Monthly Archives: junho 2018

Árbitro de vídeo usado na Copa do Mundo

                 Árbitro de vídeo usado na Copa do MundoFoto: Johannes Eisele/AFP

O polêmico árbitro de vídeo vem dividindo opiniões de jogadores, treinadores, torcedores e imprensa. Pela primeira vez na história usado em Copas do Mundo, o sistema já havia sido testado na Copa das Confederações de 2017, também na Rússia.

Uma equipe de árbitros assiste à partida em tempo real com acesso a diversas câmeras. Eles podem sugerir ao árbitro principal que revise uma decisão, como um pênalti não marcado ou marcado equivocadamente. A recomendação da Fifa é que, em lances interpretativos, como é o caso de faltas que resultam em pênalti, o árbitro faça ele próprio a revisão do lance no monitor após o alerta do auxiliar de vídeo.

Leia também:
CBF estuda protestar na Fifa contra gol suíço
Confundido com árbitro, piloto é atacado na web 
Diego Costa mostra-se contrário ao árbitro de vídeo

Entenda em que situações o juiz utiliza o árbitro de vídeo e como é a comunicação:

Árbitro e VAR conversam o tempo inteiro?
O fone do árbitro e o microfone do VAR estão abertos o tempo todo, mas isso não significa que durante todo o jogo um esteja falando com o outro. A comunicação é feita apenas para avisar em lances que estão sob revisão

Existe um idioma universal do VAR, como na aviação?
Há alguns comandos pré-estabelecidos a serem dados para indicar revisão. O idioma para a conversa depende de quem estiver na cabine. Por exemplo, se o árbitro de campo falar espanhol e o VAR também, nada impede que se comuniquem no idioma. Se forem de países com idiomas diferentes, é preferível o inglês

Ninguém sabe o que é dito entre juiz e VAR?
A comunicação só é ouvida pelo árbitro, assistentes em campo e quem está na sala do VAR, no Centro Internacional de Mídia, em Moscou, onde ficam o VAR e seus três assistentes

O VAR avalia todos os lances durante o jogo?
Sim, o VAR analisa todos os lances e avisa o árbitro em campo caso alguma marcação esteja sob análise

Tudo é gravado?
Sim, para ser avaliado depois pela comissão de arbitragem da Fifa

O árbitro de campo pode chamar o VAR?
Pode consultar caso haja dúvida em alguma marcação para pedir revisão

De quem é a decisão final, do árbitro do campo ou do auxiliar de vídeo?
Sempre do árbitro de campo. Para os lances interpretativos, o auxiliar de vídeo passará a informação, e o de campo tomará a decisão

O árbitro do campo pode rever o lance no monitor?
A Fifa mudou seu protocolo e a partir de agora recomenda que apenas lances interpretativos possam ser revistos pelo árbitro de campo

A visualização em câmera lenta pode ser utilizada?
Apenas em lances não interpretativos, como para determinar se houve contato entre o jogador e a bola em um lance, ou no caso de confusão de identidade de jogadores para aplicação de cartão

O VAR auxilia em qualquer lance de cartão?
Não, apenas em incidentes passíveis de cartão vermelho

Como em outros esportes, jogadores e comissão técnica podem pedir ajuda do VAR?
Não, isso é proibido. Jogadores que fizerem o gesto indicando uma televisão (usado pelo juiz para indicar que pediu auxílio do VAR) podem inclusive serem punidos com cartão

Até quando o árbitro pode mudar uma marcação?

Depende do lance. Em casos de gol, pênaltis ou impedimentos, a decisão precisa ocorrer antes que a bola seja colocada em jogo novamente. Em casos de identidade trocada, pode acontecer depois

Existe um tempo-limite para tomada de decisão?
Não, mas a tendência é que as decisões levem entre 30 segundos e um minuto

Funase Caruaru

                    Funase CaruaruFoto: Agnaldo Lima/Arquivo Folha

Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Pernambuco divulgará nos próximos dias o edital da seleção simplificada para contratação de 496 agentes socioeducativos. A empresa que ficará pelo processo será o Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (IDIB), conforme publicação no Diário Oficial do Estado, no último sábado (16).

As vagas a serem abertas serão para preenchimento de quadros nas unidades situadas na Região Metropolitana do Recife (RMR). O certame foi anunciado pela instituição em abril, com base no Aviso de Chamamento Público 02/2018, publicado no DOE no dia 10 daquele mês.

De acordo com a Funase, o processo de seleção deverá suprir o déficit dessa categoria profissional nas unidades socioeducativas. Atualmente, a instituição conta com cerca de 1,3 mil agentes socioeducativos para o atendimento a 1,4 mil socioeducandos em todo o Estado. Considerando que, com as escalas de plantão, a proporção é de um agente para cada quatro internos, são necessários mais 216 profissionais para atender à demanda.

Das 496 contratações resultantes da seleção simplificada, 252 serão destinadas às três novas unidades que a Funase está construindo: o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo II, com entrega prevista para julho; o Centro de Internação Provisória (Cenip) Recife II, para agosto; e o Case Jaboatão II, para dezembro. Os demais agentes selecionados serão lotados em outras unidades da RMR. A seleção ainda terá o objetivo de recompor vagas ocupadas por agentes socioeducativos cujos contratos estão em fase de encerramento.

Operação que culminou na prisão foi apresentada nesta segunda-feira (18)

                               Foto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

Um dos criminosos mais procurados de Pernambuco – e que tinha sete mandados de prisão em aberto – foi preso na cidade de Serra, no estado do Espírito Santo. Para a polícia, a captura do traficante e homicida Antônio Carlos da Silva, 32 anos, mais conhecido como Buchudo, deve pôr fim a uma onda de violência na Mata Sul que tinha como pano de fundo do tráfico de drogas por território e que apenas entre janeiro e fevereiro deste ano provocou 11 homicídios.

As mortes de maior repercussão atribuídas ao criminoso foram um triplo assassinato, no dia 15 de fevereiro, e uma chacina de cinco pessoas, dois dias depois. Em ambos os casos, e em mais dois homicídios registrados em 12 de fevereiro, Buchudo, que liderava uma gangue da cidade de Barreiros, foi o mandante das mortes. Ele também era foragido da Penitenciária Barreto Campelo havia dois anos. O preso, até a tarde de ontem, ainda aguardava a transferência para Pernambuco, onde ficará à disposição da Justiça.

Leia também:
Preso responsável pela chacina em São José da Coroa Grande, no Litoral Sul
Chacina: Polícia amplia buscas na Zona da Mata Sul pernambucana

O delegado seccional de Palmares, Frederico Marcelo, explicou que a onda de assassinatos começou ainda em janeiro, quando a organização criminosa comandada por Wanderson José dos Santos, vulgo Moure, 23, preso em Igarassu desde 2015, tentou ampliar a área de atuação de tráfico concentrada em São José da Coroa Grande para Barreiros, que era domínio de Buchudo. Na ocasião, homens de Moure mataram Jonas Vieira, 27, apelidado de Bactéria, que era cunhado de Buchudo.

O assassinato foi filmado e um recado de guerra foi enviado. “Havia duas gangues e cada uma comandava o tráfico em uma cidade. A partir do momento que uma das facções decidiu entrar na área de território da outra houve essa morte que foi filmada e divulgada nas redes sociais. A partir disso, a facção de Barreiros decidiu se vingar e teve início esses múltiplos homicídios. Nessa represália, Antônio Carlos foi o mandante de dez mortes em sequência”, contou o delegado. A maioria das vítimas era pequenos traficantes que trabalhavam para as organizações ou os chamados “aviõezinhos” (pessoas que fazem o transporte e droga). Uma delas, uma adolescente de 12 anos, morreu porque estava na companhia do namorado de 17 durante a chacina.

“A prisão do Antônio Carlos é muito importante para a Polícia Civil Pernambucana. Ele era o homem mais procurado do Estado e houve um trabalho incessante de investigação com apoio fundamental da inteligência para encontrá-lo. Com sua prisão a gente desarticula a quadrilha por ele chefiada”, reforçou Frederico Marcelo. Ao longo das investigações, que duraram quatro meses, outros cinco integrantes das duas quadrilhas também foram presos entre eles homens apontados com os executores materiais dos assassinatos.

Há dois meses, o setor de inteligência da PC identificou que Buchudo havia se mudado para uma casa no Espirito Santo, onde morava com a esposa e uma filha, e foi montado o cerco. O homem não ofereceu qualquer resistência à prisão. O chefe de Polícia Civil, Joselito do Amaral, destacou que a identificação de outros integrantes das gangues ainda deve acontecer, mas que a retirada de circulação dos cabeças das facções já gerou impactos na segurança da Mata Sul. “Com o fim dessas duas quadrilhas já diminui bastante o número de mortes nessa região”, afirmou.

Inaldo Sampaio

                            Inaldo Sampaio Foto: Colunista

Começa a murchar no plano nacional a possibilidade de aliança entre o PSB e o Partido dos Trabalhadores, por várias razões. Em primeiro lugar, porque ninguém do PSB acredita na candidatura do ex-presidente Lula e sendo para votar em Fernando Haddad, que deverá ser o substituto dele, é melhor marchar com Ciro Gomes que é mais competitivo. Haddad é completamente desconhecido fora de São Paulo e mesmo quando aparece nas pesquisas como eventual substituto de Lula, o seu desempenho é pífio. Em segundo lugar, há pelo menos três líderes no PSB que são contrários a esta aliança: o governador Márcio França (SP), o ex-prefeito Márcio Lacerda (BH) e o ex-deputado Beto Albuquerque (RS). Liderança de peso no partido que advoga esta aliança por razões estritamente locais, só o governador Paulo Câmara (PE). Virando agora o mapa para o outro lado, os únicos líderes do PT que defendem aliança com o PSB, também por questões locais, são o senador Humberto Costa (PE) e o governador Fernando Pimentel (MG). Não bastasse isso, o governador Rui Costa (BA), filiado ao PT, decidiu não apoiar a reeleição da senadora Lídice da Mata (PSB), ao passo que o governador Camilo Santana (CE), igualmente petista, não apoiará a reeleição do senador José Pimentel (PT). Sendo assim, com tantas resistências de um lado e de outro, como operacionalizar esta aliança? Só para atender ao PSB de Pernambuco e ao PT de Minas Gerais? É difícil.

Os males do mandato longo
É voz corrente no Congresso que o mandato de 8 anos para o senador acaba sendo ruim para ele próprio. Fica muito tempo distante das bases, achando que o mandato não acaba mais. E quando se lembra da reeleição encontra o terreno ocupado por outra pessoa. Há exceções, claro, como Pedro Simon (RS) e Eduardo Suplicy (SP). Mas em PE, até hoje, nenhum senador se reelegeu.

Assessoria > O ex-vereador Sérgio Magalhães (PSD) está fora da política há alguns anos. Mas se Marília Arraes (PT) confirmar hoje sua candidatura ao governo estadual, ele pretende ajudá-la informalmente, não por ser petista e sim por amizade pessoal.

Bancadas > Calcula-se na Frente Popular que os partidos que a formam deverão eleger este ano 18 deputados federais. Se esses prognósticos forem confirmados, restariam para as Oposições apenas 7 deputados, o que é muito pouco.

Silêncio >
 O ex-presidente regional do PSB, Milton Coelho, largou a Secretaria de Administração para se candidatar a deputado federal, mas tem um jeito peculiar de fazer política. Sabe-se que está “plantado” na Mata Norte, mas não se conhece os seus apoios.

Definições > Emanuel Bringel (PSDB), ex-prefeito de Araripina, garante que só tem compromisso até agora com dois candidatos: Socorro Pimentel (PSL) para deputada estadual e Mendonça Filho (DEM) para senador. E que só votará em Paulo Câmara se ele assumir o compromisso de apoiar Bringel Filho (PSDB) para prefeito em 2020. O filho é o atual vice.

Luiz Inácio Lula da Silva

                          Luiz Inácio Lula da Silva Foto: Reprodução/Facebook

No primeiro comentário sobre a Copa do Mundo enviado daprisão para o canal TVT, o ex-presidente Lula (PT) se mostrou decepcionado com a estreia do Brasil -que empatou por 1 a 1 com a Suíça nesse domingo (17).

“O jogo de estreia da seleção demonstrou uma máxima do futebol que sempre repetimos: treino é treino e jogo é jogo”, afirmou o petista na análise futebolística, que foi exibida em texto e lida por um narrador da emissora, mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

Leia também:
Empate com Suíça foi primeira estreia do Brasil sem vitória em Copas em 40 anos
STF pode julgar pedido de liberdade de Lula no próximo dia 26

A participação de Lula como comentarista foi anunciada na semana passada pelo jornalista José Trajano, ex-ESPN. A resenha é exibida no programa dele, o Papo com Zé Trajano. Lula tem televisão no local onde cumpre pena, na Polícia Federal em Curitiba, e está assistindo às partidas.

Além de ressaltar a diferença entre jogo de eliminatórias e jogo da Copa propriamente dita, o ex-presidente disse que o Brasil “teria de vencer”, por causa de seu histórico e por ser a única seleção pentacampeã “e, portanto, amplamente favorita”.

Lula se compadeceu de Neymar ao reclamar do estilo de jogo da Suíça, que “marcou forte, de forma muito dura, e não deixou a seleção jogar”, opinou. “Não deixou o Neymar jogar, fazendo faltas e faltas. Além disso, o Neymar tentava, sem êxito, carregar a bola. Não conseguiu”, lamentou o ex-presidente sobre o atacante.

Entre as razões que ele apontou para o mau desempenho do Brasil, estão queixas sobre a atuação do juiz da partida. Lula endossou ataques ao árbitro em dois lances envolvendo jogadores brasileiros, fazendo análise semelhante à de Tite (ex-técnico do Corinthians, o time de coração do ex-presidente).

“A culpa pode ser do momento psicológico da estreia, pode ser da falta não marcada no Miranda no lance do gol da Suíça, pode ser do pênalti não marcado no Gabriel Jesus”, escreveu o petista. “Sinceramente”, continuou, “o fato é que não jogamos bem e o adversário fez o que tinha de fazer, que era impedir o jogo do Brasil”.

Lula recomendou que a seleção não menospreze a Costa Rica, seu próximo adversário, e pinçou duas observações que ficaram provadas na primeira semana da Copa, em sua visão. “A Alemanha não é invencível e, entre os maiores craques, só o Cristiano Ronaldo fez por merecer. O resto é conversa pra mesa de bar”, concluiu, enviando “abraços do Lula”.

Aeroporto do Recife

                              Foto: Arthur Mota/ Folha de Pernambuco

Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concluiu nesta segunda-feira (18), em Brasília, a segunda de quatro audiências públicas para debater o edital de privatização de 13 aeroportos do país. Na quinta rodada de leilões de aeroportos brasileiros, os terminais serão vendidos em três blocos regionais definidos conforme a localização geográfica.

Leia também
Associação recomenda cautela sobre privatização de aeroportos

A estimativa é arrecadar um total R$ 6,4 bilhões. “A previsão do governo é que o leilão ocorra até o fim do ano”, afirmou o superintendente de regulação econômica da Anac, Thiago Pereira. O bloco Nordeste é formado pelos aeroportos de Recife, Maceió, Aracaju, João Pessoa, Campina Grande (PB) e Juazeiro do Norte (CE). O Bloco Sudeste inclui os aeroportos de Vitória e Macaé (RJ). Os outros cinco aeroportos, todos em Mato Grosso (Cuiabá, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis e Alta Floresta), formam o Bloco Centro-Oeste.

Juntos, esses aeroportos representam um volume anual de 19,5 milhões de passageiros, o que representa 9,5% do mercado nacional de aviação. Essas novas concessões à iniciativa privada, anunciadas em agosto do ano passado, terão prazo de duração de 30 anos.

Os grupos interessados em concorrer aos leilões só terão direito de arrecadar os blocos inteiros, mas sem limite. “O mesmo candidato pode levar os três blocos. E concessionários atuais [de outros aeroportos] também podem competir e, no limite, levar os três também”, explicou Thiago Pereira. A Infraero não participará com nenhum percentual no controle acionário dos terminais, como ocorreu nas primeiras rodadas de licitação. A participação societária do operador aeroportuário no consórcio vencedor foi fixada pelo governo em 15%.

Além da audiência pública em Brasília, já foi realizada uma em Vitória, na semana passada, e esta semana ainda estão previstas discussões abertas em Cuiabá (19) e em Recife (21). As audiências públicas são o momento em que as partes interessadas podem apresentar sugestões de alteração do edital, manifestar dúvidas e fazer críticas ao documento. Contribuições por escrito também poderão ser encaminhadas até às 18 horas de 13 de julho, por meio de formulário eletrônico disponível no portal da Anac na internet.

Tarifas
Questionado sobre eventuais aumentos de tarifas de embarque com as privatizações, o superintendente de regulação econômica da Anac disse que a agência tem uma política de controle de preços nos grandes terminais. “Os maiores aeroportos, das capitais, têm uma regulação tarifária que é baseada no valor que o aeroporto pode arrecadar por passageiro, então ele não pode ultrapassar esses valores, que são calculados pela agência [Anac], de acordo com o histórico praticado pela Infraero”, afirmou Thiago Pereira.

No caso dos aeroportos de pequeno porte, há liberdade tarifária, mas a Anac acompanha. “Como eles são pequenos, não têm poder de mercado, a agência faz um monitoramento para saber se tem algum abuso”.

Investimentos
No total, os investimentos previstos ao longo de 30 anos nos 13 aeroportos são de R$ 2,1 bilhões, segundo a Anac. O valor é inferior aos investimentos projetados no leilão do aeroporto internacional de Salvador, de R$ 3 bilhões, o que tem sido alvo de críticas de alguns setores, incluindo parlamentares pernambucanos.

Os valores da outorga mínima inicial a serem pagos antecipadamente foram fixados em R$ 360,43 milhões para o bloco Nordeste, R$ 66,8 milhões para o bloco Sudeste e R$ 10,37 milhões para o bloco Centro-Oeste. Os valores restantes de outorga serão exigidos após cinco anos de um período sem pagamentos, como percentual sobre o faturamento do aeroporto, funcionando também como um mecanismo de compartilhamento de riscos, já que será um valor variável, de acordo com a demanda.

“Se o PIB cair e a demanda cair, a concessionária vai pagar menos para o governo. Se o número de passageiros crescer, a economia crescer, a receita vai aumentar e ela vai pagar mais ao poder concedente. Essa regra vai muito no sentido de possibilitar compartilhamento de riscos entre o poder concedente e a concessionária, sobretudo o risco de demanda”, aponta Thiago Pereira.

A ABERT divulgou nota repudiando as mudanças previstas em dois projetos de lei que tramitam no Senado e que pretendem igualar as rádios comunitárias às comerciais.

De acordo com a Associação, as mudanças na legislação do setor favorecem uma concorrência desleal e têm por finalidade o enfraquecimento econômico das emissoras comerciais. Ainda segundo a ABERT, se aprovadas, as duas propostas trarão “efeitos danosos ao poder público, ao contribuinte e às emissoras comerciais”.

Nesta terça-feira (19), o plenário do Senado deve votar o PLS 513/2017, de autoria do senador Hélio José (PROS/DF), que aumenta o limite de potência e o alcance das transmissões para toda uma cidade e até mesmo para o estado, e ainda triplica a quantidade de canais para o serviço de radiodifusão comunitária. Já o PLS 55/2016, do ex-senador Donizete Nogueira (PT/TO), está em tramitação na Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) e permite que as emissoras comunitárias, à semelhança das rádios comerciais, vendam espaço para publicidade.

Na nota, a ABERT ressalta que a outorga de funcionamento de uma rádio comercial tem “um alto custo e o processo de obtenção é demorado e burocrático”. Já a autorização para operar uma rádio comunitária “é sumária, simplificada e gratuita, sendo permitida apenas para entidades sem fins lucrativos”.

Para a ABERT, “o radiodifusor comunitário que pretende comercializar propaganda deve participar do processo de licitação, com as mesmas regras e obrigações tributárias, trabalhistas e previdenciárias dos radiodifusores comerciais”.

A Associação conclui afirmando esperar que o Senado Federal rejeite as duas propostas.

Mesmo diante de lutas constantes para mudar comportamentos, continuamos vivendo em sociedade machista e sexista em que a violência de gênero ocorre de maneira explícita, sob as mais diversas formas. É lamentável nos deparar com situação como a que circulou na internet neste fim de semana.

Um grupo de torcedores brasileiros, incluindo um pernambucano e ex-secretário de Turismo de Ipojuca, aparece ao lado de uma estrangeira cantando palavras obscenas sem que a moça compreenda o que se diz. Os homens fazem menção ao órgão sexual da mulher e se referem a cor dele.

Trata-se claramente de uma violência que se oculta por trás das risadas e brincadeiras de um esporte altamente machista que tenta afastar de sua torcida as mulheres, que por décadas foram tratadas como um ‘não público-alvo’.

Mas é bom lembrar que o campo não é somente dos homens e esse esporte, assim como tantos outros, independente do desejo masculino, tem registrado cada vez mais a presença feminina. Só para demonstrar o que observo, uma pesquisa de 2015 divulgada pelo ibope confirma: metade da torcida do Corinthians é formada por mulheres, time, aliás, que este ano fez campanha para combater o machismo no futebol.

O vasto repertório brasileiro de frases, comentários ou piadinhas discriminatórias com as mulheres faz o machismo estar presente em vários cenários, além de fazer dele o preconceito mais praticado. É comum ouvir as “brincadeiras” ofensivas contra o sexo feminino, porém, as mesmas ofensas não são dirigidas aos homens de forma tão corriqueira.

No rol de frases mais ouvidas estão: “mulher tem que se dar o respeito”, “lugar de mulher é na cozinha”, “mulher não entende de futebol”.

Como presidente da Comissão da Defesa da Mulher na Câmara do Recife, quero externar meu lamento e dizer que esse comportamento, ainda uma marca do futebol, é perverso e inaceitável. Que a chacota vista no vídeo, além de diminuir a mulher, é vergonhosa, desrespeitosa e uma forma de violência.

Eles agem como se as mulheres merecessem este tratamento indigno, como se alguns assédios e insultos fossem elogios. É uma forma de subjugar o gênero feminino. Me pergunto como esses homens se sentiriam caso a “brincadeira” maldosa fosse com a mãe, esposa ou filha de algum deles.  Será que se sentiriam ofendidos?

É bom que fique claro que a mulher é dona do seu corpo e pode ser o que quiser. Não tem essa de sexo frágil. Temos muita força sim, não apenas a física, e merecemos ser respeitadas, assim como os homens exigem o respeito de todas nós.

Por isso, entendo que toda sociedade deve se manifestar e repudiar a atitude constrangedora à estrangeira. O desrespeito a condição de gênero foi um ato de agressão a toda mulher e merece o mais duro e veemente repúdio. Traduz ato machista, reacionário, que causa ultraje ao direito e ao bom senso.

É preciso discutir punições para casos como este, que merece também uma retratação pública pela ofensa à mulher e para que seja compreendido o tipo de violência que se cometeu. Não podemos aceitar situações como essa. Exigimos um pedido de desculpas pelo ato desrespeitoso.

Aline Mariano

Entenda o caso: Em um vídeo publicado na noite de sábado (16/6), alguns homens se aproximaram de uma jovem estrangeira, aparentemente russa, e fizeram uma gravação com ela. Nas redes sociais, o ato foi apontado como uma demonstração de machismo e racismo.

Além do machismo alarmante, tendo em vista que um grupo de adultos achou por bem fazer comentários grotescos sobre o corpo de uma desconhecida na rua, há indícios de racismo no episódio. Ao exaltar a cor da mulher, deduz-se que outros tons de pele são inferiores.

Um dos integrantes do vídeo foi identificado por internautas como o ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE), à época no PSB, Diego Valença Jatobá. O município fica na região metropolitana de Recife. Jatobá foi procurado pela reportagem via Facebook, mas até a última atualização desta matéria, não havia respondido.

O fim da possibilidade de pagamento das contas de energia em casas lotéricas, que já havia repercutido em Plenário, motivou a realização de audiência pública nesta segunda (18).

Os efeitos da suspensão desse atendimento, em maio, foram debatidos na Comissão de Cidadania com a presença da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), de órgãos de defesa do consumidor e do Sindicato dos Lotéricos de Pernambuco (Selepe). Responsável pela normatização das loterias, a Caixa Econômica Federal (CEF) não enviou representante.

Diante da não renovação de contrato entre a Celpe e o banco, desde 9 de maio as loterias não recebem pagamento de faturas de energia. As condições fixadas pela Caixa teriam inviabilizado a continuidade da parceria. Dificuldades de pagamento e acessibilidade são pontuadas pela Associação de Defesa do Cidadão e do Consumidor (ADCC) sobre o novo modelo de pagamento, que consiste em postos de atendimento credenciados pela própria concessionária. O Estado já conta com 1.484, e uma média de 20 postos está sendo inaugurada por semana.

O superintendente de Relacionamento com Clientes do Grupo Neoenergia, Pablo Andrade, explicou que a negociação com a Caixa previa um reajuste contratual de 73% do valor pago por conta, passando de R$ 0,81 para R$ 1,40. “O percentual apresentado pelo banco foi bastante significativo e, no decorrer de uma negociação de mais de seis meses, só houve proposta de redução para 71%”. “Vimos que a imposição não se limitava a Pernambuco, atingindo também mais sete Estados, como Rio de Janeiro e São Paulo”, acrescentou, observando que “a Celpe não tem nenhum interesse em dificultar o pagamento dos clientes”.

“Nasci de novo”, disse Romonilson

O prefeito de São José do Belmonte, no Sertão Central, Romonilson Mariano (PHS), declarou ter ‘nascido de novo’ após acidente sofrido na PE-430, por volta das 10h do último sábado. A informação foi de Geo Mariano, irmão do prefeito.

O prefeito deu detalhes do capotamento do seu veículo modelo Hilux. Segundo o irmão, ele  tentou desviar de um animal que atravessou a pista, quando perdeu o controle do carro e  capotou. O prefeito chegou a ser internado na Casa de Saúde São Vicente em Serra Talhada e teve alta nesse domingo (17).

Em conversa com o blog do Irmão Geo, Romonilson Mariano disse que era muito grato a Deus por estar vivo e ‘que tinha nascido de novo’. Romonilson Mariano retomou a agenda administrativa nesta segunda-feira (18).

Folha das Cidades – Paulo Edson

Uma decisão do TJPE condenando o vereador Everaldo Pequeno, de Itaíba, à perda dos direitos políticos, levou o suplente de vereador Osvaldo José Rodrigues (PDT), o Osvaldo do Jirau,  a pedir a cassação de seu mandato.

No documento entregue ao presidente da Câmara de Vereadores, Francisco Abimael, o Doutor Chico,  Osvaldo pede abertura de procedimento para a cassação  do mandato de vereador Eraldo Pequeno pelo fato deste haver perdido seus direitos políticos em face de sentença judicial criminal condenatória já transitada em julgado, proferido pelo juiz da comarca de Itaíba e confirmada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, conforme os autos da Ação Penal nº 0000559-70.2012.8.17.0750.

No pedido,  pede ao presidente da Câmara de Vereadores, em conjunto com os demais integrantes da casa legislativa, que dê cumprimento a decisão da justiça, que cassou os direitos políticos do vereador, como determina o artigo 37, Inciso IV, da Lei Orgânica Municipal, bem como o artigo 69, Inciso I do Regimento Interno da Câmara Municipal que prevê a perda de mandato para o vereador que “perder ou tiver suspenso seus direitos políticos”.

O caso – No documento entregue ao presidente da Câmara, o suplente relata que em 14 de novembro de 2012, o Ministério Público de Pernambuco denunciou o vereador Eraldo Pequeno pelos crimes de “direção perigosa, desacato e resistência”. A denúncia foi aceita pelo juiz da comarca em 10 de janeiro de 2013.

Na sentença, o juiz Dr. Marcos Antonio Tenório, além de reconhecer que o acusado praticou os referidos crimes denunciados pelo MPPE, determinou uma pena de um ano e dois meses de detenção, as quais foram convertidas em pena pecuniária e multa, além de também determinar a perda dos seus direitos políticos.

Motoristas que passaram pela PE 275 no trecho entre Sertânia e Albuquerque Né informaram ao blog que o DER estava com uma equipe realizando uma operação tapando buracos na via, castigada pelo volume de buracos e alvo de muitas críticas. Sabe-se, um paliativo para uma via que necessita de recapeamento.

Em abril, o promotor Ariano Tércio Silva de Aguiar emitiu Ofício ao então Secretário de transportes Sebastião Oliveira solicitando melhorias em toda a extensão da PE-275, destacando os trechos entre a PE-280 e a ligação com  Albuquerque Né, Jabitacá, Tuparetama, bem como na ligação até a PE-320, em São José do Egito, com extensão de 75,80 quilômetros.

“Considerando que é dever desta Secretaria cuidar das rodovias do nosso Estado de Pernambuco; que, também é de direito dos cidadãos trafegarem em rodovias seguras e bem estruturadas; resolvo, solicitar a esta Secretaria de Transportes de Pernambuco, melhorias na rodovia”, diz em ofício.

É péssimo o estado da via também no trecho do Ambó, passando por Brejinho até o limite com Teixeira, na Paraíba. A situação só foi agravada com as chuvas que caíram nos primeiros meses do ano.

Além da necessidade de recapeamento asfáltico urgente, há preocupação com a ponte no Povoado de Placas de Piedade, em Brejinho. Nas imagens é possível ver a armação exposta, com a estrutura da ponte em colapso progressivo, gerando risco de isolamento.

Foto: Alan Santos/Presidência da República

O presidente Michel Temer disse que a última pesquisa Datafolha, na qual aparece com 82% de rejeição, “não é verdadeira”. A pesquisa foi divulgada no dia 10 de junho.

Questionado sobre como retomar a pauta de votações em seus últimos meses de gestão mesmo diante da baixa popularidade, Temer respondeu que tem “a melhor relação com o Congresso” e que os parlamentares estão “trabalhando como antes”.

Segundo Temer, o projeto de lei que destrava a venda das distribuidoras da Eletrobrás está “ajustado” e deve ser votado ainda esta semana pela Câmara dos Deputados.

“Nós aprovamos, das últimas três semanas para cá, seis ou sete Medidas Provisórias numa única noite, aprovamos a reoneração no Senado, o cadastro positivo na Câmara”, afirmou Temer.

O presidente falou com a imprensa após participar de almoço com líderes do Mercosul, nesta segunda-feira (18), em Assunção, no Paraguai. Depois, retornou para o Brasil.

Inaldo Sampaio

                                   Inaldo Sampaio Foto: Colunista

A Frente das Oposições talvez não tenha tomado uma decisão certa ao descartar o deputado Sílvio Costa como companheiro de chapa de Mendonça Filho para a disputa das duas vagas de senador. Sílvio, em que pese o seu “lulismo exacerbado”, como se diz por lá, seria útil ao palanque por ter um discurso contundente contra o governo, sem apelar para “baixarias”, e uma técnica para fazer entender-se pela média dos eleitores como nenhum outro político pernambucano tem. Além disso, daria graça e “ânimo” a essas forças, que tentam conquistar pela segunda vez o Palácio do Campo das Princesas. No entanto, elas chegaram à conclusão de que não deveriam colocá-lo na chapa a fim de reservar a segunda vaga de senador para uma eventual aliança com o PP (que está descartada) ou com o PSC (que ainda é possível). Sílvio não passou recibo do descarte e lançou-se “candidato avulso” a senador, empunhando a bandeira do “lulismo”. Quanto à vaga de vice-governador, que também permanece indefinida, há um candidato natural para ocupá-la depois que o deputado Bruno Araújo excluiu-se dela: o ex-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho, de tradicional família sertaneja e tão bom de discurso quanto o pai, o saudoso ex-deputado Osvaldo Coelho, que se entregou de corpo e alma durante cerca de meio século à defesa das causas nobres do semiárido nordestino. O filho montado num mandato daria continuidade à luta do pai. Ele é filiado ao PSDB, partido que deverá fazer a indicação do vice, e não convidá-lo para essa vaga poderá ser um segundo erro tático das oposições nessa maratona difícil pela conquista do governo estadual.

Dissidência tucana
O ex-deputado Emanuel Bringel, que já foi prefeito de Araripina e é filiado ao PSDB, não vai seguir a orientação do partido nessas eleições. Tanto ele como Bringel Filho, atual vice-prefeito e também tucano, vão marchar com Paulo Câmara (PSB). Já o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) está fechado com o senador Armando Monteiro (PTB).

A chapa > O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública) já tem seus candidatos a deputado federal e estadual em Pernambuco: Evandro Alencar (PRTB) e Aline Mariano (PP), respectivamente. Evandro é presidente licenciado do CREA e tem suas origens no Araripe.

O lançamento > O vereador Audálio (PSDC), de Garanhuns, fará ato hoje à noite no Clube da AGA para lançar sua candidatura a deputado estadual. Ele obteve nas últimas eleições 1.533 votos (11º colocado). É da base do prefeito Izaías Régis (PTB), que apoia Álvaro Porto (PTB).

Reserva moral > Em sua passagem por Salgueiro, sábado passado, para receber o apoio do prefeito Clebel Cordeiro (MDB), os candidatos Armando Monteiro (PTB) e Mendonça Filho (DEM) se encontraram também com o vice, Francisco Sampaio (DEM), desembargador aposentado e uma das reservas morais do Judiciário pernambucano.

Palestra > A “judicialização da política” foi o tema da palestra do presidente da Associação dos Magistrados do RN, Herval Sampaio Júnior, no Encontro Nacional de Legislativos Municipais que se realizou em Bonito (PE) na semana passada. O presidente da União dos Vereadores do Brasil, Gilson Gonzatti (MDB), eleito em Iraí (RS), abriu o Encontro.

Site da Polícia Civil de Pernambuco é hackeado

                                                                 Foto: Cortesia

Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) teve sua página na internet hackeada neste domingo (17) por volta das 18h. Ao acessar o site, o usuário se deparava com uma mensagem creditada a “D4RKRON & XiNOx” afirmando que o “Hacktivismo de verdade em peso acontecendo até o final do ano”.

Ainda segundo a mensagem do hacker que aparecia na página da PCPE, havia um pedido de protesto contra o governo do presidente da República Michel Temer, além do aviso “não respeite a PM e destrua a bancada ruralista”.

Após o ataque cibernético, o site da Polícia Civil ficou inacessível.

Marilia Arraes é pré-candidata ao Governo do Estado

                                        Foto: Bruno Campos/Divulgação

A tendência positiva da vereadora Marília Arraes (PT) nas recentes sondagens para o governo do Estado têm colocado em dúvida as negociações de aliança entre PT e PSB em torno da reeleição do governador Paulo Câmara. O adiamento dessa definição para o fim de julho, inclusive, é visto como uma tentativa de contornar o vulto que a vereadora ganhou após as suas andanças do Sertão à capital.

Além do senador Armando Monteiro (PTB), oficializado pré-candidato, Marília é o único nome viável, segundo analistas, e precisa cair em campo de imediato, se o PT quiser alcançar protagonismo no cenário local. Mas contra a petista, pesam o desconhecimento e a falta de estrutura para obter palanques nos municípios.

Leia também:
Com Marília Arraes, eleição terá a cara da de 2006
Marília Arraes é a maior ameaça ao PSB

A cientista política Priscila Lapa pondera que é necessário observar a tendência de Marília nas próximas pesquisas para confirmar a consolidação do nome da vereadora na corrida para o Executivo estadual. “Ela não é uma candidata com imagem ruim. Tem uma imagem leve, tem os requisitos que as pessoas procuram ultimamente nesse desejo de renovação. Não associam o nome dela com corrupção, apesar de ela estar no PT, que tem uma imagem desgastada nesse sentido”, avalia.

A analista aponta que a herança familiar proporcionada pelo avô Miguel Arraes tem um peso especial na disputa, mas não é a variável determinante. “Ao se distanciar do PSB em 2014, ela teve uma postura coerente, cresceu politicamente, ganhou visibilidade. Faz um discurso coerente, o seu rompimento foi programático, ao afirmar que não concordava com a forma como o partido vinha conduzindo a gestão. Além disso, ela teria consistência de chegar ao eleitor decepcionado com a gestão de Paulo Câmara, sem necessariamente dar uma guinada à direita, como é o caso de Armando, que tem DEM e PSDB como aliados”, considera a professora.

O cientista político Elton Gomes, por sua vez, pondera que a visão nacional deverá prevalecer no debate entre lançar Marília ou se aliar ao PSB. A aproximação do PT com o PSB, em Pernambuco, será refletida em outros estados, como Minas Gerais (Fernando Pimentel, do PT) e São Paulo (Márcio França, do PSB), onde esses partidos disputam o Executivo estadual com chance de vencer. A divisão, nesse caso, poderia favorecer candidatos do espectro oposto, como é o caso do senador Antonio Anastasia (PSDB), em Minas, e do ex-prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), pré-candidato ao governo paulista.

Sobre os ombros da direção nacional do PT ainda pesa a responsabilidade de pelo menos manter a bancada eleita em 2014, com 70 deputados. Hoje o partido tem 61 deputados federais. Segundo as regras vigentes, a sigla receberá cerca de R$ 200 milhões do fundo eleitoral. Esse número de parlamentares é fundamental para assegurar tal estrutura de recursos de orçamento que permite aos petistas um pesado financiamento. Só que há uma perspectiva de redução da bancada, já que a legenda reduziu pela metade o número de prefeitos na eleição de 2016. Nesse sentido, uma estratégia mais competitiva passa essencialmente pela eleição proporcional.

Elton pontua que o governador Paulo Câmara, atualmente, detém a maior coalizão de partidos, o que gera maior tempo de televisão e maior estrutura de prefeitos. “A tendência é que quando começar a campanha real, tendo mais tempo de TV e com a campanha mais curta, Paulo se distancie dos outros competidores. Teremos a reedição do embate de 2014, entre Paulo e Armando. Bancar a candidatura de Marília ao governo teria um custo muito alto para o PT, que necessita de bancada federal para manter os recursos partidários“, apostou o especialista.

Na visão do cientista político Leon Victor de Queiroz, o PT é um partido que concentra o poder de decisão nas mãos do diretório nacional, o qual já demonstrou interesse na política de alianças. “Nesse caso, não adianta a força dela, o quanto ela tá mobilizando e se tá bem colocada. O diretório nacional está pensando em fortalecer a bancada. Pensando logicamente, é a nacional que deve decidir a estratégia, porque unifica o programa do partido. Decidir nos estados é uma lógica inversa, que não é bom nacionalmente, não ajuda o partido”, verifica.

Jogando no estádio Vianão, o Afogados recebeu o Pesqueira, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano Sub-20. O tricolor fez um péssimo primeiro tempo, saindo atrás no placar.

A equipe do Pesqueira aproveitou as duas oportunidades que teve na primeira etapa e abriu vantagem no placar.

O Afogados fez um excelente segundo tempo e conseguiu o empate com os gols de Esdras e Thiago.

Na próxima rodada, o Afogados enfrenta o Salgueiro no estádio Cornélio de Barros, no dia 14 de Julho.

Carnaíba vence fora: pelo Pe Sub-17, em Timbaúba, a equipe de Carnaíba venceu os donos da casa por 2×0.

Consultor Jurídico

O blogueiro Paulo Henrique Amorim perdeu seu último recurso e terá de cumprir pena de prisão de 1 ano e oito meses em regime aberto, convertida em restrição de direitos. Ele foi condenado pela prática de injúria racial contra o jornalista Heraldo Pereira da TV Globo em 2009.

No início de junho, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, já determinara a pronúncia de imediato trânsito em julgado da condenação do blogueiro. A advogada do réu, Maria Elisabeth Queijo insistiu com novo pedido de medida cautelar contra a decisão — que não foi conhecido, agora pelo ministro Celso de Mello.

Nesta quinta, Amorim sofreu outra derrota. Agora para o ministro Gilmar Mendes. Depois de quase três anos de tentativas frustradas, o advogado André Silveira conseguiu junto à 18ª Vara Cível de Brasília a penhora de 30% do que o apresentador recebe da TV Record mensalmente.

É que, embora condenado a indenizar o ministro — a quem ataca sistematicamente —, Amorim ocultou seu patrimônio em nome de terceiros e em uma empresa offshore em paraíso fiscal (Ilhas Virgens Britânicas).

Em valores atualizados, o blogueiro ainda deve ao ministro cerca de R$ 120 mil. Gilmar, assim como Heraldo, doa todas as indenizações que recebe para instituições beneficentes.

A seleção brasileira até saiu na frente neste domingo, mas cedeu o empate à Suíça em 1 a 1 e, pela primeira vez desde 1978, estreou em Copa do Mundo sem vitória.

O placar da Rostov Arena foi aberto aos 20 do primeiro tempo, em bela finalização do meia Philippe Coutinho, que não deu chances para a defesa de Yann Somer. Na etapa complementar, aos 5, o meia Steven Zuber igualou de cabeça, em lance de muita reclamação, devido a um empurrão do autor do gol no zagueiro Miranda.

Mais tarde, aos 28, o árbitro mexicano César Ramos ficou no centro das atenções mais uma vez, quando o atacante Gabriel Jesus girou em cima do zagueiro Manuel Akanji e caiu.

Assim como na jogada em que os suíços abriram o marcador, a partida sequer parou para consulta ao sistema de videoarbitragem (VAR).

Esta foi a primeira vez desde 1978 em que a seleção deixa de vencer em uma estreia na Copa do Mundo. O último tropeço foi o empate com a Suécia em 1 a 1, na edição do torneio disputada na Argentina. Quatro anos antes, na Alemanha, o Brasil também empatou, mas com a extinta Iugoslávia e por 0 a 0.

Com informações de Juliana Lima

Em entrevista ao Programa Serra FM Notícias, da Rádio Serra FM, nesta quinta-feira (14), o deputado federal Sebastião Oliveira (PR) manteve a previsão de inauguração do Aeroporto Santa Magalhães para o mês de setembro e adiantou que existe negociação com a Azul para um vôo teste na abertura da Exposerra, que acontecerá no dia 12 de julho.

Segundo Sebastião Oliveira, o aeroporto está praticamente pronto, faltando apenas alguns detalhes solicitados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Quanto à Estação Meteorológica de Superfície Automática, garantiu que a instalação já foi iniciada e deve ficar pronta até 28 de junho.

“Já começou a instalação, deve tá pronta até 28 de junho e nós estamos tentando traçar com a Azul um vôo teste em julho, para que ela possa avaliar todos os aparelhos do aeroporto que foram instalados, a brigada de incêndio, o carro de bombeiros, o terminal, a estação meteorológica, a nova pista, a nova iluminação”, disse.

“O aeroporto está praticamente pronto, faltando alguns detalhes que a ANAC solicitou, mas não impedem de já se fazer um vôo teste. Nós estamos negociando com a Azul para fazer esse vôo provavelmente na abertura da Exposerra”, afirmou Sebastião Oliveira.

                        OBJETOS QUE FORAM APREENDIDOS COM O ACUSADO
Na tarde desta quinta-feira, dia 14, por volta das 15h30min, Policiais Civis da 9ª DPRN, chefiados pelo Delegado Victor Azoubel, realizaram a prisão em flagrante de LUCIANO PEDROSA DE LIMA, na cidade de Sertânia-PE.
                   LUCIANO PEDROSA DE LIMA É ACUSADO DE TRÁFICO DE DROGAS
O fato se deu após abordagem a LUCIANO, quando o mesmo saía de sua casa em uma motocicleta, havendo os policiais encontrado 01 trouxinha de cocaína em seu bolso. Ao indagarem ao mesmo se havia mais entorpecentes em sua residência, este afirmou que sim, tendo os policiais, após a realização de busca, encontrado mais 03 trouxinhas de cocaína, 02 pinos para acondicionamento da droga, 02 revolveres cal. 32, 07 munições do mesmo calibre, além de 02 munições de calibre .20.
Após a confecção do APFD, Luciano foi autuado pelos crimes previstos no Art. 33 da Lei 11.343/06 e Art. 16 da Lei 10.826/03, havendo sido encaminhado à audiência de custódia da cidade de Arcoverde-PE.
Cafezinho com Marina Silva

                            Cafezinho com Marina Silva Foto: Divulgação

Não foi a primeira vez que o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, subiu o tom na direção da presidenciável Marina Silva. Em 2014, um dia após o PSB formalizar a candidatura de Marina Silva ao Planalto, Siqueira , enquanto coordenador-geral da campanha de Eduardo Campos, anunciou seu desligamento do posto e disparou: “Ela que vá mandar na Rede dela”. Essa semana, Siqueira tachou de “fake news” uma declaração de Marina e descartou negociação com a Rede. Indagada se ficaram rusgas de 2014, a ex-ministra, que deixa o Recife hoje, nega que tenha guardado mágoa e, entre outras coisas, assinala: “Tem uma frase que eu sempre digo: ´Eu prefiro sofrer a injustiça do que praticar a injustiça e isso é o meu lema, é a minha vida”. E pondera: “As pessoas caminham do jeito que elas acham melhor. Lembro que, em 2014, Eduardo (Campos) lutou muito para a gente ter uma candidatura do PSB em São Paulo. O PSB de São Paulo entendeu que não. E não teve. A gente, que é democrata, não pode obrigar o partido a fazer sempre como você quer que faça. É difícil? É. Mas isso a democracia”. Marina recorre a episódio envolvendo Márcio França, hoje governador de São Paulo e defensor da candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência da República. Realça, assim, o seguinte ponto: nem Eduardo Campos que tinha o controle do PSB e capitaneava processos de decisão, sem deixar vácuo de liderança – como passou-se a apontar na sigla após seu falecimento – conseguiu impor sua vontade à ala paulista. “Eu, inclusive, aprendi muito, naquela época, com atitude de Eduardo. Márcio França avaliou que era melhor não ter candidatura em São Paulo e não teve”, recorda ela e completa: “Nos estados, onde houve a compreensão de que o melhor caminho era sair de uma forma respeitosa do governo, as pessoas saíram do governo. Porque, para nós, não é uma questão dos cargos, é o programa”. Em Pernambuco, a Rede deixou a gestão Paulo Câmara, rompimento que foi citado por Carlos Siqueira junto aos casos do Distrito Federal e da Paraíba. Marina fez as considerações em entrevista a esta colunista e ao titular do Blog da Folha, Daniel Leite, na coluna digital No Cafezinho, que vai ao ar, hoje, no Blog da Folha e nas redes sociais da Folha de Pernambuco.

Tenha calma! São dois turnos

Na última terça-feira, Siqueira afirmou que uma aliança com a Rede “não passará de um sonho”. Marina lembra que a eleição é dois turnos. E observa: “É por isso que eu quero fazer uma campanha em que, ao ganhar para o governo, eu não tenha que ficar constrangida para conversar com PSB, para conversar com PDT, para conversar com as pessoas de bem para ajudar a melhorar o Brasil”.

De cor > A última vez que a presidenciável Marina Silva tomou refrigerante foi em 1986. Tem a data de cor. Entrou na lanchonete com um amigo e avisou a ele que aquela seria a última vez.

Disciplina > Marina tem algumas restrições alimentares devido a alergias. Água, só toma natural. Durante a gravação do No Cafezinho, ontem, preferiu um chá, porque não pode tomar cafeína.

Ou vai ou vai > Ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio não arrodeia quando o assunto é sua pré-candidatura ao Governo do Estado. À coluna, ele crava: “Eu sou candidato de todo jeito, a não ser que a Rede não queira. Ou se eu morrer”.

Fim do Foro > Líder do PSB na Câmara Federal, Tadeu Alencar solicitou, à Casa, a realização, no Recife, de um seminário para debater a Proposta de Emenda Constitucional nº 333, de 2017, que visa a restringir o foro especial por prerrogativa de função.

Jato de água fria > Foi referendada, por 6×5, no STF, liminar do ministro Gilmar Mendes proibindo as conduções coercitivas no País.