81) 3355-8759 ou pelo e-mail prouniatende@recife.pe.gov.br.
Implantado em 2015, o Prouni Recife tem, hoje, cerca de 1.080 alunos inscritos e pode ser estendido aos professores da rede pública do Recife no exercício do magistério da educação básica, desde que integre o quadro de pessoal permanente. O programa oferece, nesse caso, bolsas para os cursos de licenciatura, normal superior e pedagogia, destinados à formação do magistério daeducação básica.
Cantora Cristina Amaral

                         Cantora Cristina Amaral Foto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

“As expectativas são melhores possíveis”, diz Cristina Amaral, sobre levar sua homenagem à Núbia Lafayette ao Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) deste ano. A cantora apresenta, nesta segunda-feira (23), às 21h, no Palco Mestre Dominguinhos, o espetáculo “Para Núbia, com amor, Cristina”, que rememora a carreira desta grande cantora brasileira.

Núbia é uma referência para muitos artistas e uma grande cantora que tem história no Brasil todo. É uma grande artista, que deixou um legado, que tem uma história bonita na música de época, seresta, e que fez um grande sucesso no Recife. Ela tinha um carinho muito grande por Pernambuco”, comenta Cristina, que além de apresentar seu espetáculo, lançará, também durante o FIG, o CD fruto do tributo à Núbia Lafayette.

Leia também:
Festival de Inverno de Garanhuns celebra a liberdade
FIG: André Rio, Menescal e Luciano Magno homenageiam a Bossa Nova
Raimundo Carrero lança tetralogia no Festival de Inverno de Garanhuns

“Essa homenagem virou CD com arranjos mais atuais e diferentes, incrementando alguns instrumentos da época, como o órgão. Mas tudo isso sem fugir do trabalho da Núbia”, explica a cantora, que desde muito cedo recebeu grande influência da música seresteira. “Essa influência veio das minhas irmãs. Desde criança eu sempre fui apaixonada por todos os seresteiros”, ressalta.

Na mesma pegada de homenagens a grandes nomes da música regional, Cristina Amaral está idealizando um próximo projeto para Nelson Gonçalves. “Eu era uma criança apaixonada por Nelson Gonçalves”, destaca a artista, que acumula prêmios e tributos dedicadas à música e à cultura nordestina.

   35 anos

No dia 26 de janeiro de 2019, a cantora Cristina Amaral se apresenta para o público europeu no Psiu Forró Festival Berlin. A artista será a primeira mulher a ser a atração principal do Festival, iniciando em grande estilo as comemorações dos seus 35 anos de carreira.

“Ser convidada para cantar no festival é muito significativo. É um evento grandioso lá na Alemanha, que vem crescendo cada vez mais. É um privilégio ser a primeira cantora a participar, já que a maioria que se destaca no forró é homem”, conclui.

Inaldo Sampaio

Inaldo Sampaio Foto: Arthur Mota

A vereadora Marília Arraes considera superadas as dificuldades que enfrentava no PT para ser candidata a governadora e já o fato novo da eleição de Pernambuco impulsionada por vários fatores. Ela se favorece pelo desgaste do governo Paulo Câmara que enfrenta dificuldades com os próprios aliados por falta de recursos para investimento. É vista como legítima herdeira do “arraesismo” que deixou seguidores em todas as regiões do Estado. Beneficia-se por pertencer ao mesmo partido do ex-presidente Lula, que tem mais de 50% da preferência dos pernambucanos para voltar ao Palácio do Planalto. E pelo seu carisma e simpatia começa a cair nas graças do eleitorado jovem e feminino. Foi o que se pôde perceber de um recente giro que ela empreendeu pelo Sertão do Pajeú, onde visitou o ex-deputado José Marcos de Lima, tomou café com o deputado Rogério Leão e recebeu o apoio de lideranças políticas de diversos municípios, entre elas o ex-prefeito de São José do Egito, Romério Guimarães, e o ex-prefeito de Santa Terezinha, Adeval Ferreira de Andrade. Este último pertence ao PSB e era amigo do ex-governador Eduardo Campos, que o recebeu diversas vezes em Palácio e sempre fez questão de prestigiá-lo. Marília conta com um “abre alas” que tem sido importantíssimo em sua campanha eleitoral: o deputado federal Sílvio Costa, um dos candidatos a senador na sua chapa.

Reforço na Mata Sul
O deputado federal João Fernando Coutinho (PROS) vai anunciar amanhã seu rompimento com o governo Paulo Câmara e sua adesão à campanha de Marília Arraes (PT). Levará consigo cinco prefeitos da Mata Sul. Já o pai dele, Eduardo Coutinho, prefeito de Água Preta pela 5ª vez e uma das figuras emblemáticas do PSB, já escreveu a carta pedindo desfiliação do partido.

Na dúvida > Se dependesse da ex-prefeita de Floresta, Rorró Maniçoba (PSB), seu filho, Kaio, deputado federal pelo Solidariedade, já teria rompido com o governo Paulo Câmara para se juntar a Marília Arraes (PT). Ele está muito machucado com o tratamento que o governo lhe dá.

O favorito > Ganhou força nas últimas 48 horas a candidatura de Eriberto Medeiros (PP) para ser o próximo presidente da Assembleia Legislativa. Cleiton Collins (PP), o 1º vice, perdeu força porque é considerado “muito conservador” para o gosto da maioria dos colegas.

Sem candidato > Édson Vieira (PSDB), prefeito de Santa Cruz do Capibaribe e um dos que romperam com o governo Paulo Câmara em 2017, está sem candidato a governador. Não vota em Armando Monteiro (PTB) por causa dos seus adversários no plano local, José Augusto Maia e Fernando Aragão, e tem dificuldade para apoiar Marília por ela ser do PT.

À Câmara > Bruno Araújo (PSDB) gosta mesmo é da Câmara Federal e teve ter adorado o veto ao seu nome para ser candidato a senador ao lado de Mendonça Filho (DEM). Se ele, de fato, tivesse interesse em ser candidato a vice ou a senador, já teria se lançado há muito tempo.

Carlos Marun

                                    Carlos Marun Foto: Wikipedia

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, propôs um pacote de medidas para a candidatura de Henrique Meirelles (MDB) à Presidência da República que inclui, entre outros pontos, a criação de uma corte que se sobreponha ao STF (Supremo Tribunal Federal), a anistia ao caixa dois cometido em campanhas eleitorais passadas e a cobrança de um valor mínimo para o atendimento no sistema público de saúde.

Em mensagem encaminhada a Meirelles e a deputados do MDB, Marun afirma que o partido “tem um ótimo candidato” e “liberdade” para estabelecer um programa “que não seja refém das mazelas de um presidencialismo de coalizão”.

Segundo o ministro, responsável pela articulação política do governo Michel Temer, esse sistema -praticado pelo presidente, inclusive- tem a “tendência de transformar-se em um balcão de negócios”.

“Vamos desburocratizar as eleições, mas punir realmente o uso de dinheiro ilegal nos pleitos. Podemos propor uma forma de leniência para o caixa dois já praticado e o criminalizarmos para o futuro”, diz o texto do ministro ao qual a Folha teve acesso.
E segue: “Vamos propor mandatos para o STF, revogar a Lei da Bengala, votar a Lei do Abuso de Autoridade, e criarmos uma Corte Constitucional que possa dirimir conflitos entre as decisões do STF e a Constituição Federal”.

O ministro ainda afirma que a candidatura do MDB deve propor a manutenção do Bolsa Família -principal bandeira dos governos do PT-, mas que a gratuidade absoluta no atendimento pelo sistema público de saúde deve ser restrito apenas “para aqueles que são realmente carentes”. Nos outros casos, defende Marun, é preciso cobrar um valor mínimo.

“Vamos manter o Bolsa Família, mas vamos propor um valor mínimo para o atendimento pela saúde pública, mantendo a gratuidade absoluta somente para aqueles que são realmente carentes”, escreveu. À reportagem, Meirelles confirmou que recebeu o texto de Marun. “Vou ler com cuidado e conversar para a redação do programa de governo”, disse.

Outro ponto destacado pelo ministro como uma possível proposta da candidatura de Meirelles é a obrigatoriedade para que emissoras de TV concessionárias públicas apresentem diariamente, das 9h às 11h e das 14h às 16h, programas educativos produzidos pelo estado.

No documento, Marun afirma que é preciso “radicalizar nas privatizações” e propor a autonomia do Banco Central, além de exaltar a necessidade de fazer a reforma da Previdência -a proposta foi encaminhada por Temer ao Congresso mas, sem força política e às vésperas das eleições, o presidente a viu naufragar no início deste ano.

O documento também funciona como uma espécie de resposta do ministro ao apoio que partidos do centrão -DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade-, todos da base de Temer, fecharam em torno da pré-candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Planalto. Mesmo com cargos no governo, as siglas não quiseram firmar aliança com Meirelles, que hoje tem 1% nas pesquisas ante aos 7% do tucano.

Antes crítico à candidatura de Meirelles, Marun agora estimula a candidatura do ex-ministro da Fazenda e afirma que a atitude de Alckmin de não apoiar Temer na votação das duas denúncias contra o presidente, derrubadas na Câmara no ano passado, torna o tucano “não merecedor” do respaldo do MDB.

Ele chama de “débil mental” o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, e diz que a o governo “ajudou” o acordo com Alckmin ao “vetar” o apoio do centrão a Ciro.

Ortigoza marcou o gol da vitória

        Ortigoza marcou o gol da vitória Foto: Arthur Motta/Folha de Pernambuco

Festa antes, muita tensão durante e uma explosão de alegria no final. No dia em que o Náutico comemorou o cinquentenário do hexacampeonato estadual, conquistado em 1968, a nova geração do Timbu suou bastante, mas não decepcionou os mais de sete mil torcedores na Arena de Pernambuco. Ortigoza saiu do banco de reservas e, aos 49 do segundo tempo, marcou o gol de cabeça que decretou a vitória por 1×0 diante do Juazeirense, pelo Grupo A da Série C. O resultado praticamente credencia o clube, vice-líder com 26 pontos, a disputar à fase de mata-mata da competição.

Com Ortigoza no banco de reservas, o técnico Márcio Goiano optou por montar um trio ofensivo de maior mobilidade. Robinho fez a função de centroavante. O lado esquerdo foi o mais acionado no início do jogo, com a interação entre Assis e Lelê. Mesmo com mais posse de bola, os alvirrubros finalizavam pouco. O primeiro susto só veio com
um chute de longa distância de Bryan. A pena pela pouca objetividade quase veio minutos depois. Jussimar aproveitou erro de Sueliton na saída de bola e armou contra-ataque perigoso, mas não finalizou bem.

Com Robinho saindo mais da área, o Náutico encaixou boas triangulações, mas o passe final não saia da melhor forma. Quando a assistência foi precisa, o erro ficou na finalização. Foi assim quando Assis caprichou no cruzamento e Robinho, livre de marcação, mandou para fora. Completamente fechado na grande área, o Juazeirense segurou os alvirrubros e levou o 0x0 para o intervalo.

Goiano mudou a proposta de jogo no segundo tempo. Robinho voltou a atuar pela ponta e Ortigoza foi acionado na vaga de Lelê. No primeiro lance em campo, o centroavante quase abriu o placar em chute de longe que exigiu toda a elasticidade de Tigre. Os contantes erros de passe no meio-campo e a afobação na hora de concluir a gol só
pioravam com o passar do tempo. Para solucionar pelo menos o primeiro dos dois problemas, o treinador fez outra mudança, colocando Jobson no lugar de Dudu.

Fazendo “cera” desde a metade do segundo tempo, o Juazeirense parecia satisfeito com o ponto conquistado no Recife. Bem diferente do Náutico, que lutou até o final para conseguir os três pontos. O resultado caminhava para o 0x0 quando Ortigoza, aos 49 minutos do segundo tempo, acabou com o jejum de cinco partidas sem balançar as redes e fez explodir a torcida alvirrubra. Há 50 anos, Ramos foi o herói. Hoje, o posto ficou com Ortigoza.

Ficha técnica

Náutico 1
Bruno; Bryan, Camutanga, Sueliton e Assis (Gilmar); Josa, Jhonnatan e Luiz Henrique; Dudu (Jobson), Lelê (Ortigoza) e Robinho. Técnico: Márcio Goiano

Juazeirense 0
Tigre, Capone (Carlinhos), Eron, Alysson (Enercino), Deca; Júnior Gaúcho, Rodolfo Potiguar, Jussimar, Juninho Tardelli, Toni Galego e Salatiel (Vitor). Técnico: Evandro Guimarães

Local: Arena de Pernambuco (São Lourenço de Mata/PE)
Árbitro: Diego da Silva Castro (PI). Assistentes: Mauro Cezar Evangelista de Sousa e Alisson Lima Damasceno (ambos do PI)
Gols: Ortigoza (aos 49 do 2ºT)
Cartões amarelos: Capone, Tigre, Enercino (J); Dudu, Bryan, Jhonnatan, Jobson (N)
Renda: R$ 111.475,00
Público: 7.514

Depois de retirar sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco na semana passada, o deputado estadual Odacy Amorim (PT) declarou apoio, neste domingo (22), à pré-candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) a governadora.

O deputado, que ao lado do militante José de Oliveira postulava o seu nome dentro do partido a vaga de pré-candidato ao Governo, sinalizou pela candidatura própria do partido.

Lenivaldo Aragão citou caso da lesão do árbitro na final

Lenivaldo Aragão citou caso da lesão do árbitro na finalFoto: Gustavo Glória/Folha de Pernambuci

Um ídolo que quase vestiu a camisa rival, um argentino visionário e até um árbitro que se machucou justamente em uma final de campeonato. A campanha do hexacampeonato do Náutico guarda algumas curiosidades de bastidores. O jornalista Lenivaldo Aragão e o escritor Paulo Augusto, autor do livro “A guerra dos seis anos – A saga do hexa”, relembraram momentos que ajudaram, diretamente ou indiretamente, na construção da campanha vitoriosa do Náutico de 1963 a 1968.

Profecia de Gonzalez

Para juntar tantas revelações, Gonzalez adaptou algumas peças. Rinaldo, que atuava no meio, foi deslocado para a ponta esquerda. A mudança desagradou o atleta, mas o treinador foi profético. “Ele chegou para Rinaldo e disse: ‘você vai parar na Seleção Brasileira se jogar assim’. Um ano depois, quando estava no Palmeiras, foi convocado”, disse Lenivaldo.

“Fuga de Gena” e Lula

Goleiro e ídolo do Náutico desde 1957, Waldemar deixou o clube pela porta dos fundos. A confusão começou quando o camisa 1 levou o lateral-direito Gena para fazer um teste no Botafogo. A notícia irritou o dirigente do clube, José Porfírio. Waldemar saiu do Timbu e assinou com o Santa Cruz. Não antes de cravar uma frase emblemática: “Serei até chofer de praça em São Paulo, mas no Náutico não ficarei”. A saída foi crucial para o surgimento de outro ídolo: Lula “Monstrinho”.

Os 11 que nunca jogaram juntos

Lula; Gena, Mauro, Fraga e Clóvis; Salomão, Ivan, Nado e Bita; Nino e Lala. A escalação, dita de cor e salteado pelos alvirrubros mais saudosos, tem uma curiosidade: esses 11 jamais atuaram juntos. “Uns saíram antes, outros chegaram depois, mas os alvirrubros de certa forma criaram esse “time dos sonhos” da campanha”, apontou Paulo Augusto. A escalação utilizada na final de 68 teve Valter; Gena, Matias, Limeira e Toinho; Jardel (Lala) e Ivan; Miruca (Rato), Ramos, Nino e Lala (Ede).

Nado no Sport?

Irmão do atacante Bita, Nado estava encerrando contrato no Náutico em 1963 quando o Sport tentou levá-lo para a Ilha do Retiro. O presidente da época, Eládio de Barros Carvalho, foi taxativo. “Nado não será negociado com o Sport em hipótese alguma.”

Mudança de árbitro

Armindo Tavares entrou para a história como o árbitro que apitou a final de 1968. Mas há um detalhe: o profissional estava com bandeirinha no jogo e precisou assumir o apito quando o juiz principal, Erilson Gouveia, sentiu uma lesão na coxa.

Aposentado aos 26

Em um jogo contra o Ceará, pela Taça Brasil, o volante Salomão sofreu uma séria lesão no rim. O atleta chegou a correr risco de vida e precisou passar por uma cirurgia. Problema que encerrou sua carreira de forma precoce, aos 26 anos. A contusão foi causada por uma entrada do zagueiro Mauro, que no ano seguinte defendeu as cores do Náutico, se tornando um dos principais jogadores na campanha do hexa.

Leia também:
Reconhecimento que não tem preço
Araponga, o símbolo pé quente da conquista

Técnico Roberto Fernandes, do Santa Cruz

Técnico Roberto Fernandes, do Santa CruzFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A matemática garante 90% de classificação para uma equipe que atingir 27 pontos ao final desta primeira fase de grupos da Série C do Brasileiro. Ou seja, ao Santa Cruz, duas vitórias, nos quatro jogos restantes, encaminham a equipe à fase eliminatória da competição. Na noite deste sábado, às 19h, no estádio Almeidão, em João Pessoa, diante do Botafogo/PB, o Tricolor terá a primeira oportunidade de diminuir ainda mais estes números. Para isso, o técnico Roberto Fernandes está com a equipe praticamente definida. Uma dúvida ainda persegue o comandante, e ela está concentrada na lateral esquerda. Quem seria o substituto do suspenso Allan Vieira?

Leia também:
Vaga na lateral esquerda do Santa Cruz segue em aberto
Santa Cruz tem segunda melhor defesa da Série C
Náutico e Santa precisam seguir a mesma trilha na Série C

Apesar de ausências, Roberto Fernandes esboça Santa Cruz

Santa Cruz entra em campo, nesta 15ª rodada da Série C, defendendo sua posição dentro do G4 do Grupo A da competição. Com 21 pontos, na terceira colocação, a equipe tem, até o momento, um aproveitamento de 50%. Como visitante, o Tricolor acumulou um retrospecto de duas vitórias, quatro empates e, apenas, uma derrota. O Botafogo/PB foi derrotado apenas uma vez, em seus confrontos como mandante, no campeonato. São mais três vitórias e dois empates, nas outras cinco partidas em que atuou diante do seu torcedor. Os paraibanos, na sexta colocação, estão a três pontos do Tricolor, com 18, e têm um aproveitamento de 42,9%.

Para enfrentar o Botafogo/PBRoberto Fernandes tem estudado a possibilidade de escalar o zagueiro Eduardo Brito, que já atuou na lateral esquerda em algumas oportunidades, ou o lateral-direito Mílton. Ambos lutam pela vaga de Allan Vieira. Vale lembrar que o elenco do Santa Cruz não tem dois laterais esquerdos de ofício desde que Ávila foi dispensado, há um mês. Quem tem mais chances de atuar é a primeira opção. Por outro lado, o comandante terá a sua disposição o meia Arthur Rezende, que volta de suspensão.

“Arthur Rezende está confirmado. Mas ainda não temos uma definição com relação à lateral esquerda. Até porque, qualquer escolha será uma improvisação. Eduardo é zagueiro e canhoto. Ele pode ocupar o espaço, mas você descarta o apoio completamente. Podemos também colocar um lateral-direito. Ou seja, seria outra improvisação, mas é da posição. Vamos explorando tanto Maílton quanto Eduardo para ver qual opção que causa menos prejuízo ao time”, afirmou Roberto Fernandes.

Além da volta de Arthur Rezende, o Santa Cruz irá contar com o volante Carlinhos Paraíba, no jogo. O jogador está recuperado de um estiramento na coxa. Lesão que aconteceu no último clássico contra o Náutico. O retorno do jogador, inclusive, foi confirmado por Roberto Fernandes. “Carlinhos, para mim, é um grande jogador em todos os aspectos. Atleta exemplar, líder no grupo… Ele teve uma lesão, e está passando por todo o processo de recuperação. Não iremos antecipar nada. Com isso, a resposta dele tem sido muito boa, tem crescido nos treinamentos e deve aparecer na relação que vai para o jogo”, falou o comandante.

FICHA DE JOGO:

BOTAFOGO/PB
Saulo; Gedeilson, Gladstone, Júnior Lopes e Daniel; Rafael Jataí, Rogério, Juninho e Marcos Aurélio; Leandro Kível e Clayton; Técnico: Evaristo Piza

SANTA CRUZ
Tiago Machowski; Vítor, Danny Morais, Sandoval, Eduardo Brito (Maílton); Eduardo, Willian Maranhão, Arthur Rezende; Jailson, Robinho e Pipico. Técnico: Roberto Fernandes

Local: Estádio Almeidão, em João Pessoa
Horário: às 19h
Árbitro: André Rodrigo Rocha (TO)
Assistente: Fabio Pereira e Cipriano da Silva Sousa (Ambos de TO)
Transmissão: Esporte Interativo

Usina Hidrelétrica de Três Marias, em Minas Gerais

Usina Hidrelétrica de Três Marias, em Minas GeraisFoto: Manoel Marques/Imprensa MG

A porção alta da Bacia do Rio São Francisco, na Região Sudeste, enfrenta sua pior crise, segundo relatório divulgado pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

O reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Marias, em Minas Gerais, encontra-se com aproximadamente 45,4% do volume útil armazenado, e os cenários simulados sugerem que as vazões fiquem abaixo da média histórica para os próximos meses, mesmo que as chuvas atinjam a média esperada.

Leia também:
Manga do Vale do São Francisco aporta na África do Sul

“Mesmo chovendo acima da média, [o volume de] a água que entrará no reservatório será menor que [o da] a média histórica. Significa que, independentemente, da chuva nos próximos três, quatro meses, a situação do São Francisco continuará crítica”, afirma o coordenador-geral de Operações e Modelagens do Cemaden, o meteorologista Marcelo Seluchi.

vazão natural média do Aproveitamento Hidrelétrico Três Marias em junho deste ano foi de 126 metros cúbicos por segundo (m³/s), o que representa uma redução de 61% em relação à vazão histórica média mensal, considerando o período de 1983-2017, de acordo com os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

estiagem no São Francisco tem se mantido desde 2013. No ano passado, sua bacia hidrográfica já tinha passado pela maior seca em quase 90 anos de medição oficial.

Para Seluchi, a situação no São Francisco só não é mais grave por causa da ação de um fórum de acompanhamento da crise hídrica na Bacia do São Francisco coordenado pela Agência Nacional das Águas (ANA), que se reúne semanalmente com atores da sociedade civil, governos da região e companhias hidrelétricas.

“A situação só não é muitíssimo mais grave porque realmente há uma ação das autoridades, dos organismos de regulação, distribuição, usuários, que decidem ações tendentes a conservar a água do Rio São Francisco”, disse o meteorologista.

O fórum foi proposto pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, órgão colegiado integrado por representantes do Poder Público, da sociedade civil e de empresas usuárias de água. Criado em 2001, o comitê tem atribuições normativas, deliberativas e consultivas, com o objetivo de tornar a gestão dos recursos hídricos da bacia descentralizada e participativa.

“Essa articulação [fórum] vem adotando, a cada ano, medias relativas ao controle de vazões de tal maneira que, no período úmido, se possa acumular água nos reservatórios para que se chegue até novembro com um nível que permita evitar a chegada ao volume morto”, disse o presidente do comitê, Anivaldo Miranda.

De acordo com o comitê, o Rio São Francisco é responsável por 70% da disponibilidade hídrica da Região Nordeste e do norte de Minas Gerais.

Sobradinho
O maior reservatório do Nordeste, o de Sobradinho, na Bahia, também está passando por um controle de vazão para garantir o nível acima do volume morto em novembro.

“Em Sobradinho, a vazão está em 600m³/s, que é muito menor que a vazão mínima tradicional, que é de 1.300, mas isso permite que se tenha um certo horizonte de atendimento com o mínimo de segurança, seja para abastecimento humano, irrigação, agricultura e geração de energia hidrelétrica”, acrescentou Miranda. Ele estimou que o principal reservatório do Nordeste deve estar agora com cerca de 32% do voluma útil e deve chegar a novembro com 15%.

Cantareira
Segundo o Cemaden, os reservatórios do Sistema Cantareira, responsáveis pelo abastecimento de cerca de 7,5 milhões de pessoas na região metropolitana de São Paulo, encontram-se com aproximadamente 42,5% da sua reserva hídrica.

Em junho deste ano, a vazão média afluente a esses reservatórios foi de 11,9m³/s, o que representa 34% da média histórica para o mês. e a projeção é de que as vazões fiquem abaixo da média histórica para os próximos meses, mesmo com chuvas dentro da média para o período.

Para Seluchi, a situação do Cantareira é um pouco pior do que a de 2013, antes da crise de abastecimento que resultou no uso do volume morto do sistema. Ele ressaltou, porém, que o impacto da seca deste ano não deve atingir as mesmas proporções da de 2015.

“Não podemos classificar de crítica, mas é uma situação delicada, vai precisar de um manejo conservador dos recursos hídricos. Isso já está sendo feito e devemos contar com uma estação chuvosa que não seja tão ruim como foi em 2014. É bastante provável que isso não se repita em 2018 e 2019”, afirmou.

Dr. Bumbum ao lado da mãe

                         Dr. Bumbum ao lado da mãe Foto: reprodução/PMRJ

médico Denis Cesar Barros Furtado, 45, o Doutor Bumbum, e sua mãe, Maria de Fátima Furtado, foram transferidos na tarde desta sexta-feira (20) para o presídio de Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro.

Após dois dias foragidos, eles foram presos na tarde de quinta (19) na Barra da Tijuca, zona oeste, e passaram a noite prestando depoimento na delegacia. Eles são acusados de envolvimento na morte da bancária Lilian Calixto, 46.

Moradora de Goiás, Lilian morreu no último domingo (15), horas depois de ser submetida a um procedimento estético no glúteo no apartamento do médico, em um condomínio na Barra.

Leia também:
Dr. Bumbum diz que procedimento estético foi correto e justiça será feita
Conselho Regional de Medicina do DF cassa licença de Dr. Bumbum

médico relatou que a paciente não teve reação à aplicação de 300 ml de PMMA (polimetilmetacrilato) na região do glúteo. Ela teria, no relato dele, ligado mais tarde alegando estar se sentindo mal e foi levada a um hospital privado.

Em entrevista concedida na delegacia, o médico disse que a paciente estava lúcida e apenas com pressão baixa quando chegou à emergência do hospital, por volta das 1h30. Já o hospital contesta a versão e diz que ela chegou em estado grave, por volta das 23h.

Lilian Calixto morreu por suspeita de uma embolia pulmonar. O médico, sua mãe, que atuava como assistente, e a namorada de Denis, que atuava como secretária, irão aguardar o julgamento presos.

A Polícia Civil ainda não divulgou quais crimes serão imputados a cada um deles. Sabe-se até o momento que o procedimento não poderia ser feito em uma residência.

Segundo o portal de notícias G1, Denis e Maria de Fátima foram considerados pela polícia suspeitos da morte do namorado dela, em 1997. O processo foi arquivado em 2017.

O médico, que nas redes sociais diz atender no Rio, em Brasília e em Goiás, tem registro apenas nos conselhos regionais de medicina desses dois últimos locais. Na prática, portanto, ele não estaria habilitado a atender no Rio.

O apelido de Doutor Bumbum nasceu nas redes sociais, onde é popular por postar fotos de pacientes antes e depois de procedimentos estéticos, numa prática condenada pela comunidade médica. Furtado tem 660 mil seguidores no Instagram.

Conforme a Folha de S.Paulo mostrou em reportagem no último dia 18, o procedimento ao qual Lilian foi submetida utiliza um produto que tem alto risco de causar complicações graves e efeitos permanentes.

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o PMMA pode ser usado para preenchimento de rugas e para restaurar pequenos volumes de tecido perdidos pelo envelhecimento.

Entretanto, nem a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) nem a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) recomendam o uso do produto para fins estéticos.

A exceção seria o uso da substância para preenchimento facial em pessoas com HIV/Aids, para corrigir a lipodistrofia (distribuição incorreta da gordura no corpo) causada pelos medicamentos.

A recomendação do Conselho Federal de Medicina é que o PMMA não seja utilizado em grandes quantidades, que podem gerar reações como inflações, nódulos, necrose e até a morte. A defesa do médico nega que ele tenha incorrido em práticas irregulares e diz que ele tem sido vítima de julgamento pela imprensa.

Carteira de Trabalho

                               Carteira de Trabalho Foto: Reprodução/Internet

Pela primeira vez em 2018, as demissões superaram as contratações no mercado de trabalho formal em junho. O resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) ficou negativo em 661 vagas no mês passado, de acordo com dados divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (20).

Nos meses anteriores, o mercado de trabalho formal já mostrava forte desaceleração, mas ainda tinha um saldo positivo – ou seja, as contratações superavam as demissões. Em maio, o Brasil registrou a criação de 33,7 mil trabalhos com carteira assinada, que tinha sido o menor saldo em 2018.

Leia também:
Micro e pequenas são o primeiro emprego para 55% dos jovens
Cresce emprego formal nas usinas, diz Cepea

O saldo de junho teria sido ainda pior sem as vagas intermitentes. O resultado divulgado pelo governo considera um saldo positivo de 2.688 vagas de trabalho nessa modalidade. Sem considerá-los, o saldo fica negativo em mais de 3 mil postos.

A Folha de S.Paulo revelou que o governo tem incluído os intermitentes na estatística de emprego mesmo sem saber se de fato trabalharam. Desde novembro, os contratos de intermitentes têm aumentado o resultado geral do Caged.

Essa modalidade, criada pela reforma trabalhista, também é conhecida como zero hora, já que não prevê uma jornada fixa. A lei trabalhista foi alterada com o argumento de estimular a criação de empregos no país.

O desempenho do Caged foi pior que em junho de 2017, quando o saldo foi positivo, com 9.821 novas contratações.

No mês passado, a indústria de transformação e o comércio foram os setores que mais encerraram vagas. Cada um deles fechou mais de 20 mil postos. A agropecuária, por outro lado, garantiu um saldo positivo de 40.917.

No acumulado no primeiro semestre de 2018, o saldo de criação de emprego está positivo em 392,5 mil vagas. Em 12 meses, o resultado é de uma criação de 280 mil vagas.

No fim de 2017, as estimativas apontavam a criação de cerca de 1 milhão de novos postos com carteiras. Desde março, no entanto, a desaceleração tem sido tão brusca que, mantido o ritmo registrado a partir daquele mês, o mercado de trabalho pode fechar 2018 com um saldo líquido de apenas 220 mil vagas com carteira, segundo levantamento da LCA Consultores feito com exclusividade para a Folha de S.Paulo.

Whatsapp

                             WhatsappFoto: Arun Sankar/ AFP

O aplicativo de mensagens Whatsapp vai passar a ter um limite de destinatários para o encaminhamento de mensagens. Segundo a empresa, de propriedade do Facebook, o objetivo com isso é reduzir a disseminação de notícias falsas. A novidade foi anunciada nessa quinta-feira (19) pela empresa por meio de seu blog institucional.

Leia também
Facebook ainda não está preparado para enfrentar fake news, diz Zuckerberg
TSE assina memorando com Facebook e Google contra fake news
Justiça Eleitoral é desafiada por fake news

Whatsapp é a segunda maior rede social do planeta, com 1,5 bilhão de usuários. A plataforma perde apenas para o Facebook, com 2,2 bilhões de pessoas inscritas. No Brasil, são mais de 100 milhões de pessoas com o aplicativo. Até antes da mudança, uma mensagem poderia ser repassada a até 250 chats (conversas, que podem ocorrer com pessoas ou grupos) de uma vez. Com a limitação, o número será de 20 chats quando alguém desejar encaminhar um texto recebido.

Na Índia, a restrição será maior, com o encaminhamento sendo permitido somente cinco chats. Também haverá uma alteração na ferramenta de repasse, retirando a opção de perto das mensagens. O país registrou casos de linchamentos e assassinatos a partir de boatos disseminados pelo Whatsapp, o que colocou o aplicativo em questão e gerou debates em diversos países.

“Nós acreditamos que essas mudanças, que nós vamos continuar avaliando, vão ajudar a manter o Whatsapp no sentido do que ele foi desenvolvido para ser: um aplicativo de mensagens privadas”, afirmou a empresa em seu blog.

O app vem sendo apontado por especialistas e autoridades como um dos canais mais potentes de difusão de notícias falsas. Entre os fatores que abririam espaço para esse tipo de prática estariam a facilidade de repassar as mensagens e a ausência de identificação desse tipo de procedimento, o que favoreceria uma lógica de mensagens sem autoria.

Para lidar com o segundo problema, na semana passada o Whatsapp já havia anunciado que as mensagens repassadas passariam a ser identificadas enquanto tal. “Esta indicação extra tornará conversas individuais e em grupo mais fáceis de serem seguidas”, argumentou a empresa em seu blog institucional.

Lotofácil

LotofácilFoto: Benira Maia/FolhaPE

Dois apostadores acertaram as 15 dezenas do concurso 1.691 daLotofácil. Cada um deles vai receber o prêmio de R$ 907.063,17. Os números sorteados nesta sexta-feira (20), em Ipameri (GO), foram os seguintes: 01, 02, 03, 04, 05, 07, 08, 10, 11, 12, 13, 15, 16, 18 e 19. O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 23, é de R$ 1,7 milhão.

Confira o rateio oficial:
15 acertos – 2 apostas ganhadoras, R$ 907.063,17
14 acertos – 596 apostas ganhadoras, R$ 1.337,94
13 acertos – 16502 apostas ganhadoras, R$ 20,00

12 acertos – 212166 apostas ganhadoras, R$ 8,00
11 acertos – 977178 apostas ganhadoras, R$ 4,00

Quina
Nenhum apostador acertou as cinco dezenas do concurso 4.729 da Quina. Os números sorteados nesta sexta-feira (20), em Ipameri (GO), foram os seguintes: 05, 16, 35, 42 e 62. O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 21, é de R$ 5,5 milhões.

Confira o rateio oficial:
Quina – 5 números acertados – Não houve acertador
Quadra – 4 números acertados – 91 apostas ganhadoras, R$ 5.555,67
Terno – 3 números acertados – 6813 apostas ganhadoras, R$ 111,58
Duque – 2 números acertados – 172903 apostas ganhadoras, R$ 2,41

Lotomania
Nenhum apostador acertou as 20 dezenas do concurso 1.885 da Lotomania. Os números sorteados nesta sexta-feira (20), em São Paulo, foram os seguintes: 02, 04, 05, 11, 19, 25, 27, 28, 30, 38, 39, 41, 57, 61, 66, 72, 74, 78, 79 e 85. O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 24, é de R$ 2,6 milhões.

Confira o rateio oficial:
20 números acertados – Não houve acertador
19 números acertados – 4 apostas ganhadoras, R$ 56.227,95
18 números acertados – 106 apostas ganhadoras, R$ 1.894,47
17 números acertados – 1024 apostas ganhadoras, R$ 137,27
16 números acertados – 6197 apostas ganhadoras, R$ 22,68
15 números acertados – 27048 apostas ganhadoras, R$ 5,19

Agência Estado

Em um último esforço por uma aliança nacional com o PSB, o PT estuda adiar pela terceira vez a definição sobre a candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo de Pernambuco. A proposta de adiar novamente o encontro estadual que vai definir a posição do PT na eleição para o governo de Pernambuco foi sugerida ontem em reunião do Grupo de Trabalho Eleitoral do partido, e será avaliada pela Executiva Nacional petista, reunida nesta sexta-feira (20) em São Paulo.

A proposta surgiu na quinta-feira (19), pouco depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado na Lava Jato, ter pedido a Márcio Macedo, um dos vice-presidentes do PT responsável por encaminhar as conversas com o PSB, mais empenho na construção de alianças para a disputa presidencial. Ontem, depois de se encontrar com o ex-presidente na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, Macedo disse que Lula pediu mais cuidado com a formação de um leque de alianças.

No dia 5 de julho, em conversa com o líder sem-terra João Pedro Stédile e com o ex-presidente do PT Rui Falcão, Lula havia mandado um recado no sentido inverso ao dizer que “se fosse do PT de Pernambuco já estaria fazendo campanha por Marília Arraes”.

A retirada da candidatura de Marília e apoio do PT à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) é uma das condições para que o PSB possa selar uma aliança nacional com o PT. Os socialistas também negociam com o presidenciável do PDT, Ciro Gomes.

Marília, que aparece em situação de empate técnico com o governador em pesquisas de intenção de voto, é considerada favorita no encontro partidário que vai definir se o PT terá candidatura própria ou apoiar a reeleição de Câmara.

Na reta final da fase de negociações de alianças, o PT corre o risco de ficar isolado na disputa presidencial. Anteontem a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, se reuniu com a direção do PCdoB, acenou com a possibilidade de Manuela D’Avila ser candidata a vice, mas não houve decisão. O PCdoB também negocia com Ciro.

Também ontem o PT perdeu a esperança de contar com o PR. O partido do empresário Josué Gomes da Silva, o “vice dos sonhos” de Lula, aderiu ao Centrão e fechou apoio a Geraldo Alckmin (PSDB).

Folha de São Paulo

Para consolidar a aliança nacional em torno de Geraldo Alckmin na eleição, PSDB e centrão —grupo formado por DEM, PR, PP, SD e PRB— terão que acertar os ponteiros nos estados. Também será preciso evitar que parte do grupo desgarre, como já ameaça fazer o deputado Paulinho da Força (SP), do Solidariedade.

O PSDB enfrenta diretamente partidos do bloco em ao menos nove estados —número que deve mudar até 5 de agosto, fim das convenções partidárias.

Uma das principais preocupações é Minas, onde Antonio Anastasia (PSDB) e Rodrigo Pacheco (DEM) pretendem disputar o governo. Tucanos querem oferecer a Pacheco a vaga do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que, após o desgaste provocado pela Lava Jato, vem sendo pressionado a não tentar se reeleger.

A possibilidade de desistência é considerada na cúpula do DEM, mas não é vista com simpatia por Pacheco. “Tive a garantia por parte da direção nacional de que estarei liberado aqui para a aliança que acharmos devida”, disse.

Apesar de o DEM cogitar também abrir mão de disputar o governo de Santa Catarina e anunciar João Paulo Kleinübing como vice de Esperidião Amin (PP), ainda há a pré-candidatura de Paulo Bauer (PSDB).

Em 14 estados, a nova aliança nacional também vai ter que lidar com embates entre candidatos de diferentes partidos apoiados por tucanos ou integrantes do centrão.

É o caso, por exemplo, de São Paulo, onde João Doria (PSDB) tem apoio de DEM, PP, PSD e PRB, mas enfrenta Márcio França (PSB), que conta com o PR.

Em algumas legendas do centrão, lideranças articulam para que, mesmo com a aliança nacional, os estados não sejam obrigados a seguir a mesma orientação. O PR é um dos que vai liberar seus diretórios por causa de questões regionais.

O Nordeste deverá ser o principal foco de problemas para Alckmin. Na região, a maioria dos partidos do centrão está alinhada com candidatos a governador à esquerda e deve subir no palanque de outros presidenciáveis.

Por Filipe Matoso e Fernanda Vivas, G1 e TV Globo, Brasília

As convenções partidárias para definição dos candidatos a presidente da República nas eleições deste ano começam nesta sexta-feira (20) – saiba mais abaixo as datas e locais das convenções de cada partido.

Conforme o calendário eleitoral de 2018, definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os partidos terão até 5 de agosto para também definir os candidatos a vice-presidente da República, governador, vice, senador e deputados (federais, estaduais ou distritais).

O primeiro turno das eleições deste ano está marcado para 7 de outubro; o segundo, para 28 de outubro.

Muitos partidos lançaram pré-candidatos a presidente da República nos últimos meses, entre os quais PT (Luiz Inácio Lula da Silva), PSDB (Geraldo Alckmin), MDB (Henrique Meirelles), PSOL (Guilherme Boulos), PCdoB (Manuela D’Ávila), PSL (Jair Bolsonaro), Rede (Marina Silva), PDT (Ciro Gomes) e DEM (Rodrigo Maia).

Pelo calendário do TSE, a partir desta sexta:

  • Começa o prazo para convenções partidárias (até 5 de agosto);
  • É assegurado direito de resposta a candidatos e partidos atingidos por afirmação inverídica, caluniosa, difamatória ou injuriosa;
  • É permitida a formalização de contratos com instalação física e virtual de comitês de candidatos e partidos que já tenham realizado convenção;
  • Pesquisas têm de incluir os nomes de todos os candidatos cujas candidaturas estejam registradas.

Os partidos deverão registrar os candidatos na Justiça Eleitoral até 15 de agosto. A partir do dia 16, começará a propaganda eleitoral.

Datas e locais das convenções

Saiba na tabela mais abaixo, por partido, as datas e os locais das convenções para escolha do candidato a presidente da República.

O Patriota, cujo pré-candidato é deputado Cabo Daciolo (RJ), e o Solidariedade, cujo pré-candidato é o ex-ministro Aldo Rebelo, ainda não definiram as datas das convenções.

PROS, PTC, PHS, PRB, PPL, PRP, PCB, PCO e PMB ainda não deram informações sobre as convenções.

Eleições 2018: partidos fazem convenções para definir candidatos

Data Partido Pré-candidato a presidente Local da convenção
20/07 PDT Ciro Gomes Brasília (DF)
20/07 PSC Paulo Rabello de Castro Brasília (DF)
20/07 PSTU Vera Lúcia São Paulo (SP)
21/07 PSOL Guilherme Boulos São Paulo (SP)
21/07 Avante Sem pré-candidato Belo Horizonte (MG)
21/07 PMN Sem pré-candidato Brasília (DF)
22/07 PSL Jair Bolsonaro Rio de Janeiro (RJ)
28/07 Democracia Cristã José Maria Eymael São Paulo (SP)
28/07 PTB Sem pré-candidato Brasília (DF)
28/07 PV Sem pré-candidato Brasilia (DF)
28/07 PSD Sem pré-candidato São Paulo (SP)
01/08 PCdoB Manuela D’Ávila Brasília (DF)
02/08 MDB Henrique Meirelles Brasília (DF)
02/08 DEM Rodrigo Maia Indefinido
02/08 PP Sem pré-candidato Brasília (DF)
04/08 PT Luiz Inácio Lula da Silva São Paulo (SP)
04/08 PSDB Geraldo Alckmin Brasília (DF)
04/08 Novo João Amoêdo São Paulo (SP)
04/08 Rede Marina Silva Brasilia (DF)
04/08 Podemos Álvaro Dias Curitiba (PR)
04/08 PPS Sem pré-candidato Brasília (DF)
04/08 PR Sem pré-candidato Brasília (DF)
05/08 PRTB Levy Fidelix São Paulo (SP)
05/08 PSB Ainda sem definição Brasília (DF)

Fonte: Partidos políticos

Prévia-Painel: Renata Lo Prete mostra calendário eleitoral; campanha será mais curta

Financiamento de campanha

Por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), as empresas estão proibidas de fazer doações para campanhas eleitorais. Assim, somente pessoas físicas podem doar.

Diante disso, o Congresso Nacional aprovou, e o presidente Michel Temer sancionou, a criação de um fundo eleitoral, abastecido com dinheiro público, que destinará R$ 1,7 bilhão para os partidos.

G1 consultou os cinco partidos que mais receberão recursos (MDB, PT, PSDB, PP e PSB), e a prioridade das legendas será destinar recursos a candidatos que já têm mandato

Copergás

                               Copergás Foto: reprodução/internet

O governador Paulo Câmara decidiu não adotar em Pernambuco o aumento de 17,08% no preço do Gás Natural repassado pela Petrobras à Companhia Pernambucana de Gás(Copergás). A medida foi anunciada nesta quinta-feira (19) durante reunião com o presidente da Federação de Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Ricardo Essinger;  secretário de Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação Profissional, Alexandre Valença; o presidente da Copergás, Roberto Fontelles; e o diretor de regulação da Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe), Fred Maranhão.

De acordo com o governo, a decisão foi amparada por estudos técnicos realizados pela Arpe. O aumento de 17,08% é resultado do percentual acumulado do segundo reajuste repassado pela Petrobrás de 11,7%, previsto para o próximo mês de agosto, e do aumento de 4,8%, do último mês de maio.

Segundo Paulo Câmara, o reajuste não considera o impacto dos aumentos abusivos sobre a economia do País. Para ele, o aumento no preço do gás natural não leva em consideração os empregos criados pelas indústrias instaladas em Pernambuco porque, caso o reajuste fosse repassado ao consumidor, elas teriam a competitividade reduzida, já que mais de 90% do gás natural distribuído pela Copergás é destinado ao setor industrial do Estado.

Leia também
Desabastecimento aumenta demanda por instalação de gás natural veicular
Programa incentiva gás natural

Para o presidente de Fiepe, Ricardo Essinger, o anúncio do governador Paulo Câmara de não repassar os reajustes foi um alívio porque o setor precisa dar condições para que a indústria continue gerando emprego.

O diretor de regulação da Arpe, Fred Maranhão, explicou que o contrato entre a Copergás e a Petrobrás prevê uma política de reajuste no preço do GN de três em três meses. No dia 1º de maio, a Arpe recebeu um aviso para o aumento de 4,8% do produto e, para o próximo dia 1º de agosto, um reajuste de 11,7%. Maranhão disse ainda que os aumentos não foram repassados para o consumidor pernambucano, pois os estudos da agência demonstraram que a rentabilidade da Copergás não ficará abaixo do mínimo contratualmente estabelecido.