Aeroporto do Recife

                        Aeroporto do Recife Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A orientação da Infraero é que os passageiros consultem as companhias sobre a situação dos voos. E, para as operadoras de aeronaves, a empresa orienta que façam consulta sobre a disponibilidade de combustível. Na quarta-feira (23), o Porto de Suape informou que foram liberados oito caminhões ao terminal para abastecerem o querosene de aviação(combustível utilizado nos aviões).

O abastecimento dos veículos estava suspenso desde que a entrada dos caminhões-tanques no Porto de Suape foi obstruída, por decisão do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Ipojuca e Grande Recife (Sintracape). Na quarta (23), a Advocacia-Geral da União (AGU) ajuizou uma ação para que alguns veículos tivessem acesso ao terminal.

De acordo com a Infraero, a situação do Aeroporto do Recife está normalizada, com os voos sendo realizados normalmente. Por nota, a empresa informou que está monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais e já alertou aos operadores de aeronaves que avaliem os planejamentos de voos para que cada um defina a melhor estratégia de acordo com o estoque disponível na origem e no destino do voo. “Ao mesmo tempo, a Infraero está em contato com órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa”, disse.

Leia também:
Crise nos combustíveis: Universidades suspendem aulas até as 12h desta quinta
Postos de combustíveis da RMR ameaçados de desabastecimento

Devido à situação, a Latam Airlines Brasil informou que está avaliando com atenção possíveis impactos dessa contingência nos aeroportos e em sua operação aérea. Por nota, a companhia comunicou que algumas regras serão flexibilizadas para os clientes até que a normalização, com isenção da cobrança de taxa de remarcação da passagem para data à escolha do cliente e opção de reembolso integral do bilhete sem multas.

Terrestres
Os impactos em outros transportes também foram sentidos com a greve dos caminhoneiros. Para o Sindicato dos Taxistas de Pernambuco, a preocupação é grande. “Espero que o governo resolva, porque, se continuar a paralisação, os taxistas vão ter que parar por força da circunstância. É inviável desenvolver o trabalho assim. Como vai ficar a categoria?”, questionou o diretor auxiliar, Jota José da Silva.

Para o serviço de aplicativo de transporte Uber, a operação continua na medida do possível. A empresa informou que espera que a situação seja resolvida para que motoristas e passageiros não sofram consequências. O aplicativo 99 está tentando encontrar um ponto de equilíbrio entre motoristas e passageiros atuando fortemente e fechando várias parcerias para diminuir o gasto com combustível e com outros custos operacionais e do cotidiano.

Deixe uma resposta