Conta de energia elétrica

                            Conta de energia elétrica Foto: Reprodução/Internet

Em audiência pública realizada nessa segunda-feira (9) na Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) debateu melhorarias nos canais de atendimento e na relação do consumidor com as empresas distribuidoras de energia. Um dos pontos comentados está a suspensão do pagamento das contas de energia em casas lotéricas depois do encerramento do contrato entre a Caixa Econômica Federal (CEF) e a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). De acordo com a Aneel, o órgão está monitorando e auxiliando a mediação entre as empresas, mas, se possível, poderá escalar uma fiscalização.

De acordo com o diretor da Aneel, Tiago Correia, a melhor resolução seria a mediação. “Cabe à Caixa e à Celpe chegarem a um acordo. O papel da Aneel é ser facilitadora da negociação, mas eles precisam chegar a um ponto em comum. Se não for resolvido dessa forma, haverá fiscalização, o que na prática vamos verificar se a Celpe está promovendo os meios necessários para que o pagamento das faturas de energia seja realizado”, explicou Correia.

Ainda segundo o diretor, consumidores estão reclamando do funcionamento para os pagamentos das contas. “A distribuidora pode optar por uma solução diferente, mas ela tem que ser efetiva. Os relatos são de consumidores que não conseguem pagar a conta de luz por falta de meios”, complementou Correia.

Leia também:
Conta de luz mais cara deve elevar inflação em 0,5 ponto

Para a aposentada Janete Sampaio, de 67 anos, que estava na fila na loja Casa dos Presentes, no bairro da Encruzilhada, a situação está piorando a cada dia que passa. “Tá horrível, é um absurdo isso. Em Água Fria, o sistema fica sempre fora do ar, agora, se não pagar a conta, a Celpe corta, sem contar nos locais que cobram mais que a conta para pagar. Tive que vir até a Encruzilhada para tentar pagar”, disse Janete.

Segundo a gerente de relacionamento institucional da Celpe, Erica Ferreira, somente na capital pernambucana existem mais de 1800 pontos para o pagamento na conta, e novas divulgações estão sendo feitas para informar ao consumidor. “Como o boca a boca funciona muito, acaba causando essa situação de pontos congestionados. Colocamos na fatura dois pontos próximos do consumidor, para que ele vá para o local mais próximo, e não onde escuta falar”, disse Erica. Nos casos de pontos de pagamento que cobram alguma taxa pelo pagamento da fatura, a Companhia informou que o cliente deverá denunciar a ação, e o que o cliente paga, é apenas a fatura da conta. ​

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *