27012018-DSC_3962
 A vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), mantém vivo seu projeto político para as eleições deste ano e, no próximo domingo, dia 20, na capital pernambucana, pretende firmar ainda mais a candidatura própria ao Palácio do Campo das Princesas.

O ato em apoio à sua candidatura ocorrerá no Clube Internacional do Recife, a partir das 10h, após uma série de erros do Governador Paulo Câmara (PSB), durante os últimos meses e semanas.

Ao passo que o socialista demonstrou um maior interesse em rifar a candidatura da neta de Miguel Arraes, as lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT) passarão a ter um novo olhar sobre a candidatura própria, tendo em vista o assédio da Frente Popular de Pernambuco.

A dobradinha do Senador Humberto Costa (PT) com Paulo Câmara mostrou a força de Marília Arraes para o pleito estadual, recebendo olhares de deputados federais e lideranças, que estão dispostas a defender, a qualquer custo, essa candidatura, dentro da cúpula petista.

Nos últimos meses, Paulo Câmara procurou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; presidente do PT nacional, Gleisi Hoffman e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Essa obstinação do socialista em busca de uma aliança, após ser fiador do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, tem sido colocada em pauta dentro da legenda, que passa a considerar que o melhor caminho para as Eleições de 2018, é confirmar a neta de Miguel Arraes ao Governo de Pernambuco.

Outro erro cometido pelo PSB e, principalmente, pelo Governador Paulo Câmara é ter demonstrado preocupação súbita com a candidatura da oposicionista, quando conta com mais de 70% dos prefeitos do estado, muito embora essas lideranças não estejam conseguindo transferir apoios (votos) para sua reeleição.

Essa preocupação do PSB cresceu de forma muito avassaladora depois da última pesquisa do Instituto Múltipla, onde Marília Arraes e Paulo Câmara aparecem empatados com 15% das intenções de votos.

Na balança política, ainda, pesa a possibilidade, muito concreta, de Arraes entrar para a história como a primeira governadora de Pernambuco, assim como fez Dilma Rousseff ao assumir a Presidência da República.

Nos bastidores, partidos políticos estão ansiosos pela definição do PT sobre essa candidatura, pois já avaliam um cenário favorável para alinhar uma aliança com a legenda e fortalecer a chapa de Arraes, assim como construir chapas competitivas para deputado federal e estadual.

Ao final deste mandato, Paulo Câmara não conseguiu incorporar o principal símbolo de liderança da sua legenda, que era o idealismo popular de Dr. Arraes, fato que tem pesado sobre a Frente Popular, haja vista que Marília Arraes tem “no sangue” a ideologia política do seu avô.

Foi em cima desses erros que o nome de Marília Arraes se fortaleceu no interior e, agora, chega à capital pernambucana para incomodar a liderança do prefeito do Recife, Geraldo Júlio e do ex-aliado, João Paulo, que hoje integrar a Frente Popular.

“Será que Arraes tá aí de novo?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *